Inter de Milão desiste da Youth League para proteger jogadores da epidemia de Covid-19

Itália tem sido um dos países europeus mais afetados pela alastração do novo surto de coronavírus, o Covid-19, e isso tem-se feito sentir nas várias áreas, não escapando o desporto.

Nas últimas semanas, tem-se visto vários jogos dos principais campeonatos e competições italianas a serem adiados ou jogados à porta fechada – como foi o caso da partida entre a Juventus e o Inter de Milão, para a Serie A, que foi jogada este domingo – mas as medidas dos clubes transalpinos não vão ficar por aqui.

Esta segunda-feira, o Inter de Milão anunciou em forma de comunicado, que irá desistir da sua participação nesta edição da UEFA Youth League, conhecida como a Liga dos Campeões dos mais novos, por forma a proteger jogadores e funcionários da epidemia de Covid-19.

Esperava-se que a formação italiana defrontasse esta quarta-feira o Rennes, em jogo a contar para os oitavos-de-final da competição, mas com esta desistência o clube perde assim automaticamente por 3-0, passando os franceses à próxima fase.

A decisão do clube visa proteger a saúde dos jogadores, que são menores, e funcionários. Reconhecemos a grande importância da competição, e estamos cientes que a não presença resulta automaticamente numa derrota por 3-0, mas foi decidido não jogar“, explicou o Inter.

Além de ter desistido da competição, os nerazzurri suspenderam toda a atividade das suas equipas de formação.

A epidemia de Covid-19 já provocou mais de 3800 mortes em todo o mundo, contando com mais de 110 mil infetados em mais de uma centena de países. No total, mais de 62 mil recuperaram da epidemia. A Itália é o caso mais grave ao nível europeu, contando com 366 mortes e mais de sete mil contaminados, enquanto em Portugal foi confirmado esta segunda-feira o 31º caso positivo do vírus.

Francisco Carvalho

Desde tenra idade que duas paixões me cativaram, desporto e a escrita, sendo a sua união o cenário ideal. Cedo percebi que com esforço e dedicação poderia juntar uma paixão a uma profissão, sendo o jornalismo a resposta. Numa geração onde a banalização e a desvalorização da informação são recorrentes, quero mostrar a relevância do mundo jornalístico em toda esta sociedade cativante que nos rodeia.