Muitos golos, guarda-redes improváveis e os primeiros apurados. A análise à última jornada da Champions

E já só faltam duas partidas para fechar a curta fase de grupos desta edição da Liga dos Campeões. Em alguns grupos, muito falta por apurar, noutros as contas estão praticamente fechadas. É o caso da Juventus, Bayern e PSG que, depois de terem ganho Lokomotiv (1-2), Olympiakos (2-0) e Brugge (1-0) respetivamente, são os primeiros apurados para os oitavos-de-final da prova milionária.

Enquanto que uns se apuram, outros dão um passo importante para isso. É o caso do Leipzig que foi à Rússia vencer por 2-0, num grupo em que o Benfica voltou a perder desta feita no terreno do Lyon (3-1). As coisas voltam a complicar-se para a única equipa portuguesa em prova e, a seis pontos dos alemães e a quatro dos franceses, ainda que matematicamente seja possível, deverá disputar o lugar na Liga Europa com o Zenit.

Foi uma jornada prolífera em golos e em “remontadas”. O Chelsea recebeu o Ajax, esteve a perder por 1-4, chegou ao 5-4, mas com o quinto golo anulado, a partida acabou por fechar empatada a quatro golos. A emoção também esteve presente no terreno do Dortmund. O Inter a precisar de pontos foi a equipa a entrar melhor na partida e foi mesmo para o intervalo a ganhar por 0-2. A segunda parte acabou por ser toda dos alemães que deram a volta ao jogo (3-2) e somaram três pontos importantíssimos rumo à próxima fase. Noutros jogos, o Valência a perder 0-1 com o Lille acabou por vencer por 4-1, Dínamo e o Shakhtar de Luís Castro empataram a três e vão disputar o segundo lugar do grupo, o Tottenham bateu o Estrela Vermelha por 4-0 com bis e pedido de desculpas (a André Gomes) de Son e o Real Madrid recebeu e dizimou o Galatasaray por 6-0 com Rodrygo a fazer um hat-trick.

Mas nem todos os ditos favoritos tiveram resultados positivos. O Barça não foi além de um empate caseiro frente a um surpreendente Slavia Praga (0-0) e o Atletico ainda sem Félix perdeu no terreno do Leverkusen (2-1). O Nápoles também não conseguiu vencer o Salzburgo (1-1), num jogo em que o foco esteve mais uma vez em Haaland. O norueguês é neste momento o melhor marcador da prova com sete golos em quatro jogos. Isto com 19 anos… que potencial. No mesmo grupo, o campeão europeu Liverpool ligou os serviços mínimos e venceu o Genk por 2-1.

O mais improvável acabou por acontecer no empate (1-1) entre a Atalanta e o Manchester City. Depois da lesão de Ederson e da expulsão de Claudio Bravo que entrou para o seu lugar, digamos que Guardiola teve de improvisar. Kyle Walker acabou por jogar cerca de dez minutos como guardião dos citizens e ainda chegou a defender um livre relativamente perigoso à sua baliza.

A Liga dos Campeões volta nos próximos dias 26 e 27 de novembro com jogos altamente decisivos para a definição daqueles que entrarão no lote das 16 melhores equipas europeias.

Ricardo Oliveira

Oriundo da mesma terra do melhor jogador do mundo, a paixão pelo futebol não podia ser maior. Licenciado em Ciências da Comunicação na FCSH, gosta de escrever e está sempre de braços abertos a novos projetos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.