Dean Henderson, o futuro dono das redes inglesas

Nome: Dean Bradley Henderson

Data de nascimento: 12/03/1997

Altura: 1.88m

Posição: Guarda-redes

Pé preferencial: Direito

Nacionalidade: Inglesa

Clube: Sheffield United

 

Esta semana, a “Jovem Promessa” é o guarda-redes sensação desta época na Premier League e um dos protagonistas da inesperada campanha de sucesso dos recém-promovidos Sheffield United, Dean Henderson.

O jovem guarda-redes inglês é um produto da formação do Manchester United, emprestado esta época ao clube de Sheffield pela segunda época consecutiva, após rodar pelo Shrewsbury Town, Grismby Town e o Stockport.

Aos 23 anos, Dean Henderson está a afirmar-se com um dos melhores guarda-redes na primeira divisão inglesa e um candidato sério à baliza da seleção nacional, com concorrência perfeitamente ao seu nível (Pickford, Pope, Heaton).

Os números falam por si próprios. Esta temporada, Henderson disputou 27 partidas na Premier League, dez das quais completou sem sofrer golos, tem uma média de 0.8 golos sofridos por jogo e de 2.6 defesas por jogo, com uma taxa de sucesso de 76%.

A defesa do Sheffield é um dos pontos fortes da equipa. São a segunda equipa com menos golos sofridos no campeonato, 25, apenas atrás dos líderes Liverpool, com 21. Há muito mérito na disiplina e na organização tática do conjunto de Chris Wilder, mas Henderson foi o fator decisivo inúmeras vezes.

Quando regressar ao seu clube original, Henderson tem pesada concorrência para a posição, com David De Gea dono e senhor da baliza dos “red devils” e Sergio Romero logo atrás na hierarquia enquanto suplente de luxo.

O seu treinador, Chris Wilder afirmou pouco antes da paragem do futebol internacional que o jovem ia ser convocado para a seleção A pela primeira vez, após Henderson atrair a atenção do mundo inteiro com uma tripla defesa incrível diante do Norwich. O momento chegará certamente no futuro.

Possivelmente podem continuar os empréstimos, algum clube de topo decida confiar no jovem ou até o próprio Sheffield decida investir nele e assegurar os seus serviços permanentemente. Seja como for, Henderson tem um futuro risonho pela frente, tanto ao nível de clubes como pelo seu país.

José Horta

Não nasci a gostar de futebol, mas quando comecei nunca mais quis outra coisa. Algarvio de nascença mas adepto do futebol para além daquele que se joga na praia. Sempre atento aos contornos e novidades do "Desporto Rei", "Beautifull Game" ou lhe quiserem chamar. Aluno universitário de Ciências da Comunicação na FCSH.