André Silva: depois da estadia na Lituânia, o regresso a um velho conhecido

O exclusivo Ambidestro traz até si, um jovem de 20 anos, que “nasceu com a bola no pé”. Começou nas escolas do Benfica, mas foi no Sacavenense como infantil, que sentiu o sabor da competição. Fez uma incursão internacional na Lituânia.

Actualmente joga no Clube Oriental de Lisboa, emblema que já tinha representado como júnior. André Silva, é um defesa central com experiência internacional que ambiciona a Premier League e que aos 14 anos, fez um golo a Nuno Espírito Santo.


AMBIDESTRO: André, com que idade é que começaste a despertar para o futebol e onde iniciaste o teu percurso?

André Silva: O meu interesse pela bola começou logo desde cedo, eu não me lembro mas conta-me a minha família, que foi logo desde muito criança, ainda mal andava e já brincava com a bola ( não jogando futebol obviamente), o interesse pelo futebol veio um pouco mais tarde através da escola e do meu tio. Iniciei o meu percurso nas escolinhas de futebol do Benfica e mais tarde nos infantis do Sacavenense a minha formação de competição.

 

AMBIDESTRO: Que memórias guardas desses tempos da formação?

André Silva: Guardo memórias muito boas desses tempos em que o futebol era mais genuíno aos meus olhos, olhos de criança, onde o divertimento e aprendizagem eram o principal objetivo.

No Sacavenense, André Silva iniciou o seu percurso na competição.

AMBIDESTRO: Quando despertaste para o futebol, o teu interesse sempre foi, ficar no sector defensivo ou foi a evolução no processo de formação, que te proporcionou para jogares como defesa central?

André Silva: Eu quando jogava nas escolinhas de formação do Benfica (onde pagava uma avença mensal), era um jogador bastante ofensivo, quando passei à competição do sacavense com 11 anos, comecei logo a jogar a defesa esquerdo, com o passar dos anos fui alternando entre defesa esquerdo e central, sendo agora central a minha principal posição no campo.

AMBIDESTRO: Tens 20 anos e um futuro enorme, representaste muitos clubes, essencialmente em Portugal, como foi a tua experiencia no estrangeiro, com a passagem na Lituânia?

André Silva: Ter uma experiência no estrangeiro penso que é sempre benéfico para qualquer pessoa, não só para futebolistas, para mim foi sem dúvida muito bom passar da realidade de futebol que temos em Portugal para uma realidade totalmente diferente onde tive que me adaptar completamente a um mundo novo e com a ajuda dos meus treinadores na Lituânia consegui aprender muito.

A aventura além-fronteiras foi pródiga em aprendizagem apesar de a adaptação, não ter sido fácil em vários aspectos.

 

AMBIDESTRO: Como surgiu a hipótese de ires jogar além fronteiras?

André Silva: Foi algo que eu sempre quis, estava mentalizado para isso desde que comecei a jogar futebol, falei directamente com o professor Mariano Barreto e quando ele me convidou não hesitei.

AMBIDESTRO: O que sente um jovem num país em que não domina linguisticamente e culturalmente?

André Silva: Foi um enorme aprendizagem de vida certamente. Sinceramente não é nada fácil, mas eu tive a sorte de ter uma equipa técnica portuguesa e alguns jogadores portugueses e brasileiros na equipa, apesar disso tive dificuldades em compreender a cultura Lituana e aprendi um pouco de Lituano para conseguir fazer alguma da comunicação basíca no dia a dia.

AMBIDESTRO: A adaptação à forma de jogar do Stumbras foi fácil ?

André Silva: Não, o Stumbras joga com um central de marcação e um central de cobertura coisa que nunca tinha feito anteriormente, penso que demorei 2-3 a adaptar me, mas a equipa técnica facilitou muito essa adaptação.

 

André Silva ao serviço do Stumbras da Lituânia.

 

AMBIDESTRO: Que mais valias te deu essa experiência?

André Silva: Ganhei muitos valores individuais enquanto jogador e uma (quase) experiência profissional Convicto das suas competências, não abdica de manter um registo humilde e realista, personalidade que o tem caracterizado, ao longo da bonita carreira desportiva.

AMBIDESTRO: Pelo que vejo no teu facebook, a ligação com os amigos é o garante da tua personalidade certo? São teus fans e com eles sentes-te mais forte não é?

André Silva: Não considero que tenha fans, tenho alguns amigos e algumas pessoas conhecidas, são todas pessoas que eu respeito e claro que tenho um carinho especial pelos meus amigos que estão comigo há tanto tempo e sempre me apoiaram.

AMBIDESTRO: Como te defines como jogador?

André Silva: Esta é uma pergunta difícil, um jogador é definido pela sua personalidade tanto dentro ou fora de campo , se tivesse que me definir diria que procuro sempre trabalhar para ser o melhor de mim mesmo.

AMBIDESTRO: O Regresso a um clube que bem conheces, torna certamente a adaptação mais fácil, como está a ser a tua integração neste grupo de trabalho do oriental que é um misto de experiência com juventude?

André Silva: A adaptação foi fácil, algumas caras conhecidas na equipa e no clube que já representei no passado, tudo se tornou mais fácil.

AMBIDESTRO: Foste atleta de clubes como o Santa Iria e Sacavenense, como Junior representaste o C.O.L. A tua área de residência é que te proporcionou jogares nestes clubes pela proximidade ou o currículo desportivo foi evoluindo casualmente?

