Chama do dragão e erros individuais provocam troca de líder

Terminou a série de sonho do Famalicão. A chama intensa do dragão e vários erros individuais impediram que os famalicenses continuassem imbatíveis no campeonato e uma derrota por 3-0 foi o que a equipa levou da cidade do Porto. Luis Díaz, Tiquinho Soares e Fábio Silva marcaram os golos do encontro.

Estádio cheio e ambiente de jogo grande foi o que os jogadores de ambas as equipas encontraram ao entrar em campo hoje. Vindo de uma exibição muito cinzenta frente ao Rangers, o Porto procurava mostrar uma equipa diferente daquela que foi criticada na quinta-feira e conseguiu. Com Alex Telles, Marega e Zé Luís fora do onze inicial, os vice-campeões nacionais dominaram desde o primeiro apito e não deram qualquer hipótese à equipa sensação da Liga NOS.

Aliás, nos primeiros minutos da partida, assistimos a um autêntico duelo entre Defendi e os atacantes azuis e brancos, com o guarda-redes brasileiro a sair por cima. Duas grandes defesas a remates de Matheus Uribe e outra a um cabeceamento de Soares eram as únicas razões pelas quais o Famalicão não se encontrava a perder já nos momentos iniciais do encontro.

O Porto abordou este jogo de uma forma pouco vista esta época e que acaba por não ser nada habitual nesta equipa de Sérgio Conceição. Abdicou do constante jogo direto que a carateriza e apostou em jogadas de ataque mais dinâmicas, construídas principalmente pelos dois “vagabundos”, Luis Díaz e Corona. Isto, a juntar à pressão permanente à saída de bola dos homens de João Pedro Sousa, fez com que as oportunidades de golo dos portistas fossem acumulando e que o Famalicão não conseguisse reagir.

Os minutos iam passando e apesar do claro domínio azul e branco, a bola teimava em não entrar. Até que começaram os erros individuais da defensiva famalicense. Com pouco tempo para jogar até ao intervalo, Patrick comete um erro enorme na saída de bola e Corona assistiu Luis Díaz que não vacilou e colocou os dragões em vantagem. 10 remates depois, o golo lá apareceu.

A resistência dos ex-líderes do campeonato estava quebrada, o Porto conseguia ir para o tempo de descanso a vencer e muito precisava de mudar caso o Famalicão quisesse ter uma palavra a dizer neste encontro.

Porém, João Pedro Sousa optou por não mexer na equipa e, consequentemente, nada mudou. O Porto continuava a ter o controlo total do jogo e o 2-0 era uma realidade muito mais próxima do que o 1-1. 2-0 esse que acabou por chegar… com mais uma oferta da defesa do Famalicão.

Lionn perdeu a bola numa zona proibida e Soares, com alguma sorte à mistura, bateu Defendi, matou a partida e fez com que as bancadas do Dragão respirassem, finalmente, de alívio.

A vitória do Porto já era certa, o Famalicão continuava sem conseguir incomodar Marchesín, mas ainda houve tempo para mais um golo oferecido aos dragões. Desta vez foi Defendi, que antes disto estava a fazer uma exibição de excelência, a complicar na saída de bola e a presentear Fábio Silva com o seu primeiro golo no campeonato. De destacar que o ponta de lança português tornou-se hoje o jogador mais jovem de sempre a marcar pelo Porto no campeonato.

3-0 foi o resultado final e acabou-se a invencibilidade famalicense. Sérgio Conceição surpreendeu taticamente e os visitantes não tiveram capacidade para responder a este Porto que realizou uma das melhores exibições da temporada. Os portistas juntam-se assim ao Benfica na liderança do campeonato e o Famalicão fica agora com 2 pontos de atraso em relação à dupla da frente.

 

 

Daniel Sousa

Nascido e criado na Ilha da Madeira e neste momento a estudar Ciências da Comunicação na FCSH. Com um gosto enorme pelo futebol e pela escrita, está sempre aberto a novos desafios.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.