FC Porto avassalador esmaga na estreia

O FC Porto entrou na edição 2018/2019 da Liga NOS da mesma forma como acabou a última: a festejar. Num encontro de sentido único e perante um Chaves incapaz de anular os dragões, o Porto não teve problemas e goleou os transmontanos por 5-0, deixando o Dragão com boas expectativas para esta época. 

O encontro começou com um FC Porto muito forte e com vontade de resolver o jogo, tanto que nos primeiros 10 minutos Aboubakar já contabilizava duas boas oportunidades de golo, mas sem sucesso. À terceira, contudo, não falhou. Otávio rouba a bola a Ghazaryan junto da bandeirola de canto, cruza rasteiro para a área onde surge André Pereira a abrir as pernas e a deixar a bola chegar a Aboubakar, com o camaronês a receber e a ludibriar o defesa, fazendo o 1-0. Estava assim aberto o marcador, ainda antes do quarto de hora. 

A avalancha portista prosseguia e, já depois de André Pereira ter falhado o golo à entrada da pequena área, é com naturalidade que surge o segundo. Num bom desenho ofensivo dos azuis, Sérgio Oliveira faz um passe de morte para Otávio que, na cara do guarda redes, oferece o golo a Aboubakar, permitindo o bis do camaronês (já não marcava desde Fevereiro). 

O Porto não mostrava sinais de abrandamento e o cheiro a golo continuava no ar. Brahimi foi o protagonista de dois lances muito perigosos, com a bola a ameaçar mas a não entrar. Contudo, o argelino viria mesmo a marcar antes do intervalo, numa finalização de classe após combinação com Aboubakar. Tudo muito fácil para os campeões nacionais. 

A 2ª parte trouxe o mesmo registo acutilante dos dragões (com Brahimi e Aboubakar à cabeça) mas num ritmo mais baixo. Aos 67 minutos, Sérgio Conceição lança Corona (saída de André Pereira) e o efeito é quase imediato. Apenas três minutos depois, o mexicano interceta uma bola a meio campo, conduz em velocidade até à área e fuzila Ricardo para o 4-0. 

Aos 73 minutos, entra Ádrian Lopez para o lugar de Otávio e no Chaves entra João Teixeira para o lugar de Bruno Gallo. De seguida, o mesmo João Teixeira faz uma falta muito dura sobre Sérgio Oliveira, tendo sido admoestado com o cartão amarelo, mas, após consultar o VAR, o árbitro decide mostrar o vermelho ao jogador flaviense, deixando o Chaves com 10 jogadores.  

O resultado viria a ficar completo aos 87 minutos, com o golo de Marius (havia rendido Aboubakar pouco antes). Maxi Pereira cruza da direita e na área surge Sérgio Oliveira a rematar de bicicleta, mas o remate sai enroscado e a bola vai ter à cabeça de Marius, que desvia para o fundo das redes, estabelecendo o 5-0 final. 

Notas finais: 

Foi um encontro muito positivo para os dragões, que desde cedo mostraram ao que vinham e não deram hipótese ao adversário. Domínio completo, avassalador em alguns momentos, com uma boa dinâmica e demonstrando que o espírito da época passada continua presente. Maior destaque para Brahimi, que esteve endiabrado e fartou-se de desequilibrar no ataque, mas mérito também para Aboubakar e Otávio, que deram muito trabalho. Uma nota para o facto de não se ter notado a ausência de Marega, elemento preponderante no sucesso da época transata.  

O Chaves, por sua vez, fez um péssimo jogo, não mostrando capacidade nem argumentos para entrar na partida. Os comandados de Daniel Ramos nunca souberam lidar com as investidas azuis e saem do Dragão com a sensação que podiam facilmente ter averbado uma derrota mais pesada.  

Veja aqui o resumo:

Marco Pereira

Amante do desporto, respira futebol e considera-o uma das suas grandes paixões. É licenciado em Línguas Aplicadas pela Universidade do Minho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.