“O Benfica foi o melhor que me aconteceu”

É unânime, Adel Taarabt é um homem novo. E um dos homens do momento no seio benfiquista. Após três anos sem contar, o marroquino passou de “nunca vestirá a camisola do Benfica” para ser um dos jogadores mais influentes no plantel encarnado, a confirmar o estatuto de craque que sempre esteve associado ao seu nome.

O médio de 30 anos falou à revista FourFourTwo e abordou o passado e o presente, o que correu menos bem e o que o fez voltar aos eixos.

“O Benfica foi o melhor que me aconteceu na carreira. Sempre fui bom rapaz, mas por vezes andei perdido. Achava que tinha sempre razão, mas fizeram-me perceber que estava enganado. Mudaram-me em todos os sentidos – no meu estilo de vida, como pessoa e como jogador”, começou por referir, destacando a gratidão que tem pelo clube encarnado.

“Precisei de três anos para me adaptar, pois quando joguei em Inglaterra, eu é que tinha de me orientar. Não tinha ninguém na retaguarda. Aqui é tudo muito organizado e estou muito mais profissional. Perdi 10 ou 11 quilos através do meu trabalho. Nunca trabalhei tanto na vida como o fiz para ter uma oportunidade neste clube.”, acrescentou o marroquino.

Adel Taarabt também admitiu à revista britânica que se tivesse tido outra disciplina e tivesse sido mais paciente, “poderia ter tido uma carreira diferente”.

“Honestamente, no primeiro ano estava com um pouco de excesso de peso. Dois ou três meses depois perdi dois ou três quilos, mas não é nada. Na minha carreira, nem sempre fui paciente, queria que as coisas acontecessem depressa, pois estava determinado a ajudar a equipa. Nem sempre foi fácil aceitar ficar no banco e nem sempre reagi da melhor forma. Aqui, fizeram-me perceber que tens de cumprir regras. Não decides nada”, esclareceu o médio.

É com Bruno Lage que Taarabt ganha uma nova vida. Depois dos erros dos passado e do orgulho no presente, segue-se o futuro. As expectativas para a nova época são altas.

“Quando cheguei, penso que perdi algum tempo no início, mas por culpa minha. E é por isso que agora estou a trabalhar tanto e com esperança de que esta venha a ser uma grande época para mim. Lutei para voltar à equipa e quero dar o melhor por este clube, pois acreditaram em mim. As pessoas já pensavam que eu tinha desistido, mas eu fiquei e lutei pela minha oportunidade”, concluiu.

Fonte da imagem: Getty Images

Ricardo Oliveira

Oriundo da mesma terra do melhor jogador do mundo, a paixão pelo futebol não podia ser maior. Licenciado em Ciências da Comunicação na FCSH, gosta de escrever e está sempre de braços abertos a novos projetos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.