Crónica: Final de jogo desastroso elimina Benfica da Liga dos Campeões

O Benfica entrou em campo na Red Bull Arena, às 20 horas, sabendo que necessitava de derrotar o Leipzig para manter vivas as esperanças de continuar na prova milionária. O encontro referente à quinta jornada da fase de grupos da Champions foi arbitrado pelo espanhol Jesús Gil Manzano.

Bruno Lage fez cinco alterações relativamente ao 11 inicial apresentado em Vizela, retirando Zlobin, Jardel, Samaris, Jota e Raúl de Tomás do mesmo. Posto isto, os titulares foram: Vlachodimos, André Almeida, Rúben Dias, Ferro, Grimaldo, Gabriel, Taarabt, Pizzi, Cervi, Chiquinho, Vinícius.

Já Julian Nagelsmann, optou por colocar em campo: Gulácsi; Klostermann, Ampadu, Upamecano, Saracchi; Laimer, Demme, Sabitzer, Forsberg; Nkunku, Werner.

O início de jogo ficou marcado pela superioridade da equipa da casa, tendência que se manteve praticamente ao longo de todo o jogo. Porém, apesar de ter mais posse de bola e remates, o Leipzig não criou reais oportunidades de golo nos primeiros 15 minutos de jogo.

Já o Benfica, que até então também não havia ameaçado as redes alemãs, chegou à vantagem no marcador através de uma boa jogada coletiva no minuto 20. Vinícius e Taraabt tabelam entre si, acabando por este último cruzar para Pizzi que, perto da zona de grande penalidade, remata para dentro da baliza, tendo a bola ainda desviado em Upamecano aquando do passe do marroquino e em Saracchi no momento do remate.

Apenas três minutos depois do primeiro golo, o Leipzig dispôs de uma excelente oportunidade para reestabelecer a igualdade no marcador. Isolado na área encarnada, Nkunku rematou à figura de Vlachodimos.

À passagem do minuto 36, Sabitzer obriga o guardião grego a fazer uma excelente defesa. Ainda neste lance, os jogadores alemães reclamaram grande penalidade por alegado empurrão de Grimaldo a Nkunku, tendo o árbitro nada assinalado.

Um minuto antes do intervalo, Pizzi podia ter apontado o seu 15º golo da temporada, mas a bola acabou por embater na barra.

Na segunda parte, pouco ou nada mudou no jogo. O Leipzig continuava a ter mais bola e mais ataques, mas sem criar grande perigo. Já o Benfica procurava muitas vezes a profundidade do jogo e tentava controlar a partida. No geral, o jogo desenrolou-se longe de ambas as balizas.

Apesar de continuar por baixo no jogo, as águias conseguiram chegar ao segundo golo no minuto 59. Ainda no meio campo, Taraabt adianta a bola para Vinícius  que, aproveitando o escorregão de Klostermann, se consegue isolar na cara de Gulácsi e amplia a vantagem encarnada. Este lance ficou também marcado pelo embate entre o avançado e o guarda redes, tendo este último sido substituído por Mvogo.

No minuto 84, o recém-entrado Raúl de Tomás (substituiu Vinícius) tenta a sua sorte com um remate do meio campo. A bola foi ainda desviada por Mvogo e acabou por passar muito próxima do poste.

Com o jogo já muito próximo do final, os encarnados deitaram tudo a perder. No minuto 89, Rúben Dias comete falta na grande área sobre Patrick Schick, que foi posto em campo no lugar de Saracchi vinte minutos antes. Na conversão do penálti, Forsberg não tremeu e bateu forte para o fundo das redes benfiquistas, reduzindo a desvantagem.

Já no minuto 96, o jogador sueco bisou na partida. Isolado no meio da grande área, Forsberg correspondeu ao cruzamento pela esquerda de Werner com um cabeceamento certeiro que ditou a saída do Benfica desta competição.

O resultado acaba por ser justo, tendo em conta o desempenho de ambas as equipas. Com os jogos da quinta jornada contabilizados, (Zenit derrotou o Lyon por 2-0) a tabela classificativa do Grupo G é a seguinte:

  1. Leipzig – 10 pontos
  2. Zenit – 7 pontos
  3. Lyon – 7 pontos
  4. Benfica – 4 pontos

O Leipzig está qualificado para os oitavos de final, enquanto que ao Benfica resta apenas lutar pelo terceiro lugar do grupo, que dá acesso à Liga Europa. Para o conseguirem estão obrigados a vencer o derradeiro jogo contra o Zenit no Estádio da Luz por uma margem de três golos ou mais.

 

Fonte da imagem: Getty Images

Simão Vitorino

Nasci e cresci em Vila Franca de Xira e estou atualmente a tirar uma licenciatura em Ciências da Comunicação na faculdade NOVA FCSH com o objetivo de me tornar jornalista desportivo no futuro, profissão que une duas grandes paixões minhas - o futebol e a escrita.