Hull City: Com o que pode contar Marco Silva para retirar os Tigers da jaula de despromoção?

Marco Silva deslizou no passado sábado com o já despromovido Sunderland FC, tendo sido derrotado por 2-0. Com este resultado e a vitória do Swansea AFC frente ao Everton FC, os Tigers foram novamente relegados para a zona de despromoção com apenas dois jogos por disputar até ao fim do campeonato.

O fundo da tabela classificativa

A atual situação classificativa da Premier League já ditou duas novidades para a Championship League da próxima época: o Sunderland AFC no último lugar com 24 pontos e o Middlesbrough FC com 28 pontos a dois jogos do fim do campeonato estão completamente afastados da luta pela manutenção.

Feitas as contas dos jogos disputados e dos jogos por disputar, temos Hull City AFC, Swansea AFC, Crystal Palace FC, Watford FC e Burnley FC na corrida, embora a situação destes dois últimos seja muito mais favorável à permanência no principal escalão do futebol inglês. O Watford e o Brunley estão a seis pontos de distância da despromoção, exatamente a quantidade de pontos que falta disputar, sendo que o Watford só é despromovido se perder todos os jogos e se os Tigers vencerem todos, uma vez que o conjunto de Marco Silva levou a melhor no confronto direto. Já o Burnley beneficia de uma situação mais favorável por ter empatado os dois jogos com o Hull City e devido à diferença de golos marcados e golos sofridos (19 golos de vantagem sobre os Tigers).

Deste modo, existe uma remota possibilidade de o Watford ser despromovido se tudo correr pelo pior para o conjunto de Walter Mazzarri e pelo melhor para o Hull City, enquanto o Burnley só é despromovido na eventualidade de uma autêntica catástrofe retirar a vantagem de 19 golos que leva.

Por outro lado, a situação do Swansea e Crystal Palace não é assim tão favorável. O Swansea FC encontra-se a um ponto do Hull City e o menor deslize pode inverter a posição destas duas equipas na tabela. Já os quatro pontos que distanciam o Crystal Palace da despromoção asseguram um maior conforto mas se os londrinos perderem o embate direto da próxima jornada com os Tigers arriscam uma surpresa desagradável na última jornada.

A reta final de Marco Silva para a manutenção

O deslize com o Sunderland veio complicar significativamente as contas do sucesso para o treinador português, já que os últimos seis pontos serão disputados contra o Crystal Palace e o Tottenham Hotspur FC.

O embate frente ao conjunto londrino de Sam Allardyce vai ser decisivo, já que em caso de derrota ou empate basta uma vitória do Swansea frente ao Sunderland para deitar por terra as aspirações de Marco Silva. Contudo, mesmo que os Tigers superem o desafio da próxima jornada, terão o segundo classificado Tottenham a complicar a sua vida, uma vez que perder com os Spurs significa que o Swansea precisa apenas de uma vitória nestes próximos dois jogos para assegurar a manutenção.

Esta análise aos eventuais cenários da luta pela manutenção na Premier League poderia ser mais extensa mas levaria sempre à conclusão de que o Hull City está fortemente dependente do que acontecer nos jogos do conjunto galês. Portanto, para terminar e simplificar a análise, vejamos o futuro dos Tigers à luz dos possíveis acontecimentos da próxima jornada e tendo em conta o cenário final mais provável que é o de não pontuar frente ao Tottenham Hotspur: em caso de derrota frente ao Crystal Palace é relegado ao segundo escalão do futebol inglês; na eventualidade de um empate, precisa que o Swansea City perca todos os jogos, já que os Tigers levam vantagem no confronto direto e acabariam com os mesmo pontos; em caso de vitória, terá de esperar que o Swansea City não vença nenhum jogo, podendo empatar dois.

Resumindo, Marco Silva terá a vida muito complicada agora que depende de terceiros, uma vez que se encontra numa situação em que até mesmo fazendo o impossível poderá ser despromovido.

Cámi Rodrigues

Licenciado em Ciências da Comunicação pela Universidade Nova de Lisboa e Mestre em International Management pela Nova School of Business and Economics. 22 anos e residente na Amadora. Mais conhecido por Cámi.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.