Benfica vence dérbi lisboeta à boleia de Rafa

Depois de uma primeira parte muito equilibrado que teve falta de oportunidades claras, o intervalo fez bem ao Benfica que entrou melhor na segunda parte. Rafa foi o homem do jogo e desbloqueou a defensiva da casa, com um golo e uma assistência para Pizzi. Águias venceram 2-0.

Belenenses e Benfica defrontavam-se em jogo a contar para a 2ª jornada do campeonato, no Estádio do Jamor, para o eterno dérbi lisboeta. Já Bruno Lage defrontava o único treinador que na temporada passada não perdeu qualquer jogo contra os encarnados, Silas.

O jogo começou e cedo as águias estiveram perto do golo pela primeira vez. Ao minuto seis, Pizzi encontra Raúl de Tomás nas costas da defensiva de Belém e não fosse uma boa mancha do guardião Koffi, estaria já o marcador aberto. Na sequência da jogada houve ainda tempo para uma grande falha de Seferovic em frente à baliza.

15 minutos mais tarde, foi novamente a vez do avançado espanhol criar perigo. Rafa conduziu o esférico durante vários metros, colocou no avançado à entrada da área e RdT a colocar a bola a raspar o poste da baliza. Ainda se gritou golo no Jamor.

À passagem da meia hora de jogo, o equilíbrio entre as duas equipas mantinha-se. Apesar do maior caudal ofensivo encarnado, a turma de Silas continuava bastante organizada e fiel a si mesma, procurando oportunidades em possíveis contra-ataques rápidos.

Até ao final da primeira parte, essa foi mesmo a palavra de ordem: equilíbrio.  Fora um remate de calcanhar de Rafa já dentro da área do Belenenses por parte de Rafa, que terminou nas mãos de Koffi, nada houve mais a assinalar. Do lado dos da casa, foi o avançado Kikas quem já em cima do intervalo surgiu sozinho em frente a Vlachodimos após Rúben Dias escorregar. Contudo, o guardião grego esteve melhor no duelo e defendeu o remate

Ao intervalo Bruno Lage tinha que corrigir algo se não queria voltar a ser parado pela equipa de Silas. Notava-se uma certa falta de originalidade ofensiva e movimentação um pouco lenta por parte do Benfica. Já o técnico da casa procurava confirmar nova surpresa frente às águias.

Os segundos 45 minutos trouxeram uma equipa visitante bem mais ofensiva. Nos primeiros três minutos da segunda parte, o avançado suíço Haris Seferovic esteve por duas vezes perto do golo. Numa disferiu o esférico mesmo no poste da baliza de Koffi, mas o juiz da partida já havia assinalado fora-de-jogo.

No entanto, as águias tanto tentaram que conseguiram. Ao minuto 58, Rafa – o jogador mais perturbador da primeira parte – ganhou a bola mesmo à entrada da área adversária, tabelou com Pizzi, cortou para o meio da área e disferiu um grande remate que acabou no ângulo da baliza do Belenenses. 1-0 para o Benfica no Jamor.

Ao minuto 74 chegou aquela que começa já a ser a substituição habitual de Bruno Lage no Benfica, Raúl de Tomás a sair para a entrada de Chiquinho. O avançado espanhol que chegou à Luz a troco de 20 milhões de euros tarda em mostrar serviço em termos de golos e ficou pela terceira vez consecutiva em branco. Apesar de ser um jogador muito trabalhador que interliga bastante o meio campo e o ataque, continua a faltar aquele instinto matador que é pedido a alguém que custou bastante aos cofres encarnados.

Apenas cinco minutos depois desta substituição, o Belenenses SAD ficou muito perto do golo. Cruzamento na direita que foi facilmente intercetado por Nuno Tavares já dentro da grande área. O lateral recebeu, mas falhou completamente o corte mesmo à frente da pequena área, que sobrou para Vélez. O jogador da formação de Bélem não conseguiu fazer melhor do que desviar em demasia de Vlachodimos e atirar ao lado.

Costuma dizer-se que quem não marca, sofre e foi isso que aconteceu. Ao minuto 83, o recém entrado Chiquinho recebeu a bola na esquerda e começou a magia. Pizzi, Grimaldo, Seferovic, Chiquinho e novamente Seferovic, tudo ao primeiro toque e a bola só acabou no fundo da baliza da casa. Contudo, o lance gerou polémica e Fábio Veríssimo acabou por anular o lance por fora-de-jogo de Pizzi no início da jogada. Muitas dúvidas no posicionamento do jogador e mesmo após vários minutos de análise e com as novas linhas de apoio a lances de fora-de-jogo, a dúvida manteve-se. Resultado igual no Jamor.

Depois de uma longa paragem no jogo e um golo anulado, o Benfica partiu novamente para cima do Belenenses e chegou mesmo ao 2-0. Florentino recuperou no meio-campo, colocou em Rafa que continuou endiabrado e cavalgou pela defensiva azul, O extremo português deixou em Pizzi já dentro da área para Pizzi que rematou rasteiro e cruzado para o fundo da baliza. Este não foi anulado e foi confirmado o segundo do jogo.

Até ao final do jogo, mais nada a apontar. Vitória sem contestação do Benfica que melhorou e foi mais eficaz na segunda parte. A entrada de Chiquinho mexeu muito no jogo e o médio do Benfica começa a pedir mais minutos. Já Bruno Lage vence finalmente o Belenenses de Silas. Pizzi e Rafa deram a vitória que coloca o Benfica na liderança do campeonato.

Francisco Carvalho

Desde tenra idade que duas paixões me cativaram, desporto e a escrita, sendo a sua união o cenário ideal. Cedo percebi que com esforço e dedicação poderia juntar uma paixão a uma profissão, sendo o jornalismo a resposta. Numa geração onde a banalização e a desvalorização da informação são recorrentes, quero mostrar a relevância do mundo jornalístico em toda esta sociedade cativante que nos rodeia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.