A carta ao Pai Natal de figuras do futebol

Na rubrica de “Opinião” desta semana, analisamos o que os clubes, treinadores ou jogadores pediram ao Pai Natal, ou seja, vemos o que cada um destes protagonistas mais deseja.

 

  • Fernando Santos. Um bilhete de avião de Londres para Lisboa no dia 13 de Julho de 2020.

Fernando Santos ficou célebre por ter dito no Euro 2016, após os maus resultados no início da competição (os tão famosos empates na fase de grupos na competição), que só regressava a Portugal no dia 11 de Julho, dia posterior à final. Dito e feito. O selecionador efetivamente regressou no dia 11 e com a taça nas mãos. Que o mesmo se repita neste Euro. É, certamente, o desejo de Fernando Santos e de milhões de portugueses.

 

  • Sporting. Mais um avançado.

Começar a época com apenas um ponta-de-lança de raiz foi, na minha opinião, um erro crasso de planeamento por parte da direção leonina. Luiz Phellype, como já era de esperar, não iria conseguir ser titular em todos os jogos desde o verão até à janela de transferência de Janeiro. Com um avançado com as características de Pedro Mendes  nos sub-23, custa a crer que o jovem português não tenha, pelo menos, sido inscrito na Primeira Liga. Vietto também pode alinhar a ponta-de-lança, mas o argentino já demonstrou que prefere jogar da esquerda para o centro, logo, a meu ver, só em último caso é que deve jogar no centro da frente de ataque dos leões. Posto isto, apenas Luiz Phellype e Pedro Mendes (que deve ser inscrito nesta janela de transferências na Primeira Liga) continuam,  na minha opinião, a serem curtos para o Sporting, ou seja, os leões terão de se reforçar neste mercado. José Macías, internacional mexicano de 21 anos, tem visto o seu nome ser associado à turma de Alvalade e pode ser uma opção para reforçar o plantel em Janeiro.

  • Liverpool. Saúde.

Este ano, o Liverpool veste a pele do típico tio que todos temos que natal após natal “apenas” pede saúde para toda a família. Com 10 pontos de vantagem e menos um jogo que os rivais, o Liverpool este ano está a caminhar a passos largos para o título que tanto anseia, a Premier League. Apenas com lesões de peças fundamentais da equipa de Klop é que esta competição pode fugir, caso contrário e com todos os jogadores na sua forma habitual, parece-me que a Premier League ficará em Anfield.

 

  • Jorge Jesus. Um telefonema de um dos tais 5 clubes.

Apesar de estar a ser tratado como um Deus no Brasil e de ter ganho o Brasileirão e a Libertadores, o técnico português não esconde a vontade de ainda vir a treinar um tubarão europeu. JJ já afirmou “Sobre o mercado de trabalho, sei muito bem o que quero. Para trabalhar na Europa, eu abro a minha mão e vejo cinco possibilidades na Europa. Se não forem essas, eu não vou“. Jorge Jesus merece um grande do futebol europeu e o futebol europeu merece um grande treinador como Jorge Jesus. Seria o casamento perfeito.

 

  • Barcelona. Um Messi eterno.

O tempo vai passando por tudo e por todos e a idade não perdoa.”Vou medindo isso a cada ano, vejo se estou bem ou mal, se posso continuar ou não… Entramos numa idade onde as coisas começam a custar, é normal e lógico. Posso dizer 35, 36… E posso chegar a essa idade e já mal me mexer“, revelou o astro argentino a uma rádio do paísCom 32 anos, começam a surgir questões na Catalunha sobre quem irá suceder a Lionel Messi. Apesar de ainda ser relativamente cedo para falar e pensar sobre o assunto, ninguém parece capaz de fazer o que o camisa 10 faz em campo. Por agora, resta-nos aproveitar os últimos anos de um dos maiores jogadores da história e deixar essas preocupações para a direção do Barcelona.

 

  • Real Madrid. Liga Espanhola.

Neste momento, parece-me ser mais importante para o Real vencer a Liga Espanhola do que a Liga dos Campeões. Para além de achar que é mais necessário recuperar primeiramente o prestígio nacional do que o sucesso internacional, penso que, como é lógico, será mais fácil vencer a LaLiga do que a Champions. Esta conquista, derrubaria as ideias de que a equipa necessita de Ronaldo para ter sucesso e de que o Barcelona não tem, de momento, um rival à altura. Veremos o que acontece com o decorrer da época.

