Leão adormecido no primeiro tempo foi a tempo de rugir no segundo

O Sporting recebeu em casa o Belenenses num jogo a contar para a 11ª jornada do campeonato. A turma verde e branca venceu a equipa de Belém por 2-0.

Jorge Silas ao defrontar a sua antiga equipa fez umas quantas alterações na equipa em relação à formação apresentada na quinta-feira, frente ao Rosenborg. Numa formação com 5 defesas o treinador leonino apresentou: Renan; Rosier, Neto, Coates, Ilori e Borja; Rodrigo Fernandes, Eduardo e Bruno Fernandes; Bolasie e Vietto.

Já Pedro Ribeiro apresentou: Moreira; Lopez, Ribeiro, Prata Coelho e Tiago Esgaio; Show, Andre Sousa e Benny; Varela, Robinho e Lica.

Começou o jogo e desde cedo viu-se que o Belenenses não estava para brincadeiras. Pedro Ribeiro veio a Alvalade com uma equipa muito bem organizada. A elevada pressão por parte dos azuis dificultou imenso o jogo do Sporting, ao ponto dos leões não conseguirem ter a bola no pé. Rodrigo Fernandes foi aposta no 11 inicial e quis mostrar que não era mais um. O jovem acabou por ver cartão amarelo logo aos 20 minutos por uma entrada forte. Contudo, na primeira parte Rodrigo Fernandes esteve à altura e respondeu bem à aposta de Silas.

O Belenenses continuava a ter mais posse de bola e um maior controlo no jogo. Posto isto, o técnico leonino percebeu que a táctica não estava a resultar e por isso decidiu voltar aos 2 defesas centrais e lançar Rafael Camacho para o lugar de Luís Neto. Com a entrada de Camacho viu-se um Sporting bem diferente, com mais profundidade e mais largura.

O jogo começou a ficar mais equilibrado e o Sporting começava a responder melhor, contudo com algumas falhas. Aos 38 minutos Tomás Ribeiro fez uma entrada perigosa a Bruno Fernandes e acabou por ver amarelo. O capitão leonino quase fez golo a partir do livre perigoso. O Sporting tentava mas as falhas permaneciam, e os jogadores pouco se entendiam em campo. Coates acabou por ver também o cartão amarelo, num toque por trás de Robinho. Acabava a primeira parte e as equipas iam para o balneário sem golos, mas com grandes assobios por parte dos adeptos do Sporting pela primeira parte realizada.

Para o segundo tempo Silas mexeu na equipa. No intervalo o técnico retirou o jovem Rodrigo Fernandes e lançou Doumbia. Viu-se que a ida ao balneário fez a diferença e o Sporting veio com outra atitude. Logo no início da segunda parte Rosier rematou por cima e criou perigo para a baliza do Belenenses. Apesar de uma pequena melhoria, o Sporting continuava a falhar muitos passes e cometer erros que não deviam acontecer. Mas os leões não baixaram os braços, e a partir daí só deu Sporting. Aos 59 minutos Camacho esteve muito perto do golo. Depois surge uma chuva de amarelos. Primeiro para Ilori, depois para Licá e logo a seguir para Robinho. Os dois treinadores mexeram nas equipas, Pedro Ribeiro lançou Marco Matias para o lugar de Benny, uma troca por troca. Já Silas esgotou as suas substituições ao lançar Luís Phellype para o lugar de Eduardo, que estava a fazer um jogo pobre.

Finalmente o golo chegou. Vietto vira o jogo com um grande passe para Bruno Fernandes, o capitão leonino coloca em Bolasie, o extremo cruza e a bola ressalta para Vietto que com uma finalização soberba não perdoou. Estava feito o 1-0 em Alvalade.

Notou-se que o golo deu uma energia muito positiva ao Sporting, e a próxima oportunidade estava para breve. Assim aconteceu. Bruno Fernandes isola Rafael Camacho, que esteve muito bem na segunda parte, e o jovem com o pé mais fraco remata por cima. Vietto, que apesar de falhar alguns passes estava em destaque no jogo, acabou por bisar na partida. Bolasie segurou, Doumbia recebeu e devolveu ao extremo na altura certa, e após o cruzamento de Bolasie, o argentino aproveitou de novo o ressalto da bola para marcar o segundo da partida.

O argentino acabou por arrumar o jogo e teve perto de fazer o terceiro. Isolado, Vietto só tinha de rematar, mas demorou e a bola saiu. Até ao fim da partida o Sporting só teve de gerir o jogo.

Depois de uma péssima primeira parte o Sporting veio para o segundo tempo com uma outra vontade. O lançamento de jogadores mais atacantes, como Camacho, por parte de Silas acabou por fazer a diferença no jogo. Destaque vai claramente para Vietto, que acabou por ser o homem do jogo.

João Marques

Nasci nos Açores, mais propriamente na Ilha Terceira. Actualmente estou a estudar Ciências da Comunicação na NOVA FCSH. O desporto nasceu comigo e a paixão pelas letras já vem desde tenra idade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.