OPINIÃO: Previsões para a fase de grupos da Liga Europa

Este artigo terá de começar com o disclaimer habitual que as previsões valem o que valem… parte da beleza do “desporto rei” é a sua capacidade de nos surpreender, as remontadas, a “queda de gigantes” e a superação dos underdogs frente aos grandes do “belo jogo”.

Porém, com a inauguração da fase de grupos desta 11ª edição da Liga Europa na próxima quinta-feira, tentar-se-á prever quem passará à fase eliminatória da segunda maior competição de clubes a nível europeu.

Previsões dos grupos:

Grupo A

1- Sevilla FC
2- APOEL Nicosia
3- Qarabağ
4- Dudelange

O Sevilla não é somente o claro favorito deste primeiro grupo mas também um dos principais candidatos a vencer o torneio. A equipa andaluza detém o recorde de vitórias na Liga Europa, contando cinco desde 2006, três das quais consecutivas entre 2014 e 2016; um pedigree impossível de ignorar nesta competição europeia.

Depois de dois anos conturbados em que cinco treinadores diferentes passaram pelo clube espanhol, esta temporada os rojiblancos contam com a experiência do antigo treinador do Real Madrid e da seleção espanhola Julen Lopetegui que já gastou 130m € em reforços para os hispalenses.

Enquanto o Sevilla se destaca como o preferido a ocupar a posição cimeira no grupo, o Dudelange é o claro underdog. A equipa luxemburguesa, que atualmente ocupa a 11ª posição na National Divisioun, nunca passou além da fase de grupos desta competição e com o seu plantel atual nada indica que esta temporada seja diferente.

O segundo lugar e a possibilidade de passar à fase eliminatória da competição, será disputado, portanto, pelo APOEL Nicosia e o Qarabağ. As duas equipas são as mais bem sucedidas nas respetivas ligas do Chipre e do Azerbaijão porém, o APOEL, detém equipa mais forte neste duelo.

Grupo B
1- FCK Copenhague (68)
2- Malmö (50)
3- Dinamo Moscou (66)
4- FC Lugano (17)

Este é um grupo em que os clubes nórdicos deverão singrar. Copenhague é a equipa mais bem sucedida da Escandinávia, tendo alcançado uma fase eliminatória da liga dos campeões e sendo a mais cotada pela UEFA, enquanto o Malmö é o clube que mais venceu da Suécia, com uma equipa capaz de competir pelo segundo lugar deste grupo.

O Dinamo de Moscovo é uma das equipas mais reconhecidas da Rússia, porém o clube encontra-se fragilizado desde a temporada 2015/2016 quando, pela primeira vez na sua história, desceu à segunda divisão de futebol russo, tendo estado na iminência de declarar falência. Apenas uma temporada depois regressa à primeira divisão, uma subida em tempo recorde na FNL, contudo os problemas financeiros continuam e na temporada passada os azuis e brancos ocuparam o 12ª lugar na tabela de qualificação da liga russa.

O clube suíço é o mais fraco dos quatro; esta temporada o Lugano ainda não venceu um único jogo na Super Liga Suíça, contando com um empate e quatro derrotas que levaram o clube a ocupar a nona posição na tabelo do campeonato helvético, apenas a uma posição de baixar de divisão.

Grupo C
1- FC Krasnodar
2- Getafe
3- FC Basileia
4- Trabzonspor

O grupo C será extremamente interessante de acompanhar; este é um grupo muito equilibrado em que qualquer resultado é possível. O Krasnodar já protagonizou uma das maiores surpresas da temporada ao derrotar o Porto no dragão com três golos que igualaram o resultado em agregado, tendo a equipa russa passado para a fase seguinte de qualificação devido à vantagem de golos marcados fora de casa, eliminando os “dragões” da Liga dos Campeões.

Porém, na jornada seguinte, o PAOK selou o destino dos “touros” na Liga Europa, derrotando-os 4-0. A equipa verde e preta encontra-se em grande forma de momento, ocupando a primeira posição da liga russa, e pode causar um grande impacto nesta competição.

