FC Porto – O que esperar destas quatro finais?

O FC Porto voltou a não aproveitar novo deslize do primeiro classificado, SL Benfica, ao empatar novamente em casa, desta feita frente ao Feirense, numa noite sem golos.

A distância em relação aos encarnados permanece assim nos três pontos e o cerco aos azuis e brancos começa a apertar cada vez mais quando faltam apenas quatro jornadas para o fim do campeonato.

Vejamos o que esperar dos embates com o GD Chaves, CS Marítimo, FC Paços de Ferreira e Moreirense FC.

GD Chaves x FC Porto (29/04/2017)

 

 

O FC Porto vai encontrar na próxima jornada um Chaves em plena e abrupta quebra de rendimento: desde 24 de fevereiro que apenas venceu um jogo para a liga, empatou outro e perdeu cinco.

Se compararmos este Chaves da segunda volta do campeonato com o Chaves da primeira volta, encontramos uma equipa com um rendimento significativamente diferente: nos primeiros 13 jogos da primeira volta somou 19 pontos e apenas perdeu duas vezes (frente ao Braga e Benfica), ao passo que na segunda volta somou 13 pontos e já perdeu sete vezes.

Espera-se assim um Chaves consideravelmente mais debilitado do que aquele que eliminou o Sporting da Taça de Portugal e chegou a ameaçar chegar aos lugares europeus. No entanto, é de salientar que esta quebra de rendimento não se estende à performance em casa, onde os flavienses perderam apenas duas vezes esta época (SL Benfica e Vitória SC).

CS Marítimo x FC Porto (06/05/2017) 

 

 

Provavelmente o jogo mais complicado dos quatro que os azuis e brancos têm pela frente. Ao contrário do GD Chaves, o Marítimo apresenta agora um desempenho significativamente melhorado dentro das quatro linhas quando comparado ao registado em período homólogo da primeira volta do campeonato. Os madeirenses registam apenas duas derrotas desde o começo da segunda volta, enquanto nos primeiros 13 jogos da primeira sofreram sete derrotas.

Para além disto, o Marítimo tem motivações muito fortes para entrar com tudo neste embate, já que também tem pela frente quatro finais na sua luta pelo acesso às competições europeias. Está neste momento a quatro pontos do Braga com 12 pontos ainda por disputar até o cair do pano. De salientar ainda que o Marítimo apenas perdeu duas vezes em casa para a liga e a última vez foi a 11 de setembro, tendo roubado pontos a Sporting e Benfica.

FC Porto x FC Paços de Ferreira (14/05/2017)

 

 

O FC Porto não guarda boas recordações da visita à Capital do Móvel, onde empatou a zero bolas esta época. O cenário terá de ser diferente no Dragão, uma vez que mais um deslize nesta altura pode deitar por terra todas as ambições dos azuis e brancos.

Nesta segunda volta, até agora, o FC Paços de Ferreira apresenta uma performance algo equilibrada, com apenas quatro derrotas em 13 jogos, embora três vitórias apenas. Confrontando estes dados com a performance do FC Porto em casa, é expectável que o FC Porto saia vitorioso do confronto, já que agora conta também com Tiquinho Soares para ajudar a resolver a eficácia que faltou no jogo da primeira volta.

Resta averiguar o desenrolar das duas jornadas antecedentes para perceber melhor o que esperar deste jogo.

Moreirense FC x FC Porto (21/05/2017)

 

 

Aqui, muito vai depender da entrega ao jogo que o Moreirense terá de dar consoante a sua situação na tabela classificativa à data do jogo. É escusado apresentar qualquer dado estatístico que comprove a baixa performance da equipa de Moreira de Cónegos ao longo desta época, já que se encontra a meros dois pontos da despromoção. Para além disto, há duas jornadas atrás, o Moreirense vinha de 10 jogos sem qualquer vitória, tendo apenas quebrado o jejum no embate dessa jornada com o último classificado, Nacional.

Adivinha-se como o jogo mais fácil de entre os quatro ainda por disputar pelos azuis e brancos, especialmente se o Moreirense entrar com a manutenção garantida. No entanto, o FC Porto terá de jogar na força máxima porque no futebol tudo pode acontecer e este Moreirense já provou isso mesmo esta época.

Cámi Rodrigues

Licenciado em Ciências da Comunicação pela Universidade Nova de Lisboa e Mestre em International Management pela Nova School of Business and Economics. 22 anos e residente na Amadora. Mais conhecido por Cámi.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.