Lembra-se do matador David Villa?

Para si, qual o melhor artilheiro de sempre? Se formos falar na posição de avançado, o jogador que iremos recordar hoje não pode ficar de fora da lista. Lembra-se de David Villa? 

Desde sempre que o destino de David Villa virou-se para o futebol. Quando era novo jogava pelo clube da sua terra, Langreo, e foi aí que apanhou o susto da sua vida. Com apenas quatro anos de idade sofreu uma fratura no fêmur da perna direita e teve de ficar parado por seis meses. Depois de recuperar, o seu pai ajudou-o a ter força na perna esquerda o que o tornou ambidestro. Fez a sua formação no clube da terra até aos 17 anos e depois rumou para outros lados.

Foi para o Sporting Gijón. Desde cedo o clube apreciou o talento de David Villa e portanto queria-o num nível mais alto. Na época 2001/2002, foi aposta do clube e ajudou com 20 golos em 44 jogos, ficando em sexto lugar. Na época seguinte, contribuiu de novo com mais 20 golos em 40 jogos. Contudo, devido ao facto do clube se encontrar num mau momento em relação a contas, David Villa acabou por ser vendido ao Zaragoza por 2,7 milhões de euros.

Era um novo começo para David Villa. Uma nova casa, novos colegas e novas exigências porque o Zaragoza tinha sido promovido à primeira liga. Foi aqui que Villa mostrou que o seu lugar era outro. Ficou por duas épocas e fez com que o clube ganhasse os seus primeiros dois títulos ao mais alto nível, uma Copa del Rey e uma Super Copa de Espanha. Fez no total 94 jogos e 39 golos. O valor de mercado de David Villa acabou por subir para os 12 milhões de euros e foi por esse valor que acabou por ser transferido.

Em 2005/2006, assinou pelo Valência. Logo na sua primeira época foi o segundo melhor marcador da Liga e foi chamado à seleção para o Mundial de 2006. As grandes prestações de David Villa fizeram com que fosse convocado para as eliminatórias do Mundial e carimbasse o seu próprio lugar na seleção. A Espanha acabou por ser eliminada nos oitavos de final frente à França, onde o único golo marcado pelos espanhóis foi feito pelo avançado. Seguiram-se mais quatro temporadas ao serviço do Valência e em todas elas o internacional espanhol apresentou números incríveis onde o destaque vai para a época 2008/2009. Fez um total de 31 golos. Nesse mesmo ano, Villa voltou a ser convocado para a seleção espanhola para o EURO 2008. O avançado brilhou e conquistou, sendo o melhor marcador do torneio acabando por ganhar a bota de ouro e nomeado para o melhor 11 da competição. Ficou mais uma temporada no Valência e era hora de dar de novo mais um passo em frente.

Assinou, em 2010/2011, pelo Barcelona por quatro épocas. O internacional espanhol custou aos cofres da equipa da Catalunha 40 milhões de euros. Já com 29 anos, esta foi uma época de sonho para David Villa. Apresentou-se em 52 partidas e apontou 23 golos. Fez parte do histórico 5-0 frente ao Real Madrid, onde contribuiu com dois golos. Foi também convocado para o Mundial de 2010, onde acabou por ser um dos melhores marcadores do torneio e campeão do mundo. Neste Mundial, David Villa atingiu a marca de melhor marcador espanhol em mundiais, e mais tarde o melhor marcador da história do futebol espanhol. Na época de 2011, a sua estreia no Mundial de clubes não foi a melhor, visto que acabou por fraturar a tíbia esquerda. O avançado ficou de fora o resto da temporada e só voltou no início da próxima. Voltou na estreia do campeonato da temporada seguinte e mais uma vez, apesar de ter estado parado por muito tempo, mostrou que a qualidade continuava lá. Fez mais 43 jogos e mais 16 golos, até que chegou à altura de dizer adeus ao Barcelona.

No dia 8 de julho de 2013 foi anunciada a transferência de David Villa para o Atlético de Madrid. Desta vez por um valor muito mais baixo. De facto, a idade já não era a mesma. Assinou por duas temporadas, mas acabou por ficar apenas uma. No entanto, nessa época ainda fez 15 golos em 47 jogos e ajudou o clube espanhol a conquistar o campeonato que fugia desde 1996.

Fim de mais uma temporada e David Villa rumou a um país diferente. Foi contratado, em 2014, pelo New York City FC, um clube que tinha sido criado para jogar na MLS. Foi transferido a custo zero, mas prometeu dar sempre tudo como o fazia antes. Como foi anunciado em junho e a MLS ainda estava parada, o avançado foi emprestado ao Melbourne City, equipa australiana que tem parceria com o Manchester City, para representar o clube durante 10 jogos. Apesar de só ter feito quatro partidas, David Villa triplicou o público do clube australiano. Voltou para os Estados Unidos e seguiram-se mais três temporadas a balançar as redes adversárias.

Esta temporada, o internacional espanhol decidiu mudar de novo de continente para juntar-se ao seu compatriota Andrés Iniesta no Japão. Assinou pelo Vissel Kobe também por custo zero. No entanto, já com 37 anos, David Villa anunciou que esta será a sua última temporada nos relvados e que no fim deste ano irá pendurar as botas.

David Villa é sem dúvida um exemplo a seguir, e é alguém que marcou a infância de muitos de nós.

João Marques

Nasci nos Açores, mais propriamente na Ilha Terceira. Actualmente estou a estudar Ciências da Comunicação na NOVA FCSH. O desporto nasceu comigo e a paixão pelas letras já vem desde tenra idade.