Contudo, os russos não são os únicos a surpreender no palco internacional. Na temporada 2017/2018 o Basileia viveu a melhor campanha da Liga do Campeões, num grupo que continha vencedores de prévias edições no Manchester United e o SL Benfica e ainda os gigantes russos CSKA Moscou. Nas mãos da equipa suíça o Benfica sofreu 5 golos, a maior goleada de sempre na Champions para os “encarnados”.

Os RotBlau derrotaram também os red devils, o que lhes permitiu alcançar os oitavos de final, acabando por ser eliminados pelo Manchester City de Pep Guardiola, tendo sido, porém, a primeira equipa a derrotar os ingleses no Etihad. Esta é uma equipa que embora ocupe o terceiro lugar nesta previsão não surpreenderia se acabasse no topo do grupo; porém a falta de consistência e uma descida de forma leva a optar pelo Getafe na segunda posição.

Embora o Trabzonspor seja um dos “4 grandes” clubes turcos, a sua falta de história em competições internacionais leva a que este ocupe o último lugar nesta previsão.

Grupo D
1- PSV
2- Sporting CP
3- LASK Linz
4- Rosenborg

Embora o “leões” tenham conseguido manter a sua estrela, Bruno Fernandes, neste mercado de transferências, quando a sua saída parecia eminente; a equipa lisboeta encontra-se fragilizada com a saída de jogadores como Raphinha, Thierry Correia e Bas Dost; o despedimento do treinador Marcel Keizer, a menos de 1 mês de inicio da temporada, deixa a equipa portuguesa numa posição instável e aponta os holandeses como os favoritos deste quarto grupo.

Tanto o LASK como o Rosenborg, não são clubes de países com grande tradição futebolística, respetivamente da Áustria e Noruega, não devendo passar à fase eliminatória desta competição. A equipa austríaca terá alguma vantagem face à norueguesa pelo seu historial mais positivo de vitórias em competições europeias.

Grupo E
1- SS Lazio
2- Celtic
3- Rennes
4- CFR Cluj

A equipa Italiana tornou-se uma presença regular nas últimas temporadas da Liga Europa. A Sociedade Desportiva do Lazio é considerada uma das favoritas para ganhar esta competição, no que seria o seu primeiro troféu internacional desde a vitória da Supertaça Europeia há 20 anos.

A dupla Ciro Immobile e Sergej Milinkovic-Savic permaneceu na capital italiana este verão e será fundamental para o sucesso dos biancocelesti nesta competição; assim como a contratação do defesa eslovaco Denis Vavro, do FC Copenhagen, para reforçar a defesa das águias depois da saída do internacional italiano Manuel Lazzari que, após apenas um partido, juntou-se aos rivais italianos Spal.

Após a surpreendente eliminação do Celtic na fase de qualificação para Liga dos Campeões pelo Cluj, as duas equipas voltam a confrontar-se no grupo E da Liga Europa. Este foi um resultado que dificilmente se voltará a repetir, a equipa escocesa não subestimará os romenos e deverá passar para a fase seguinte da competição em segundo lugar no grupo, enquanto os feroviarii deverão ocupar o último.

A passagem do Celtic às eliminatórias da competição não será fácil tendo que primeiro vencer o Rennes. A equipa francesa superou todas as espetativas ao derrotar os eternos campeões franceses, Paris Saint-Germain, na final da Coupe de France, o que permitiu aos rennais um lugar nesta competição europeia. Depois de um verão de boas aquisições para o clube da bretanha, como Raphinha do Sporting, esta não será uma equipa fácil de derrotar.

