Deus no céu, Fejsa na Terra

Foi contratado em 2013 ao Olympiakos por aproximadamente 4,5 milhões de euros e desde então tornou-se no talismã do Benfica. Pois claro, refiro-me ao médio de 28 anos Ljubomir Fejsa, decacampeão em apenas nove anos.

Falar deste internacional sérvio e não falar do calvário de lesões é impossível. Fejsa soma um total de 94 jogos com o emblema encarnado ao peito, mas imagine só, falhou pelo menos 62 jogos pelo Benfica devido a lesões. Isto se forem apenas contabilizados os problemas físicos que o obrigaram a faltar às partidas por estar integrado no boletim clínico.

Se puxarmos a cassete atrás, Fejsa falhou oito jogo no Olympiakos pelos mesmos motivos e 35 no Partizan de Belgrado. Ora, se colocarmos fora da lista o Hadjuk Kula, clube onde começou a carreira, Fejsa soma um total de 105 jogos sem jogar e mais de 700 dias (leu bem) passados em recuperações.

O histórico de lesões vai desde entorses a problemas musculares, contudo é o joelho direito que mais tem atormentado o médio defensivo. Fejsa já foi submetido a três intervenções cirúrgicas ao joelho, sendo que a última foi a mais grave. A 10 de abril de 2014, no jogo frente ao AZ Alkmaar, referente à segunda mão dos quartos de final da Liga Europa o jogador saiu com uma lesão muito grave no ligamento cruzado anterior.

Depois do sofrimento, a glória

Após um ano parado o sérvio voltou aos relvados em pleno Estádio da Luz, frente à Académica. Aos 62 minutos, debaixo de uma enxurrada de aplausos, foi lançado para o lugar de Samaris. Aos 84 minutos, a glória. Depois de uma bola perdida por Jonas, Fejsa recuperou a bola à entrada da área e rematou forte para o fundo da baliza da Académica. Foi o primeiro golo do sérvio com a camisola encarnada. Chorou, riu e projectou um coração com as mãos em direção às bancadas, dedicado à sua mulher Suzana.

 

Fonte vídeo: Conta do youtube do Sport Lisboa e Benfica

Passado, presente e futuro

O ano passado renovou o contrato com o Benfica até 30 de junho de 2019, facto que permite aos adeptos encarnados respirarem de alívio. Visto por muitos como um “papa títulos”, o mestre do desarme da equipa encarnada é uma peça fundamental no sistema tático de Rui Vitória e certamente já estará a pensar no jogo da Taça de Portugal, frente ao V. Guimarães.

Enquanto profissional, o camisola 5 do Benfica soma 20 títulos. Três campeonatos da sérvia e duas taças da sérvia, ao serviço do Partizan e três campeonatos gregos e duas taças da Grécia ao serviço do Olympiakos. Sim, eu sei que faltam ainda 10 para os 20 que referi acima. Pois bem, os outros 10 troféus foram de águia ao peito: quatro campeonatos nacionais, três Taças da Liga, duas Supertaças e uma Taça de Portugal.

Ljubomir Fejsa mais que um amuleto da sorte é um dos pilares do Benfica. É um exemplo de profissionalismo, entrega, dedicação e superação.

 

 

 

 

Ricardo Rocha Cruz

Confiante, resolvido consigo mesmo e ousado. Prazer, chamo-me Ricardo Cruz. Bem-vindos ao meu novo projeto. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.