Jovem Promessa – Riqui Puig

Nome: Ricard Puig Martí

Data de nascimento: 13 de Agosto de 1999 (20 anos)

Altura: 1,69 m

Posição: Médio-centro

Pé preferencial: Direito

Nacionalidade: Espanhola

Clube: FC Barcelona / FC Barcelona B

A Jovem Promessa da semana é um dos jovens da famosa “La Masia”, academia do Barcelona, e um dos nomes que promete muito no seio do clube catalão, à imagem dos seus antepassados como Iniesta, Xavi… 

Riqui Puig está a viver o sonho de qualquer jovem catalão, que integra as camadas jovens do clube da região, o colosso histórico que é o FC Barcelona. Intercalando entre a equipa B e a principal, Puig vai entrando, gradualmente na rotação de alta competição dos catalães.

O cenário está agora mais favorável do que nos últimos anos para o jovem, pela mudança de treinador em Camp Nou. Ernesto Valverde, recentemente despedido, era criticado por abandonar o estilo universalmente reconhecido ao Barcelona de posse de bola e tiki-taka no meio-campo, optando por um estilo mais pragmático e menos vistoso.

Médios como Riqui Puig são feitos à medida do futebol de Guardiola, Luís Enrique, e agora, Quique Setién. O técnico tem um passado marcadamente reconhecido pelo futebol de posse que as suas equipas praticavam, especialmente no caso do Real Bétis e o Barcelona está a seguir o mesmo caminho.

O médio espanhol, aos 20 anos, não conhece nenhum clube sem ser o FC Barcelona e fez a sua estreia pela equipa A a 5 de Dezembro de 2018, diante do Cultural Leonesa, entrando aos 55 minutos e assistindo o quarto golo dos blaugrana.

Na presente temporada, Puig tem 17 jogos na Segunda Divisón B, onde o FC Barcelona B joga, com dois golos e três assistências, e duas partidas com a equipa principal, uma como suplente utilizado, na LaLiga e outra a titular, na Copa Del Rey.

Como referido antes, o jovem claramente estava a ficar de parte com o técnico anterior, mas nos primeiros três jogos de Quique Setién, foi utilizado duas vezes, um ótimo indicador para o futuro.

Riqui Puig personifica aquilo que gerações de jogadores da La Masia têm dado ao futebol ao longo dos anos. Toque de bola sensacional, um olho para o passe e uma grande inteligência de jogo. As suas características remetem mais para um médio do estilo de Iniesta pela sua mobilidade e capacidade de transporte de bola, com um dribble vertiginoso e um equilíbrio notável em posse.

Também eficiente no desarme e capaz de ter uma boa chegada à área, Riqui Puig está no seu “habitat natural” quando joga no meio do terreno, numa posição de 8, box-to-box, mais tradicional. Jogar e fazer jogar, como se diz.

Aos 20 anos, o ADN dos blaugrana é mais que óbvio no jogador, contudo, tem tido dificuldade em afirmar-se na equipa principal, acima de tudo pela questão do treinador. Talvez um empréstimo fosse benéfico para o seu desenvolvimento. No entanto, é evidente que já tem muito a acrescentar a este Barcelona, especialmente com o envelhecimento dos pilares do meio-campo, Busquets, Rakitic, Vidal…

Setién pode ser o homem certo para lançar Puig no onze inicial mais vezes, e ele certamente parece estar pronto. Nos últimos anos, os jogadores da casa têm tido mais dificuldade em impôr-se na equipa principal do Barcelona, algo que é um motivo de orgulho no clube e um dos alicerces da sua história. Riqui Puig pode ser um dos primeiros a quebrar este ciclo negativo, e reerguer o orgulho de “La Masia”.

José Horta

Não nasci a gostar de futebol, mas quando comecei nunca mais quis outra coisa. Algarvio de nascença mas adepto do futebol para além daquele que se joga na praia. Sempre atento aos contornos e novidades do "Desporto Rei", "Beautifull Game" ou lhe quiserem chamar. Aluno universitário de Ciências da Comunicação na FCSH.