Grupo F
1- Arsenal
2- Eintracht Frankfurt
3- Standard Liege
4- Vitória SC

Após ter perdido, na temporada passada, a final desta competição frente ao Chelsea, o vice-campeão da Liga Europa é um dos grandes candidatos a conquistar este título, com um verdadeiro especialista na competição europeia como treinador; Unai Emery conquistou três troféus consecutivos com o Sevilha e mostrou o seu pedigree, mais uma vez, ao guiar o Arsenal à sua primeira final europeia em 13 anos. Com a luta pelos quatro primeiros lugares da Premier League talvez mais difícil do que nunca, a Liga Europa poderia oferecer à equipa Londrina uma rota alternativa de volta à Liga dos Campeões, após uma ausência de três anos.

Os gunners fortaleceram significativamente a equipa este verão, acrescentando Dani Ceballos, David Luiz e gastando 72 milhões de libras, um recorde do clube, no extremo direito do Lille, Nicolas Pepe. Porém, Pierre Emerick-Aubameyang e Alexandre Lacazette continuarão a ser a dupla chave para a conquista deste troféu, tendo sido responsáveis por 13 golos na Liga Europa na última temporada.

O Eintracht Frankfurt não oferece praticamente qualquer hipótese de qualificação à fase seguinte do campeonato ao Standard Liege e ao Vitória de Guimarães, superando a equipa belga e a portuguesa em qualidade, investimento e resultados em competições europeias. Os “conquistadores” ocuparão, talvez, o último lugar deste grupo pela sua falta de experiência na europa em relação aos demais.

Grupo G
1- FC Porto
2- Young Boys
3- Rangers
4- Feyenoord

O Porto é o favorito do grupo G, a equipa portuguesa mais bem sucedida internacionalmente, chocou os adeptos ao ter sido eliminada na fase de qualificação para Liga dos Campeões pelo FC Krasnodar. Embora seja extremamente invulgar ver os “dragões” fora da maior competição europeia, estes poderão ter um maior impacto neste torneio, sendo um dos favoritos para conquistar o troféu europeu, algo que não acontece há quase 10 anos.

A luta pelo segundo lugar é extremamente renhida entre os Young Boys e os Rangers, ambos ocupando o segundo lugar nas respetivas ligas e com equipas de qualidade semelhante, porém os resultados em competições europeias colocam os suíços ligeiramente acima dos escoceses; tendo ambas as equipas demasiada qualidade para o Feyenoord.

Grupo H
1- CSKA Moscow
2- RDC Espanyol
3- Ludogorets
4- Ferencváros

CSKA, o clube mais antigo da Rússia e primeiro a conquistar um título europeu, a antiga taça UEFA, em 2005, frente ao Sporting em casa dos “leões”, é o favorito no oitavo grupo da competição, seguido do Espanyol, vice-campeão já por duas vezes deste troféu, que vive um difícil começo de temporada, sem qualquer vitória, um empate e duas derrotas que o colocam na zona de despromoção.

O Ludogorets e o Ferencváros ocuparão os últimos lugares da tabela por esta ordem, estando a equipa Búlgara em melhor forma que a Húngara.

Grupo I
1- Wolfsburg
2- Saint-Éttienne
3- Gent
4- Olexandriya

Os lobos alemães deverão ocupar o topo do grupo, tendo estes a equipa mais forte, seguidos do Saint-Étienne, a equipa francesa que embora esteja longe da era de glória no dos anos 50 a 80 joga numa liga mais competitiva que a belga do Gent e a ucraniana do Olexandriya. O clube belga destaca-se do ucraniano pela sua maior qualidade e competitividade.

Grupo J
1- AS Roma
2- Monchengladbach
3- Basaksehir
4- Wolfsberger

O duelo pelo primeiro lugar é extremamente renhido neste grupo.

Atualmente, a equipa italiana vive um período de transição, tendo descido um pouco na Série A nas últimas temporadas e perdido grandes jogadores como Kostas Manolas e Daniele De Rossi, que deixaram o clube este verão. Tendo atingido a fase eliminatória da Liga dos Campeões nas duas últimas temporadas, a Roma estará a competir na Liga Europa pela primeira vez desde 2016.