André Silva: Quando representei o sacavenense pela primeira vez aos 11 anos eu fui convidado para integrar uma equipa de competição pela primeira vez e aceitei por isso , acabei por deixar o sacavenense pelo Estrela da Amadora pelo motivo da residência, eu sou da Amadora e ficava muito perto de casa, quando o Estrela da Amadora fechou tive que procurar outros clubes e fui fugindo da minha área de residência, como procurava jogar sempre num nível de competição alto tive que sair da minha zona.

AMBIDESTRO: André, os estudos continuam lado a lado com o futebol, ou ficaram para traz? Estudaste até que ano?

André Silva: Os estudos não estão lado a lado com o futebol, desde os meus 16 anos que o futebol vem em primeiro lugar, no entanto nunca deixei de estudar porque o futebol não dura para sempre e quer eu tenha muito ou pouco sucesso enquanto jogador eu tenho outros objetivos para o futuro e por isso segui um curso de desporto na universidade ( o qual interrompi para jogar na Lituânia) , mas irei retomar no futuro.

AMBIDESTRO: Estás no Oriental a tempo inteiro ou tens outra actividade/emprego ?

André Silva: Por enquanto estou a tempo inteiro, mas estou a pensar em voltar a estudar Ao longo da ainda curta mas recheada carreira, André está ciente que o trajecto tem sido evolutivo e destaca os momentos mais simbólicos que unem o André jogador ao André homem.

André Silva como Júnior, já havia representado o emblema de Marvila

 

AMBIDESTRO: Qual foi o momento mais marcante na tua carreira?

André Silva: Tenho 4 momentos marcantes na carreira, 2 que simbolizam o sucesso desportivo, 1 que mostra que a esperança nunca deve morrer e que se acreditarmos tudo é possível e outro que me fez acreditar em mim como jogador. O primeiro foi ficar na história do Sacavenense com a melhor classificação de sempre no escalão de Infantis. O segundo foi a manutenção da primeira divisão Nacional de Iniciados garantida com um empate a zeros em casa do Benfica depois do nosso treinador dizer aos jogadores que seria impossível empatar o jogo e a descida estava garantida. O terceiro foi ter encontrado o na altura guarda-redes do FC Porto Nuno Espírito Santo , de férias no Algarve ( onde havia um campo de futebol sintético) e ele na brincadeira ter-me incentivado a fazer-lhe um remate à baliza e marquei-lhe golo, ele ficou surpreendido por ter sofrido um golo de um miúdo de 14 anos, o que fez com que eu acreditasse mais em mim como jogador. O quarto foi obviamente a minha ida para a Lituânia, por razões obvias Com as chuteiras bem assentes no tapete verde, o jovem central não esconde a sua ambição.

AMBIDESTRO: Quais são os teus objetivos para o futuro? Até onde pode ir o André Silva ?

André Silva: O meu objetivo é ser o melhor jogador que eu posso ser e ambiciono jogar ao mais alto nível, acredito que posso chegar a um bom nível no futuro.

AMBIDESTRO: Ambicionas ficar por Portugal ou equacionas nova aventura lá fora ?

André Silva: Por enquanto jogar fora de Portugal não é uma coisa em que queira pensar, estou preso aos direitos de formação e vai ser díficil assinar um contrato profissional num futuro próximo.

AMBIDESTRO: Qual é o teu maior sonho no futebol?

André Silva: O meu sonho é jogar na Premier League, é o sonho de qualquer jogador, jogar na melhor liga do mundo.

AMBIDESTRO: Que conselhos darias a um miúdo(jovem), que quisesse singrar no futebol ?

André Silva: Para trabalhar sempre ao máximo e não faltar a nenhum treino, o pior jogador hoje , pode ser o melhor de amanhã desde que trabalhe mais que os outros.


Desafiei o André, a responder às nossas habituais perguntas rápidas mais direcionadas para o âmbito pessoal.

Fora das quatro linhas:

Prato favorito: Carbonara Música favorita: Não tenhoFilmes Favoritos: Pirata das Caraíbas
Tempos livres: Amigos, Família e séries de televisão
Talento escondido: Bom jogador de consola
Ídolo de infância: Deco
Treinador mais marcante: tive a sorte de ter treinadores muito bons ao longo do meu percurso, o que me marcou mais talvez tenha sido o Jorge Prazeres
Melhor central da atualidade: Bonucci
Melhor Central que viste jogar: Maldini


Obrigado André, foi um prazer ter-te como entrevistado. Um “miúdo” com a cabeça muito organizada e focado num futuro sustentado e que os valores transmitidos nesta curta entrevista, sirvam de exemplo para todos os futuros jogadores de futebol.

Talento, paixão, espirito de sacrifício, humildade, focado em treinar sempre, dando o máximo para ser o melhor, são adjectivos que te encaixam na perfeição, associado a um forte caracter, com base no apoio da família, faz de ti um jovem com um FUTURO ENORME.

Mais uma vez, obrigado.

Sigam-nos no AMBIDESTRO

 

Guilherme Freire Coelho

Alfacinha apaixonado pela vida e dela, faz parte o futebol. Defendo-o como desporto, respeito-o pela vertente social e admiro-o como espectáculo. A bola, é mero instrumento para os artistas brilharem. Não escrevo sobre bola mas sim, sobre Futebol, sempre de forma transparente e com fair-play.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.