Bomba de Alex Telles oferece liderança aos dragões

Pela primeira vez desde Outubro, o Porto ocupa a liderança do campeonato. Mesmo que seja de maneira provisória, os dragões alcançaram o topo da tabela e foi preciso suar (e muito) para alcançar tal feito. Alex Telles vestiu a capa de herói, disparou uma bomba já nos minutos finais e assegurou os três pontos.

“Sofrimento” foi a palavra de ordem, hoje, no Estádio do Dragão. Os 40 mil espectadores presentes foram presenteados com uma vitória muito sofrida, mas saborosa. Após terem sobrevivido na Alemanha na passada quinta-feira, a receção ao Portimonense rapidamente se tornou num daqueles jogos em que “vai acabar por entrar”.

Sérgio Conceição apenas realizou uma mudança no onze, com a entrada de Otávio, e por isso seria de esperar que a equipa entrasse forte, resolvesse cedo e impedisse que o cansaço atrapalhasse os objectivos da mesma. Porém, foi isso mesmo que aconteceu.

A primeira parte teve um nível muito baixo. Os azuis e brancos possuíam o domínio total da partida e raramente deixavam os algarvios terem bola. Esse domínio, no entanto, não se traduzia em oportunidades de perigo. O Porto teve imensas dificuldades em encontrar espaços na defensiva do Portimonense e conforme os minutos foram passando, os homens de Paulo Sérgio foram começando a ficar mais confortáveis na partida.

Aliás, a soberana oportunidade de golo do primeiro tempo pertenceu aos algarvios. Falta de Uribe sobre Jackson Martínez dentro da área e pénalti assinalado por Hugo Miguel. Na cobrança, o ex-avançado do Porto vacilou e atirou por cima da baliza de Marchesín. Muita sorte para os vice-campeões nacionais que, sendo assim, foram empatados para o intervalo.

Na segunda metade, a preocupação dos adeptos portistas começou a ser notória. O relógio não parava e as dificuldades no ataque portista mantinham-se. Sérgio Conceição lançou Zé Luís e Nakajima com o intuito de abanar a partida, mas a mudança não correspondeu às expectativas do técnico azul e branco.

Entrávamos nos derradeiros dez minutos e o nulo mantinha-se. O desespero começava a aparecer na cara dos jogadores do Porto e as más decisões começaram a amontoar-se. Era preciso um milagre para que os portistas conseguissem desfazer esse nulo… e foi isso mesmo que aconteceu. Aos 87 minutos, numa jogada de insistência dos dragões, Alex Telles disparou uma bomba do meio da rua e deu a vitória ao Porto. Com este golo, o lateral brasileiro tornou-se no melhor marcador azul e branco no campeonato, com 8 golos.

Vitória arrancada a ferros. Quando já se esperava o pior, Alex Telles fez o Dragão entrar em erupção e ofereceu a liderança aos 40 mil adeptos presentes no estádio. Resta esperar para ver o que irá fazer o Benfica amanhã em Barcelos, para percebermos se a liderança volta para a capital ou fica na Invicta.

Daniel Sousa

Nascido e criado na Ilha da Madeira e neste momento a estudar Ciências da Comunicação na FCSH. Com um gosto enorme pelo futebol e pela escrita, está sempre aberto a novos desafios.