Depois de se consagrarem vice-campeões em 1991, a Roma não passou dos quartos de final deste torneio em 12 tentativas desde então, poderá ser esta a temporada? A resposta é sim, com jovens talentos de alto nível, como Nicolo Zaniolo e Cengiz Under que contam com a experiência de estrelas como Edin Dzeko e Alessandro Florenzi, sob o comando do ex-treinador do Porto e Shakhtar Donetsk, Paulo Fonseca, Roma poderá ir longe.

Uma equipa que pode surpreender a europa esta temporada e competir com a “loba” pelo primeiro lugar é o Monchengladbach. A equipa alemã regressa, após três anos de ausência, às competições europeias, tendo terminado no top 6 da Bundesliga pela primeira vez desde 2016, e embora tenham vendido o seu melhor jogador este verão, Thorgan Hazard, e acabado o contrato com o treinador Dierter Hecking, os apoiantes dos “prussos” têm motivos para sorrir com jovens promessas como Denis Zakaria e as contratações de Marcus Thuram, Stefan Lainer e Breel Embolo que iniciaram a temporada de forma promissora sobe o comando de um novo treinador vencedor, Marco Rose.

O Basaksehir e o Wolfsberger são equipas extremamente equilibradas, destacando-se, talvez, a equipa turca, dos lobos austríacos, pela sua maior experiência na europa.

Grupo K
1- Wolverhampton Wanders
2- Besiktas
3- Braga
4- Slovan Bratislava

Depois de terem chegado à final da primeira Taça Europeia, na época de 1958/1959, a equipa inglesa regressa, 60 anos depois, à competição. Com o fim da época dourada dos anos 50, em que os wolves conquistaram três ligas inglesas, dois segundos lugares e uma taça de Inglaterra, a equipa do black country viveu uma espiral de decadência que os levou até à terceira divisão do futebol britânico. Mas, como diz o orgulhoso lema dos wanders, “Out of Darkness Comes the Light”, da escuridão vem a luz que chegou com o investimento da empresa chinesa Fosun International e contou com o apoio do agente e empresário português Jorge Mendes. Com o mais bem sucedido agente futebolístico de sempre por de trás das cenas, chegou a Wolverhampton uma verdadeira “armada portuguesa” de jovens talentos e estrelas consagradas como Rúben Neves, João Moutinho, Diogo Jota, Rui Patricio, entre outros, que sob o comando de Nuno Esprito Santo conquistaram um lugar na Europa em apenas dois anos. Com já impressionantes exibições na fase de qualificação frente ao Torino, os “lobos” são uma equipa a observar este torneio.

Os gigantes turcos ocuparão a segunda posição no grupo devido ao intimidante ambiente dos jogos no Vodafone Park e experiência europeia que em muito supera a do Braga. Porém, a equipa portuguesa tem qualidade para superar o Slovan Bratislava e terminar em terceiro lugar.

Grupo L
1- Manchester United
2- AZ Alkmaar
3- Astana
4- Partizan

Vencedor do torneio sob o comando de José Mourinho em 2017, o Manchester United está de volta à Liga Europa depois de não ter conseguido terminar entre os quatro primeiros na Premier League na última temporada. Com a contratação, recorde mundial, do internacional inglês Harry Maguire, o United reforçou ainda mais sua defesa com a aquisição por 50 milhões de libras do defesa do Crystal Palace, Aaron Wan-Bissaka.

A lenda do clube, Ole Gunnar Solskjaer, vive a sua primeira temporada completa como treinador do clube, tentando restaurar a antiga glória do mais condecorado dos clubes do futebol inglês. Tanto neste último grupo do torneio como na competição, os red devils são favoritos a ganhar, sendo a verdadeira questão deste grupo quem terminará em segundo lugar.

Esse clube será, segunda esta previsão, o AZ Alkmaar que apresenta mais qualidade que o decadente Partizan e joga numa liga mais competitiva que o Astana do Cazaquitão.

Inês Macieira

Maluquinha da bola, devoradora de livros e apaixonada pela escrita. Licenciada em Ciências da Comunicação na FCSH, a caminho de Bruxelas para um mestrado em Relações Internacionais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.