Dragões isolados provisoriamente na liderança depois da vitória em Portimão

O FC Porto visitou este sábado o Portimonense e venceu por 3-0, em jogo a contar para a 29.ª jornada da Liga Portuguesa de Futebol. Os golos foram de Brahimi, Marega e Herrera.

 

Com um maior domínio dos dragões nos primeiros instantes da partida, não tardou até se perceber que o corredor direito seria uma peça fundamental para o ataque do FC Porto. Aliás, foi a partir daí que acabou por surgir o primeiro golo. Ao explorar o corredor direito, a turma de Sérgio Conceição aproveitava a velocidade de Manafá, que servia como um autêntico catalisador da técnica de Corona e da eficácia de Marega. Por esta altura, o Portimonense jogava mais recuado, com Lucas Fernandes a organizar as transições ofensivas a partir do meio-campo.

Ao minuto 14, os dragões inauguraram o marcador. Corona lançou Marega que cruzou atrasado para a entrada da área onde apareceu Brahimi que rematou rasteiro. Um remate que não deixou qualquer hipótese para Ricardo Ferreira, guardião do Portimonense. No entanto, importa frisar que este golo surgiu três minutos depois da saída de Rúben Fernandes (Portimonense) devido a uma lesão muscular e da entrada pouco preparada de Henrique.

Os algarvios acabaram por reagir bem ao golo. Lucas Fernandes ia aparecendo em terrenos mais avançados e foi protagonista em algumas oportunidades de golo flagrantes. Ainda assim, não conseguia concretizar. O jogo seguiu bastante dividido até ao intervalo, com um FC Porto, que embora estivesse na frente da partida, mostrava algumas dificuldades na reação à perda de bola.

A segunda metade começou com um Portimonense cheio de vontade de marcar. Lucas Fernandes continuava um autêntico motor que dava gás a Jackson Martínez e a Tabata e os dragões continuavam com as mesmas dificuldades em parar o brasileiro.

O desgaste físico dos jogadores do Portimonense foi acentuando a partir da hora de jogo e rapidamente se encontrou com o cansaço dos jogadores do FC Porto. A velocidade dos dragões que tão bem caracterizou o corredor direito, na primeira metade, ia desvanecendo e assistia-se a uma quebra de rendimento visível em Manafá e Corona. Manafá ainda aguentou até ao final do encontro, mas Corona acabou mesmo por ser substituído por Otávio.

Ao longo da segunda parte, a bola andou longe das balizas e não houve grandes oportunidades. O segundo golo dos dragões acabou por surgir aos 73 minutos, fruto da qualidade individual de Marega, que recebeu o passe de Alex Telles pela esquerda e picou a bola por cima de Ricardo Ferreira.

Do lado do Portimonense, Ruster ainda veio a jogo, mas a turma de António Folha não conseguiu chegar sequer ao golo de honra, mesmo depois de todas as dificuldades que criou aos dragões.

Já no período de descontos, Herrera ainda arranjou tempo para fazer o terceiro e último golo do FC Porto.

Com este resultado, o FC Porto segue isolado provisoriamente na liderança da I Liga Portuguesa de Futebol, ficando a aguardar o resultado do Benfica. O Portimonense sofre a terceira derrota seguida e segue no 10.º lugar, com 32 pontos.

João Dias

Natural de Coimbra, frequenta a licenciatura de Ciências da Comunicação na NOVA FCSH. É movido pelo amor à escrita e sonha concretizar essa paixão nas áreas ligadas ao desporto, cultura e atualidade. É praticante de Badminton e fã de Game of Thrones, nas horas vagas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.