Leões de orgulho ferido venceram categoricamente o Atlético Madrid

O Sporting venceu esta noite o Atlético Madrid em jogo a contar para a segunda mão dos quartos de final da Liga Europa. A vitória caseira dos leões por um golo sem resposta, não foi o suficiente para anular o resultado em Madrid (2-0) e deixou assim, o clube de Alvalade de fora das competições europeias.

Os leões entraram de orgulho ferido e cedo mostraram que vinham com vontade de inverter o resultado, demonstrando assim, que o encontro de Madrid teria sido um mero acidente de percurso.

Os pupilos de Jorge Jesus jogavam no meio campo adversário causando a estes, grandes dificuldades no âmbito das transições ofensivas. Os leões tinham os sectores muito próximos com o bloco defensivo muito subido evitando linhas de passe ao adversário. Em Alvalade era perceptível que o golo apareceria a qualquer momento. No entanto, o azar voltou a bater a porta de Jorge Jesus com a lesão de Mathieu aos 26′ a permitir a entrada de Petrovic.

O técnico viu-se forçado a mexer no onze mas o estilo de jogo mantinha-se fiel ao maior caudal ofensivo dos anfitriões, com diversas oportunidades para inaugurarem o marcador, mas foi só aos 28′ que este se alterou em golo assinado por Fredy Montero, beneficiando de um cruzamento de Bruno Fernandes à direita, Oblak ainda tocou no esférico desviando-o ligeiramente, mas Montero estava alojado no segundo poste e em queda inaugurou o marcador.

Os leões insistiam em tentar o golo que anulasse o resultado da primeira mão e sobre o apito para o final dos primeiros 45′, Bryan Ruiz encheu o pé, rematou forte e colocado mas a qualidade de Oblak falou mais alto e anulou as intenções do medio leonino, depois, foi a vez de Gelson estar próximo do golo com um cabeceamento a fazer a bola passar perto da barra.

No reatar para o segundo tempo, os espanhóis subiram linhas e tentaram travar o pendor ofensivo dos leões, bloqueando linhas de passe e a inviabilizar transições rápidas. Diego Simeone viu a primeira contrariedade física no plantel aos 52′, com Diego Costa a sair lesionado e a proporcionar o regresso de Fernando Torres.

O Sporting ia subindo no terreno e o sector defensivo ia ficando mais desmenbrado proporcionando a Griezmann, criar perigo ao recuperar uma bola perdida, obrigando Rui Patrício a exibir os seus dotes de forma eximia. À passagem do minuto 69, foi Bruno Fernandes a conduzir o processo ofensivo pela ala esquerda, conduzindo a bola para o pé direito e atirou forte para defesa apertada de Oblak.

Faltavam 20′ para o tempo regulamentar e Jorge Jesus fez sair Bryan Ruiz para entrar Ruben Ribeiro.

Os guerreiros de Jorge Jesus mantinham posse de bola e iam sabendo gerir a perda da mesma, mantendo o rigor táctico. Não obstante do mister leonino ter motivos para estar satisfeito com o comportamento da equipa, imperava mais perigo no eixo do ataque e aos 80, fez saltar do banco Doumbia para render Ristovski.

Os leões tudo tentaram e com muito carácter, atitude e intensidade venceram os “colchoneros” de forma categórica.

 

 

Guilherme Freire Coelho

Alfacinha apaixonado pela vida e dela, faz parte o futebol. Defendo-o como desporto, respeito-o pela vertente social e admiro-o como espectáculo. A bola, é mero instrumento para os artistas brilharem. Não escrevo sobre bola mas sim, sobre Futebol, sempre de forma transparente, com fair-play e....sem respeito pelo acordo ortográfico.....

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.