Liga dos Campeões: Nápoles empata Barcelona e eliminatória será decidida na Catalunha

O Nápoles recebeu a turma de Lionel Messi e companhia no Estádio San Paolo e conseguiu montar uma boa estratégia tática que garantiu o empate entre as duas formações. Mertens e Griezmann fizeram os golos que levam a eliminatória em aberto para Camp Nou.

A partida começou e cedo se percebeu qual seria a dinâmica da mesma. O Barcelona assumiu a posse de bola, como lhe é bem característico, o Nápoles assumiu isso mesmo, juntou linhas, baixou a equipa e foi procurando criar perigo através do contra-ataque rápido do seu trio ofensivo: Insigne, Calléjon e Mertens.

O bloco baixo e coeso napolitano dificultou a criação de oportunidades dos visitantes nos primeiros minutos, que nada mais iam conseguindo do que alguns remates de fora da área que iam embatendo na defensiva italiana ou iam direto para a bancada.

A teia defensiva do Nápoles funcionou de tal forma que a equipa do português Mário Rui chegaria mesmo ao golo. Após um período onde controlaram a posse de bola, Zielinski aproveitou um erro enorme de Junior Firpo e avançou no terreno. Já à entrada da área colocou em Dries Mertens e aí o belga fez magia e com um grande remate colocado fez a bola entrar no canto esquerdo da baliza de Ter Stegen. 1-0 ao minuto 28.

Chegado o intervalo, o Barcelona demonstrava a mesma inconsistência do últimos tempos, que era visível pela falta de oportunidades criadas pelos catalães. Já o Nápoles, de Gennaro Gattuso, ia aproveitando a sua boa organização defensiva e ataque rápido para se colocar em vantagem na eliminatória.

Com o início dos segundos 45 minutos, a dinâmica do encontro não mudou muito, com o Barcelona a assumir novamente a posse de bola e a encostar no seu meio-campo o Nápoles, mas as oportunidades continuam a ser inexistentes. Ao minuto 52, mais um contra-tempo para os catalães, com Sérgio Busquets a ver amarelo e a falhar assim a segunda mão.

Apesar destes contra-tempos, o tiki-taka veio ao de cima e, ao minuto 57, Busquets encontrou Nélson Semedo entre linhas e o lateral português fez um passe rasteiro para Antoine Griezmann, que só teve que encostar para o 1-1. Jogo novamente em aberto em Nápoles.

O golo catalão não abalou a formação italiana, que quase voltou à vantagem apenas quatro minutos depois, após uma jogada individiual magnífica de Lorenzo Insigne. O avançado transalpino ultrapassou dois defesas na ala esquerda, um deles Umtiti com um túnel, e já dentro da área rematou forte para uma boa defesa de Ter Stegen.

Logo no minuto seguinte, aos 62, o guardião alemão esteve novamente em grande. Milik, que entrou para o lugar de Mertens ainda antes do golo do Barcelona, encontrou Callejón na direita e, na cara de Ter Stegen, o extremo espanhol tremeu e não conseguiu marcar.

O golo catalão abriu o jogo e foram surgindo algumas oportunidades de parte a parte. Do lado napolitano, Callejón caiu dentro da área e todo o estádio pediu penalti minutos depois do golo do Barcelona. Já o Barcelona teve na cabeça de Umtiti uma grande oportunidade ao minuto 75, mas o francês atirou por cima.

O jogo foi ficando cada vez mais partido com o aproximar do fim e Lionel Messi até deliciou os fãs com algumas das suas famosas arrancadas recheadas de fintas e dribles, mas o resultado não mais se alterou até ao final. O grande destaque foi para um lance mais aceso entre Arturo Vidal e Mário Rui, que resultou na expulsão do médio chileno por duplo amarelo, um pela falta e outro pela reação, sendo este mais uma baixa para a segunda mão. Também Piqué teve que ser substituído já no tempo de compensação por lesão, ficando a dúvida quanto à gravidade da mesma.

Nápoles e Barcelona empataram assim a uma bola no San Paolo e decidirão a eliminatória na segunda mão, em Camp Nou, a 18 de março.

Francisco Carvalho

Desde tenra idade que duas paixões me cativaram, desporto e a escrita, sendo a sua união o cenário ideal. Cedo percebi que com esforço e dedicação poderia juntar uma paixão a uma profissão, sendo o jornalismo a resposta. Numa geração onde a banalização e a desvalorização da informação são recorrentes, quero mostrar a relevância do mundo jornalístico em toda esta sociedade cativante que nos rodeia.