Crónica – Benfica arranca vitória aos 89 de Aves heróico

O Benfica recebeu o CD Aves no encontro relativo à 16ª jornada da Liga NOS.  A partida teve início às 19h e foi arbitrada por Carlos Xistra.

Bruno Lage deu a titularidade a: Vlachodimos, André Almeida, Rúben Dias, Ferro, Grimaldo, Pizzi, Weigl, Gabriel, Jota, Chiquinho e Seferovic.

Nuno Manta lançou: Beunardeau, Dzwigala, Falcão, Bruno Morais, Ricardo Mangas, Yamga, Estrela, Reko Silva, Banjaqui, Rúben Oliveira e Mohammadi.

A estreia de Weigl e o regresso de André Almeida e Seferovic à titularidade marcaram as escolhas nos onzes para esta partida.

O Benfica iniciou a partida com mais posse, mas o Aves rapidamente conseguiu explorar algumas falhas defensivas, especialmente pelo lado esquerdo, criando perigo desde cedo.

A eficácia da equipa da Vila das Aves foi preponderante nesta primeira parte, com Mohammadi a abrir o marcador ao minuto 20, boa jogada pelo lado esquerdo, fuzilando a baliza de Vlachodimos. Importante referir que este era o primeiro golo sofrido em casa do Benfica desde o encontro com o Porto, na terceira jornada.

Os encarnados procuraram responder ao golo sofrido, tentando criar mais chances através de bolas longas e lançamentos rápidos, notando-se ainda alguma lentidão na recuperação de bola, mérito também do bom controlo de bola dos homens do Aves.

As chances foram-se acumulando à medida que a primeira parte ia chegando ao fim. A falta de eficácia dos encarnados ficou patente nesta fase do jogo, especialmente por Seferovic e Jota, com nota também para a ótima primeira parte de Beunardeau.

O crescimento na partida dos homens de Bruno Lage não chegou para conseguir o empate no primeiro tempo, e após três minutos de compensação, ficou marcado o resultado ao intervalo, vantagem de um golo para o Aves.

Ao intervalo, Bruno Lage efetuou a primeira substituição do jogo, retirou Jota e lançou Vinícius na partida.

No início do segundo tempo, Carlos Xistra assustou os encarnados, expulsou André Almeida, mas reviu a decisão com apoio do VAR, mantendo o capitão do Benfica em campo, atribuindo-lhe apenas um cartão amarelo.

Os encarnados começavam a jogar quase exclusivamente no meio-campo do Aves, mas com dificuldades em criar chances de verdadeiro perigo e em marcar as poucas que tinha. Cervi tomou o lugar do reforço Weigl, ao minuto 61.

Em resposta, Nuno Manta colocou Claudio Tavares no lugar de Dzwagala, ao minuto 66.

Os números de posse de bola, remates e cantos iam crescendo para o Benfica, mas o golo ainda estava longe. Foi através de um penalti conquistado por Vinicius que chegou o empate, convertido por Pizzi ao minuto 76.

Wellinton Junior entrou para o lugar de Reko Silva ao minuto 84, mas o Aves não conseguiu resistir à pressão encarnada durante muito mais tempo.

Vinicius em destaque outra vez, assiste André Almeida que marcou o golo da vitória aos 89 minutos, com um remate à queima-roupa que bateu o guarda-redes francês do Aves, que fez um grande jogo.

O Aves ainda tentou gelar a Luz, pressionando intensamente nos últimos minutos, o árbitro deu cinco de compensação, entrando Miguel Tavares para o lugar de Rúben Oliveira e Andreas Samaris para o lugar de Haris Seferovic, ao minuto 93.

Após o susto, o Benfica aumenta a sua vantagem face ao segundo classificado, o Porto, aguardando que os dragões disputem a sua partida com o Moreirense. O Aves continua com seis pontos, no último lugar da tabela, sete pontos menos que o penúltimo classificado, o Portimonense.

 

 

José Horta

Não nasci a gostar de futebol, mas quando comecei nunca mais quis outra coisa. Algarvio de nascença mas adepto do futebol para além daquele que se joga na praia. Sempre atento aos contornos e novidades do "Desporto Rei", "Beautifull Game" ou lhe quiserem chamar. Aluno universitário de Ciências da Comunicação na FCSH.