Vinícius e a arte de bem concretizar na goleada do Benfica

No regresso das competições nacionais, o Benfica recebeu e goleou o Marítimo na 12ª jornada do campeonato. Taarabt e Pizzi encheram o campo, mas foi Vinícius o homem em destaque, ao fazer um hat-trick na vitória das águias por 4-0.

O Benfica entrava em campo frente ao Marítimo na ressaca da eliminação da Liga dos Campeões e com a obrigação de vencer os madeirenses por forma a manter o primeiro lugar isolado no campeonato.

Bruno Lage entrou em campo com Vlachodimos; André Almeida, Rúben Dias, Ferro e Grimaldo; Gabriel e Taarabt; Pizzi, Chiquinho e Cervi; Vinícius.

Por sua vez, José Gomes, novo treinador do Marítimo e a fazer a sua estreia, entrou em jogo com Amir, Grolli, Getterson, Edgar Costa, Daizen, Rúben Ferreira, René Santos, Nanu, Vukovic, Pelágio e Marcelino.

Os insulares entraram forte na partida e em apenas seis minutos puseram por três vezes Vlachodimos à prova, mas o guardião grego a estar sempre atento.

Contudo, quem não marca, sofre e isso confirmou-se. André Almeida cruzou da direita para Vinícius, que segurou muito bem a bola dentro do coração da área, rodou, amorteceu para Pizzi e o médio das águias encostou para o primeiro golo do jogo. No seu jogo número 250, Pizzi a fazer o seu 15º golo da temporada e o 1~0 na Luz.

Apenas 10 minutos passaram e os papéis inverteram-se. Chiquinho deixa em André Almeida na direita, o capitão mete na entrada da área para Taarabt e o médio marroquino a fazer um grande passe de primeira a rasgar a defesa madeirense e a encontrar Pizzi. O melhor marcador do Benfica esta época surgiu na cara de Amir, podia ter feito o segundo, mas ofereceu a Vinícius, que só teve mesmo que encostar. 2-0 na Luz para o Benfica.

A entrada forte do Marítimo não passou disso mesmo e os dois golos de rompante das águias desorganizaram a equipa de José Gomes. Apesar da desvantagem no marcador, até eram os insulares quem iam tendo mais posse de bola.

O jogo foi avançando e o Marítimo até estava a voltar a crescer novamente na partida, mas o Benfica voltou a contrariar a maré do jogo. André Almeida combinou com Pizzi na direita, o médio cruzou e Amir ficou muito mal na fotografia, tentando dar uma palmada na bola quando esta ia rasteira e a fugir da baliza. Vinícius foi oportunista e só teve que encostar novamente. Um defesa do Marítimo ainda tocou na bola, mas não a impediu de entrar e fazer o 3-0 para o Benfica.

A equipa do Marítimo mostrava estar muito diferente do que apresentava antes da mudança de treinador, contudo continuavam a existir muitas fragilidades que o Benfica ia aproveitando e muito trabalho para José Gomes, ex-Reading, fazer.

Depois do terceiro do Benfica o jogo acalmou e as águias começaram a gerir, tentando aproveitar os espaços que os madeirenses iam disponibilizando. Num lance de contra-ataque Vinícius aproveitou um grande passe de Taarabt e colocou a bola no fundo da rede, mas o avançando estava em fora-de-jogo e não concretizou o seu hat-trick.

Logo a seguir a este lance Fábio Veríssimo apitou para o intervalo e José Gomes bem podia agradecer por isso. Já Bruno Lage podia estar contente com a exibição da equipa.

Começaram os segundos 45 minutos e Bruno Lage fez entrar Tomás Tavares para o lugar do capitão André Almeida, que já tinha apresentado queixas ao longo de boa parte dos primeiros 45 minutos.

Logo aos 48 minutos foi a vez de Chiquinho ter um lance de génio, onde driblou um defesa adversário, cavalgou largos metros, mas acabou por rematar fraco para a defesa Amir.

Não foi no final da primeira parte, mas tinha mesmo que acontecer e na segunda-parte Vinícius chegou ao hat-trick, o seu priemiro de águia ao peito. Chiquinho surgiu isolado à entrada da área, fez uma autêntica bomba que Amir conseguiu defender para a frente e na recarga o avançado brasileiro não perdoou. Oito golos no campeonato com apenas três jogos a titular para Vinícius. 4-0 para as águias.

O jogo ia de feição para o Benfica, mas à passagem da hora de jogo houve um contra-tempo. Gabriel fez uma entrada muita feia sobre Marcelino e acabou mesmo por ver o cartão vermelho por acumulação de amarelos. Bruno Lage ficou muito irritado com a atuação do médio e teve mesmo que mudar de planos, numa altura em que Raúl de Tomás se preparava para entrar. Restava meia hora ao Benfica a jogar com um a menos e Chiquinho baixava agora para fazer o papel que era de Gabriel.

Apesar da indecisão, Bruno Lage esperou para ver como a equipa reagia a jogar com um a menos e oito minutos depois da expulsão de Gabriel fez mesmo entrar RdT para o lugar, e os aplausos, de Vinícius. O avançado brasileiro saía de campo com o seu primeiro hat-trick pelo Benfica.

A saída de Gabriel mexeu no jogo e fez o Benfica recuar. O principal sacrificado foi mesmo Taarabt, que perdeu espaço para transportar jogo quando estava a fazer uma grande exibição.

Contudo, a meia hora seguinte à expulsão foi muito calma de parte a parte e nenhuma das equipas conseguiu fazer nada de novo no jogo. Lage ainda fez entrar Jota para se juntar a RdT na frente, ambos tentaram fazer algo, mas o jogo já tinha entrado num ritmo de gestão.

Chegado o apito final, o Benfica confirmou uma vitória fácil, num jogo onde conseguiu explorar as fragilidades defensivas do Marítimo e onde Taarabt, Pizzi e o homem golo Vinícius estiveram em destaque. As águias garantem a manutenção do primeiro lugar isolado no campeonato.

 

Fonte da Imagem: Global Images

Francisco Carvalho

Desde tenra idade que duas paixões me cativaram, desporto e a escrita, sendo a sua união o cenário ideal. Cedo percebi que com esforço e dedicação poderia juntar uma paixão a uma profissão, sendo o jornalismo a resposta. Numa geração onde a banalização e a desvalorização da informação são recorrentes, quero mostrar a relevância do mundo jornalístico em toda esta sociedade cativante que nos rodeia.