Três portugueses entre os nomeados para a Equipa do Ano da UEFA

A UEFA abriu esta terça-feira a votação para a eleição da Equipa do Ano da UEFA, estando nomeados 50 jogadores, de entre os quais três portugueses e um desses do campeonato português.

Entre estes 50 nomeados constam os nomes dos internacionais portugueses Cristiano Ronaldo, Bernardo Silva e ainda o de Bruno Fernandes.

Quanto ao capitão da Seleção e jogador da Juventus, este encontra-se na corrida para a Equipa do Ano da UEFA pelo 16º ano consecutivo, tendo já sido eleito por 13 dessas vezes. É assim um dos favoritos a voltar a fazer parte desta equipa de luxo.

Para além de CR7, no meio-campo há mais dois representantes lusos. Falamos do médio criativo do Manchester City Bernardo Silva e ainda o capitão do Sporting Bruno Fernandes.

A votação está aberta até ao dia 9 de janeiro do próximo ano no site oficial da UEFA, sendo nesse dia anunciados os vencedores.

Eis a lista dos 50 jogadores:

Guarda-redes: Alisson (Liverpool), Ederson (Manchester City), Oblak (Atlético de Madrid), Onana (Ajax) e Ter Stegen (Barcelona);

Defesas: Jordi Alba, Piqué (Barcelona), Alexander-Arnold, Robertson, Van Dijk (Liverpool), Azpilicueta (Chelsea), Daley Blind (Ajax), De Ligt (Juventus), Giménez (Atlético de Madrid), Kimmich (Bayern Munique), Koulibaly (Nápoles), Laporte (Manchester City), Sergio Ramos (Real Madrid) e Vertonghen (Tottenham);

Médios: Thiago (Bayern Munique), Bernardo Silva, De Bruyne, David Silva (Manchester City), Bruno Fernandes (Sporting), De Jong (Barcelona), Di María (PSG), Fabián Ruiz (Nápoles), Fabinho, Henderson, Wijnaldum (Liverpool), JorginhoKanté (Chelsea), Van de Beek e Zyech (Ajax);

Avançados: Aguero (Manchester City), Aubameyang (Arsenal), Firmino, Sadio Mané, Salah (Liverpool), GnabryLewandowski (Bayern Munique), Hazard (Real Madrid), Harry Kane, Son (Tottenham), Mbappé (PSG), Messi (Barcelona), Cristiano Ronaldo (Juventus), Sterling (Manchester City) e Tadic (Ajax).

Francisco Carvalho

Desde tenra idade que duas paixões me cativaram, desporto e a escrita, sendo a sua união o cenário ideal. Cedo percebi que com esforço e dedicação poderia juntar uma paixão a uma profissão, sendo o jornalismo a resposta. Numa geração onde a banalização e a desvalorização da informação são recorrentes, quero mostrar a relevância do mundo jornalístico em toda esta sociedade cativante que nos rodeia.