UEFA destaca seis portugueses entre os 50 jovens a ter em atenção em 2020

A UEFA divulgou esta quinta-feira a lista das 50 jovens promessas a ter em atenção neste novo ano de 2020 e não se esqueceu dos talentos portugueses, tendo incluindo seis na mesma.

Numa lista recheada de jovens talentos que prometem (ou já estão a) surgir no panorama mundial do futebol, o Benfica e o FC Porto surgem com dois jogadores cada. Também o Sporting de Braga surge representado na lista.

Do lado das águias, o organismo que rege o futebol europeu destacou “o polvo” Florentino Luís e Tomás Tavares, que chega a ser mesmo comparado a Thomas Meunier, lateral direito belga do PSG.

Quanto aos dragões, esses surgem representados pelo avançado Fábio Silva, que tem vindo a fazer história ao serviço do clube azul e branco e é já o mais jovem estreante e marcador do clube na Primeira Liga, e ainda o também lateral direito Tomás Esteves. Quanto a este último, a UEFA destaca que já foram mesmo rejeitadas ofertas de grandes tubarões europeus como o Barcelona e o Manchester City.

A terceira formação portuguesa representada na lista é o Sporting de Braga. Os minhotos colocam na lista o nome do avançado Francisco Trincão, que tem vindo a ser destaque nesta temporada. “Agora internacional sub-21, o médio ofensivo foi campeão europeu de sub-19, e tem técnica, equilíbrio e um gosto pelo golo espetacular“.

O último português a fazer parte da lista não figura na Liga NOS, mas sim na Serie A italiana. Trata-se de Rafael Leão, avançado do AC Milan, que a UEFA refere que já chegou a ser apelidado de “Mbappé português”.

Para além destes seis talentos lusos, a lista conta com grandes nomes do futebol mundial, como é o caso de Ansu Fati (Barcelona), Mason Greenwood (Manchester United) ou Eduardo Camaviga (Rennes).

Francisco Carvalho

Desde tenra idade que duas paixões me cativaram, desporto e a escrita, sendo a sua união o cenário ideal. Cedo percebi que com esforço e dedicação poderia juntar uma paixão a uma profissão, sendo o jornalismo a resposta. Numa geração onde a banalização e a desvalorização da informação são recorrentes, quero mostrar a relevância do mundo jornalístico em toda esta sociedade cativante que nos rodeia.