Lembra-se de… Beto, o antigo defesa-central leonino?

Na rubrica “Lembra-se de?” desta semana recordamos um dos grandes defesas que já passaram por Portugal, nomeadamente pelo Sporting. Lembra-se de Beto?

Nasceu em 1976, em Lisboa, e passados 10 anos do seu nascimento já jogava à bola num grande. Começou a jogar nos infantis do Benfica, mas mudou-se para o Sporting, onde fez toda a sua formação. Em 1994/1995 finalmente tinha idade para jogar, mas o Sporting pretendia que o jovem ganhasse mais experiência. Foi então transferido para o Clube de Futebol União de Lamas, que estava na segunda liga. Passado uma época foi de novo emprestado, mas desta vez ao Campomaiorense, que estava na primeira divisão. Depois de boas prestações, o Sporting finalmente percebeu que Beto tinha grande potencialidade para se afirmar no plantel.

Regressou a Alvalade em 96/97 e aí começou a sua história. Logo na primeira temporada, com apenas 21 anos, foi aposta regular e acabou por ser titular ao longo da época. Fez 31 jogos e apontou 2 golos. Seguiram-se mais nove épocas ao serviço do clube leonino. Sem dúvida que as melhores épocas foram as de 1999/2000 e de 2001/2002. Na primeira o defesa central foi campeão e fez 36 jogos e dois golos. Na segunda, Beto foi de novo campeão e conquistou a Taça de Portugal, onde apareceu em 40 partidas e apontou três golos.

Ao longo destes anos, Beto representou também a Seleção Nacional. Fez 31 jogos e apontou dois golos. Foi opção para o EURO de 2000 e de 2004 e para o Mundial de 2002. Beto era um defesa central duro, certo e com grande conhecimento do jogo. Por ser um bom líder, acabou por receber a braçadeira de capitão do Sporting.

No entanto, nem tudo é um mar de rosas. Com a chegada de Paulo Bento ao comando do clube de Alvalade, Beto perdeu a sua influência na turma verde e branca. Curiosamente nesta altura, Beto fez parte da Ordem do Infante D.Henrique (Ordem honorífica portuguesa que distingue portugueses pelos seus serviços). Fez a sua última época pelo Sporting em 2005/2006, onde no mercado de inverno rumou para a França. Foi transferido para o Bordéus por um milhão de euros – com um valor de mercado de 6 milhões, segundo o site Transfermarkt. E a partir daí a sua carreira nunca mais foi a mesma. No clube francês apenas fez quatro jogos e na época seguinte iria ser de novo transferido.

Foi para Espanha para representar o Recreativo de Huelva, já com 31 anos, num negócio de 750 mil euros. Representou o clube espanhol durante três épocas, onde até nem esteve muito mal. Fez 52 jogos e marcou quatro golos.

Não fazendo parte das contas da equipa espanhola, em 2009/2010, voltou para Portugal, mas desta vez para representar o Belenenses. Transferiu-se a custo zero. No clube de Belém fez apenas 10 jogos e um golo. No fim da época ficou sem clube e voltou para Espanha para representar o Unión Deportiva Alzira, uma equipa da segunda liga, onde não jogou. No fim da época ficou sem clube e acabou por se retirar dos relvados.

Sem dúvida que a carreira de Beto merecia um fim de outra forma, mas o grande sucesso do Sporting não foi suficiente para chegar mais longe. Já foi treinador do 1º de Dezembro, mas onde está  antigo defesa central? Hoje em dia Beto faz parte da direção do seu clube do coração, o Sporting. Beto é diretor de relações institucionais e também coordenador técnico.

Apesar de tudo, Beto manteve-se leal ao clube que o formou e continuou a desempenhar funções em Alvalade, o que é de louvar.

João Marques

Nasci nos Açores, mais propriamente na Ilha Terceira. Actualmente estou a estudar Ciências da Comunicação na NOVA FCSH. O desporto nasceu comigo e a paixão pelas letras já vem desde tenra idade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.