Benfica perde com Bayern consistente

O SL Benfica foi hoje derrotado em casa por 2-0 pelo hexacampeão alemão Bayern Munich, que demonstrou toda a sua competência ao longo dos 90 minutos.

À semelhança do que Rui Vitória havia dito na conferência de antevisão ao jogo, as águias apresentaram-se muito agressivas e a tentar condicionar a saída de jogo do Bayern. Para isso, Pizzi e Gedson subiam as linhas e, juntamente com Seferovic, Salvio e Cervi, pressionavam a defesa bávara, mas a qualidade e experiência de Hummels e companhia, impediam que o Benfica conseguisse tirar proveito de tal pressão.

O primeiro golo do jogo surgiu logo à passagem do minuto 10, quando a equipa visitante lançou um contra-ataque rápido. A bola chegou aos pés de Lewandowski, que finalizou com frieza para dentro da baliza de Odysseas, depois de ter tirado Grimaldo do caminho com um toque subtil.

O Benfica conseguiu encontrar a estabilidade necessária para discutir o jogo a meio da primeira parte, quando o Bayern deixou de pressionar tão alto e permitiu que os encarnados saíssem com mais critério do seu meio-campo.

Eduardo Salvio esteve perto do golo aos 28 minutos, mas acabou por falhar o alvo por escassos centímetros.

Os últimos minutos da primeira metade ficaram marcados por uma boa gestão da posse de bola da equipa portuguesa.

O Benfica acreditava que poderia tirar algo do encontro, mas Renato Sanches acabou com todas essas esperanças. O menino que abandonou o Seixal em 2016, voltou mais crescido que nunca. Marcou depois de uma “correria” típica dele e levantou os braços, a pedir desculpa àqueles 60000 que estavam no estádio. Aqueles 60000 benfiquistas, que tal como todos os outros espalhados pelo mundo, sempre o acarinharam, mesmo quando tudo corria mal. E se há quem diga que não existe fair-play, o Estádio da Luz inteiro é a prova de que essa informação é falsa. Os adeptos levantaram-se e aplaudiram o português, mesmo que o golo tenha sido contra a própria equipa.

Rui Vitória chamou a jogo Rafa e Gabriel, para o lugar dos apagados Pizzi e Salvio, à procura de reduzir a desvantagem na entrada para a última meia hora de jogo. A qualidade de jogos dos rapazes da Luz aumentou, embora o golo não tenha aparecido. Já nos instantes finais, Odysseas evitou o golo de Robben.

Apesar da exibição razoável, o Benfica não conseguiu ainda acabar com a terrível marca de jogos sem ganhar na fase de grupos da Liga dos Campeões (agora fixada em 8). No outro jogo do grupo, o Ajax venceu o AEK por 3 a 0.

 

João Ferreira

Um jovem apaixonado por futebol que encontrou neste projeto a essência do seu verdadeiro amor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.