Históricos: Porto vs Schalke

Na rúbrica “Históricos” desta semana recordamos a partida em que Manuel Neuer se deu a conhecer ao mundo do futebol, enquanto destruiu os sonhos dos adeptos portistas.

O ano era 2008. O Porto dominava por completo o futebol português e as suas prestações europeias orgulhavam os seus adeptos. Depois de uma fase de grupos de grande nível, em que a equipa alcançou o primeiro lugar, batendo o Liverpool, o Marselha e o Besiktas para lá chegar, as expectativas estavam lá em cima.

Expetativas essas que subiram ainda mais quando o sorteio ditou que o adversário dos oitavos de final seria o Schalke 04. Uma formação com qualidade, tal como todas que chegam a esta fase da competição, mas muito ao alcance dos, na altura, bicampeões portugueses.

Quatro anos depois da conquista da liga milionária, os adeptos portistas voltavam a sonhar. No entanto, o regresso ao local em que haviam sido felizes anos antes não foi o esperado. Os azuis e brancos saíram de Gelsenkirchen derrotados por uma bola a zero, devido a um golo de Kevin Kurányi.

A formação de Jesualdo Ferreira estava em desvantagem na eliminatória, mas a segunda mão, disputada no Estádio do Dragão, era vista por todos como a oportunidade perfeita para o Porto dar a volta ao resultado e seguir a sua caminhada na competição.

O ambiente no terreno dos dragões era espectacular e digno de um embate daquele nível. 3000 adeptos viajaram da Alemanha para apoiar o Schalke e os adeptos portistas trataram de encher aquilo que restava do recinto.

O Porto era favorito e, desde o início da partida, que jogou como tal. Porém, encontraram pela frente um jovem guarda-redes que, nesse dia, levou as hostes azuis e brancas ao desespero. Manuel Neuer era o guardião da equipa alemã e realizou uma das melhores exibições da sua carreira.

Com 15 minutos de jogo, a formação da invicta já havia rematado por 7 vezes e obrigado Neuer a várias intervenções de alto nível. O Porto tentava encontrar, de todas as maneiras possíveis, o golo que empataria a eliminatória, mas não estava fácil de o conseguir. A equipa alemã desde cedo que mostrou a sua estratégia, com o bloco muito baixo e a apostar, principalmente, em saídas em contra-ataque.

Os comandados de Jesualdo Ferreira começaram a perder fulgor e, apesar do domínio demonstrado, chegaram ao intervalo ainda em desvantagem na eliminatória. Na segunda metade, foram mais 45 minutos de Neuer contra o mundo.

Manuel Neuer foi o herói da partida, para os alemães.

Defesa atrás de defesa, o futuro melhor guarda-redes do futebol mundial levava as bancadas ao desespero. Lisandro López, Ricardo Quaresma, Tarik Sektioui e Lucho González assumiam-se como as principais armas ofensivas dos dragões, mas não conseguiam bater Neuer.

Conforme o tempo ia passando, a preocupação da massa associativa do Porto ia aumentando e quando, aos 82 minutos, Fucile foi expulso, a esperança quase morreu. A equipa ficava reduzida a 10 unidades e tinha menos de 10 minutos para conseguir, pelo menos, empatar a eliminatória. Contudo, quando já poucos acreditavam, Lucho González assistiu Lisandro López e o avançado argentino disparou uma bomba que destruiu a muralha de Neuer.

A eliminatória estava empatada, o Dragão entrou em ebulição e, apesar da inferioridade numérica, a confiança azul e branca estava no topo.

O jogo foi para prolongamento e, como é normal, o ritmo de jogo baixou e as oportunidades não foram tão abundantes como no tempo regulamentar. No entanto, a melhor de todas pertenceu, mais uma vez, ao Porto. Aos 102 minutos, Quaresma isolou-se e, perante Neuer, tremeu e permitiu a defesa ao gigante alemão. Os adeptos portistas foram ao desespero com esse falhanço incrível de Ricardo Quaresma.

Ricardo Quaresma teve nos pés a melhor oportunidade do encontro, mas não conseguiu bater o guardião alemão.

Ninguém conseguiu desempatar as contas em jogo jogado, por isso rumámos às grandes penalidades. Aí, Neuer foi, mais uma vez, enorme. Lucho até iniciou da melhor forma, mas Bruno Alves e Lisandro viram os seus remates serem parados por Neuer e a equipa portista acabou derrotada por 1-4 nos penáltis.

O sonho europeu dos dragões, nessa temporada, terminou aí. A exibição de Neuer foi quase perfeita e foi nessa partida que mostrou ao mundo toda a sua qualidade. Na época seguinte o guardião rumou ao Bayern e o resto é história.

Daniel Sousa

Nascido e criado na Ilha da Madeira e neste momento a estudar Ciências da Comunicação na FCSH. Com um gosto enorme pelo futebol e pela escrita, está sempre aberto a novos desafios.