Christopher Nkunku, o canivete suíço do Leipzig

Nome: Christopher Alan Nkunku

Data de nascimento: 14/11/1997

Posição: Médio centro/ofensivo

Pé preferencial: Direito

Nacionalidade: Francesa

Clube: RB Leipzig

 

Esta semana a jovem promessa chega-nos da Alemanha. Numa equipa com jovem talento para sustentar esta rubrica por meses, o RB Leipzig apresenta um dos plantéis mais entusiasmantes da Europa pela grande margem de progressão que os seus atletas demonstram, aliado a um nível já alto de rendimento.

Christopher Nkunku é o eleito. O médio francês chegou à equipa alemã no passado mercado de verão, a troco de 13 milhões, proveniente do seu clube de formação, o Paris Saint Germain.

Nunca é fácil ter minutos numa equipa cheia de estrelas como o PSG, e Nkunku já integrava a equipa A desde 2015, mas sempre utilizado esporadicamente. A aposta no RB Leipzig para ter mais minutos foi, sem dúvida, uma boa escolha.

Inicialmente na sua carreira, Nkunku desempenhava um papel mais conservador no meio-campo, um médio transicional com um bom passe e toque de bola, à imagem do “box-to-box” tradicional. Contudo, como tem acontecido notavelmente nos últimos meses, floresceu ao subir no terreno, surgindo como uma espécie de médio ofensivo flutuante no ataque, alternando entre o ataque pelos corredores ou pelo meio.

O esquema tático do seu treinador, Julien Naggelsman, previlegia a mobilidade e pressão alta, abrindo espaços nas defesas contrárias pela intensidade com que os seus homens recuperam a bola e se movimentam nos diferentes espaços do terreno, explorando frequentemente a profundidade.

Nkunku integra-se neste esquema como um dos homens que ocupa a zona média do terreno na aproximação ao último terço adversário. O meio-campo do Leipzig alterna entre uma composição a quatro ou a cinco mas Nkunku assume maioritariamente uma das posições mais ofensivas no apoio ao ponta de lança (um ou dois), com algumas utilizações ocasionais encostado às laterais.

Um possível conhecido dos portugueses este ano, pois defrontou o Benfica na fase de grupos da atual edição da Liga dos Campeões, jogando até como um segundo avançado (e bem) na partida em que os alemães resgataram um empate tardio diante dos encarnados.

A polivalência do médio é um dos seus pontos mais fortes, olhando para o seu trajeto no clube, Nagelsmann beneficiou imenso da adaptabilidade do jogador, característica essencial para os seus esquemas táticos, colocando-o em todas as posições do setor ofensivo do meio-campo, tanto no espetro vertical como no horizontal do campo.

O francês tem golo, já leva quatro marcados no campeonato, mas o seu maior contributo à equipa são as assistências. Na Bundesliga tem 12, quatro delas vieram de uma só partida diante do Schalke 04, totalizando assim numa contribuição direta para 16 golos, em 23 utilizações (foi titular apenas 15 vezes).

O bom passe de Nkunku é evidente por números como as 11 grandes chances que criou que não deram golo no campeonato e os três passes chave que executa em média por partida. Tem um bom dribble, capacidade de pressão e resistência. Um jogador muito completo e um verdadeiro canivete suíço do ataque, capaz de criar lances de grande perigo a partir de muito pouco.

Pouco a pouco conquistou a sua titularidade na equipa do Leipzig, que conta agora com mais uma jovem estrela francesa, capaz de render imensos milhões num futuro próximo, garantindo bom futebol enquanto estiver ao serviço do clube.  Os 13 milhões dados ao PSG parecem verdadeiramente uma pechincha.

José Horta

Não nasci a gostar de futebol, mas quando comecei nunca mais quis outra coisa. Algarvio de nascença mas adepto do futebol para além daquele que se joga na praia. Sempre atento aos contornos e novidades do "Desporto Rei", "Beautifull Game" ou lhe quiserem chamar. Aluno universitário de Ciências da Comunicação na FCSH.