Quem te viu e quem te vê: Wilfried Bony

Esta semana no “Quem te viu e quem te vê” olhamos para a peculiar carreira de Wilfried Bony, goleador nato que não se conseguiu impor no Manchester City.

Wilfried Bony começou a sua carreira profissional na República Checa, ao serviço do Sparta Praga em 2007, com 18 anos. Destacou-se desde cedo pela sua capacidade física e veia goleadora. Ao todo, o ponta de lança costa-marfinense somou 35 golos em 93 jogos em três épocas e meia no emblema da capital checa, contribuindo assim para a conquista do campeonato e da supertaça deste país na época 2009/2010.

Foi assim que, naturalmente, Bony partiu para uma liga mais prestigiada, no caso, o campeonato holandês. O Vitesse adquiriu o passe do jogador no mercado de inverno da temporada 2010/2011, quando este tinha apenas 21 anos. A transferência acabou por se revelar um excelente negócio uma vez que Bony foi o melhor marcador da Eredivise na época 2012/2013 com um impressionante registo de 31 golos em 30 jogos. Contabilizando as duas épocas e meio ao serviço do clube holandês, o avançado fez as redes adversárias abanar por 57 ocasiões em 75 jogos.

O trajeto realizado até então foi suficiente para convencer o Swansea a bater o seu recorde de transferências e investir 14 milhões de euros na contratação de Bony quando este tinha 24 anos, ou seja, no início da época 2013/2014. Na liga por muitos considerada a mais competitiva do mundo e a jogar num clube com argumentos financeiros e desportivos significamente inferiores aos das equipas que lutam pelo título, Bony manteve o seu excelente registo fazendo 25 golos em 48 jogos na sua primeira época no País de Gales.

Na primeira metade da época 2014/2015, Bony continuava de pé quente (foi, aliás, o melhor marcador da Premier League no ano civil de 2014) tendo o gigante Manchester City avançado para a sua contratação em janeiro de 2015. Antes ainda de realizar qualquer jogo pelos cityzens, Bony participou na vitória da Costa do Marfim na CAN 2015, tendo inclusivamente sido eleito para a melhor equipa da competição. A carreira do ponta de lança parecia, por isso, estar bem encaminhada.

Contudo, a sua passagem por Manchester acabou por ficar muito abaixo das expectativas. Bony nunca se conseguiu verdadeiramente impor como titular e a sua capacidade goleadora diminuiu consideravelmente, tendo marcado apenas 10 golos em 46 jogos. Coletivamente, a situação também não foi muito melhor pois o Manchester City conquistou somente uma Taça da Liga no período em que Bony esteve vinculado ao clube (época e meia).

Na época 2016/2017 foi emprestado ao Stoke City, mas nem assim a situação melhorou. Participou em 11 jogos em toda a época e apontou 2 golos. Em busca do sucesso do passado, Bony assinou novamente pelo Swansea no último dia de transferências do mercado de verão de 2017. Ainda assim, os tempos de glória vividos no País de Gales não se repetiram dado que só foi capaz de apontar 4 golos em 26 jogos ao longo de uma época e meia. Na segunda metade da época transata, Bony partiu para uma experiência nova no futebol do Catar, representando o Al-Arabi, clube pelo qual registou 5 golos em 7 jogos.

Atualmente, Bony encontra-se sem clube e a treinar-se com o plantel do Newport County, equipa do quarto escalão inglês. Pode-se assim dizer que o avançado costa-marfinense teve o seu auge mais cedo do que a maioria dos jogadores. Contudo, Wilfried Bony “só” tem 30 anos e, por isso, ainda vai a tempo de inverter o rumo da sua carreira. 

 

Fonte da imagem: Getty Images

Simão Vitorino

Nasci e cresci em Vila Franca de Xira e estou atualmente a tirar uma licenciatura em Ciências da Comunicação na faculdade NOVA FCSH com o objetivo de me tornar jornalista desportivo no futuro, profissão que une duas grandes paixões minhas - o futebol e a escrita.