  • Manchester United. Erling Haaland.

Os Red Devils pediram o mesmo presente que mais de metade da Europa. Contudo, o clube e o jogador, na minha opinião, encaixam na perfeição. Este novo Manchester United é uma equipa excitante, com muitos jovens talentos, que no futuro podem dar um caso sério, tal como Haaland. Os que já lá estão, procuram reerguer o nome do clube, e com o ponta-de-lança norueguês a tarefa fica bem mais facíl. O projeto United, parece-me, de momento, aliciante para qualquer jovem jogador com talento; pode ser difícil, mas tem tudo para dar certo.

  • Atlético de Madrid. Edison Cavani.

O Atlético, apesar de continuar a defender como já nos habituou (melhor defesa da Liga Espanhola), ou seja, bem, não consegue atacar como conseguiu outrora (do 1º classificado ao 13º é o segundo pior ataque, com apenas 20 golos em 18 jogos), aliás, consegue atacar, não consegue é finalizar. São coisas diferentes. Esta equipa tem jogadores como João Félix e Morata, que marcam, criam e tratam bem a bola, mas não são matadores. O melhor finalizador desta equipa, na minha opinião, é Diego Costa, que de momento está lesionado e atravessa uma paragem de três meses. Por isso, penso que falta um matador como o uruguaio Edison Cavani. O avançado uruguaio acabou por perder espaço no PSG com a contratação de Mauro Icardi ao Inter de Milão. Acho que a adaptação seria rápida, pois, na minha opinião, o Atlético tem uma forma de jogar semelhante com a do Uruguai. Esta seria uma contratação interessante e que poderia fazer o clube de Madrid sonhar na LaLiga.

 

  • RB Leipzig. Bundesliga.

Este ano poderá ser o ideal para os pupilos de Julian Nagelsmann conquistarem a Bundesliga. De momento, o Leipzig está em primeiro lugar no campeonato alemão, liderando-o isoladamente com 37 pontos, mais dois do que o segundo classificado. O clube fundado em 2009, pode aproveitar a grande competitividade registada este ano na Bundesliga e a forma não tão avassaladora do Bayern. Com uma forma de jogar electrizante, o jovem treinador pode levar os seus jovens jogadores ao primeiro título da primeira divisão deste jovem clube.

  • Paris Saint-Germain. Champions League.

Falta esta competição ao clube francês para ser considerado um gigante europeu, na minha opinião. Farto de passear na Ligue 1, a formação de Paris vai atacar mais uma vez com todas as suas forças a maior prova de clubes do mundo. Recheada de craques, não é possível compreender como é que os comandados de Thomas Tuchel não chegaram mais longe nesta prova nas edições transatas. Após uma fase de grupos em que foram demolidores, registando um empate e cinco vitórias em seis jogos, o clube de Paris foi sorteado contra o Borussia de Dortmund, numa eliminatória que promete ser cheia de golos e emocionante.

 

  • Inter de Milão. Serie A.

A Serie A não sai de Turim desde a época de 2011/2012, será que é nesta época que a liga volta a Milão? O certo é que nesta temporada, o Inter está a mostrar um futebol bem superior ao que mostrava nas épocas passadas. De momento, está em primeiro lugar com os mesmos pontos que a Juventus. Com a dupla de ouro na frente de ataque de Lautaro Martinez e Romelu Lukaku, o Inter vai provar se realmente está na luta pelo título nas próximas duas jornadas, com dois jogos desafiantes frente ao Napoli e ao Atalanta. Antonio Conte e os seus jogadores vão fazer de tudo para trazer a liga a uma casa que ela bem conhece.

Sabemos que é difícil para o Pai Natal concretizar todos estes pedidos dos mais diversos protagonistas do desporto rei, mas caso não seja possível realizar estes desejos, ao menos que nos realize um, que nos traga bom futebol e momentos inesquecíveis, para continuarmos cada vez mais a amar esta modalidade. Um bom Natal e um feliz Ano Novo para todos.

Alexandre Ribeiro

Nascido e criado na ilha Terceira, nascido e criado para o futebol. Desde cedo aprendi, vivi e vibrei com o desporto rei. A licenciar-me em Ciências da Comunicação na FCSH da Universidade Nova de Lisboa. Com o futebol e a escrita espero proporcionar um espectáculo fora das 4 linhas para todos aqueles que partilhem o gosto pela bola e pelos seus artistas.