Lembra-se de… Fredrik Ljungberg, o aguerrido sueco de cristal

Fonte: https://www.pinterest.pt/pin/449656344022085930

Nome completo: Karl Fredrik Ljungberg

Nascimento: 16 de abril de 1977

Local de Nascimento: Vittsjö, Suécia

Nacionalidade: Sueca

Altura: 1.75m

Posição: Extremo / Médio Ofensivo

Clubes: Halmstads BK; Arsenal FC; West Ham United FC; Seattle Sounders FC; Chicago Fire; Celtic FC, Shimizu S-Pulse; Mumbai City FC

 

Freddie Ljungberg é talvez um dos mais discretos membros da fenomenal equipa do Arsenal que venceu a Premier League em 2003/04 sem uma única derrota. Não pela sua cor de cabelo. Mas porque não tinha o perfil de superestrela como os seus colegas. Recorde um dos jogadores que fez parte de uma das mais marcantes equipas dos últimos 20 anos.

Início em Halmstad

Fonte: Flickr

Karl Fredrik Ljungberg, nasceu Vittsjö, Suécia, em 1977. Vittsjö é uma pequena localidade entre Malmö e Gotemburgo, e talvez devido a isso, os seus pais – um engenheiro civil e uma trabalhadora do Estado – quiseram mudar de casa. E assim fizeram em 1982, quando Fredrik tinha apenas 5 anos. A familía mudou-se para Halmstad, onde Fredrik começaria a jogar e lá tiveram o seu segundo filho: Karl Oskar Filip Ljungberg. Fredrik recusou mudar-se para Halmstad, mas acabou por ser aliciado pelos pais que lhe disseram que poderia jogar no clube da terra. No Halmstads BK foi treinado por Olle Eriksen – treinador a quem dá muito mérito pela sua carreira – e mostrou, desde logo, o seu valor. Para além de fascinar no futebol, Ljungberg deslumbrava no andebol (foi chamado à seleção nacional de sub-15) e nos estudos, onde acabou o secundário com uma média de 4.1 em 5 valores, seguindo depois para a universidade, da qual desistiu para se concentrar no futebol. E com razão. Jogou quase sempre um escalão acima da sua idade, e fez a sua estreia em 1994, frente ao AIK, num jogo a contar para a Liga Sueca, com apenas 17 anos. O sueco cumpriu três temporadas na equipa onde venceu uma Taça da Suécia, em 1995, e o Campeonato Sueco, em 1997, e realizou 92 jogos nos quais marcou 11 golos. Por esta altura, Ljungberg já chamava à atenção de muitos clubes de topo da Europa, nomeadamente, Barcelona, Chelsea, Aston Villa, Parma e Arsenal…

Ida para Inglaterra

Fonte: Pinterest

Em 1998, Fredrik Ljungberg foi apresentado como reforço do Arsenal, a troco de 4.5M€, e não tardou a afirmar-se em Londres. Na sua estreia frente ao Manchester United, marcou o último golo da vitória por 3-0. Em 2001/02, ‘Freddie’ Ljungberg (nome pelo qual era conhecido em ‘terras de sua majestade’) assinou uma das melhores épocas pelos gunners. Após a lesão Robert Pirès, Ljungberg assumiu o lugar e marcou em quase todos os jogos, inclusive na final da FA Cup, frente ao Chelsea. Venceu também o campeonato nessa época, onde marcou golos vitais frente a Manchester United e Liverpool. Nessa época marcou 17 golos em 39 jogos.

Depois das saídas de Emmanuel Petit e Marc Overmars, Freddie Ljungberg ganha espaço no Arsenal. Seja nas alas ou no meio, o sueco era um titular indiscutível. Porém as lesões constantes ’empurraram-no’ para a porta de saída do Emirates (na altura do Highbury). Para além das lesões Ljungberg lutava contra dores de cabeça constantes. Em 2005, teve uma lesão na anca que não sarava, e que chegaram a ligar a um possível cancro, só para mais tarde perceberem que afinal a persistência da lesão provinha das tatuagens enormes que o jogador apresentava, e que tinham ‘envenenado’ o seu sangue.

Fonte: PremierLeague.com

A pressão dos meios de comunicação social ingleses cresceu em torno de Ljungberg e em 2007, após nove épocas como gunner, o sueco é vendido ao West Ham pela mesmo quantia que chegou a Londres. Em Londres deixou um vasto legado: foi o primeiro a marcar numa final da FA Cup fora de Inglaterra (em 2001, a final foi disputada em Cardiff), foi o primeiro em 40 anos a marcar em duas finais consecutivas. Pelo Arsenal venceu 1 Supertaça, 3 Taças e 2 Campeonatos, incluindo o famoso campeonato de 2004 em que o Arsenal não perdeu um jogo, e jogou a final da Liga dos Campeões frente ao

Barcelona, em 2006, que o blaugranas venceram por 2-1. Disputou 325 jogos e marcou 72 golos.

Em 2007 começa então a sua época ao serviço do West Ham, na qual faz 26 jogos e marca 2 golos. Não foi muito feliz ao serviço dos hammers, pois lesionou-se gravemente no último jogo da época, frente ao Newcastle, quando o defesa Steven Taylor aterrou em cima dele e lhe partiu umas costelas. Em 2008, Ljungberg retirou-se da seleção sueca, com 31 anos, e rasgou o contrato com o West Ham.

Pequeno hiato na sua carreira e nova vida nos EUA

Em 2008, Fredrik Ljungberg retirou-se do futebol… mas apenas durante dois meses. Durante esses dois meses, o sueco foi apontado a LA Galaxy, Lazio, Roma, Milan, Fiorentina, Portsmouth e Monaco, mas acabou por assinar pelos Seattle Sounders.

Na equipa americana cumpriu duas épocas, mas infelizmente foi sempre assolado pelas lesões. Conseguiu finalmente reparar a sua lesão na anca, mas falhou 10 a 12 semanas de treino e preparação. Também as dores de cabeça lhe dificultaram a vida em Seattle, mas, ainda assim, Ljungberg foi escolhido para a equipa All-Star. Em Seattle cumpriu 40 jogos e marcou 2 golos.

Mudou-se em 2009 para Chicago, para jogar pelo Chicago Fire onde apenas cumpriu uma época, sem grandes coisas para dizer. Fez 15 jogos e marcou 2 golos.

Final de carreira

Depois de abandonar os EUA, com 33 anos, assinou pelo Celtic em 2011, onde cumpriu meia época, e 8 jogos, saindo em agosto desse ano para o Japão onde assinou contrato pelo Shimizu S-Pulse. Jogou até fevereiro de 2012, mês em que anunciou o seu final de carreira, depois de realizar 8 jogos no Japão. Voltou, no entanto, a jogar pelo Mumbai City FC, como embaixador e promotor da Liga Indiana, em 2014, cumprindo 4 jogos.

Seleção Nacional

Pela Seleção Nacional Sueca, Fredrik Ljungberg – conhecido como ‘Ljungan’ – cumpriu 75 jogos nos quais marcou 14 golos. Estreou-se em 1998, jogava ainda pelo Halmstad. Participou em várias fases finais com a Seleção Nacional Sueca. Esteve no Mundial de 2002, onde se chateou com Olof Mellberg, devido a uma entrada dura do colega.

Esteve também no Euro 2004, em Portugal, e no Mundial 2006, na Alemanha, onde foi proibido de jogar pelos médicos devido a uma lesão no pé. No entanto, o aguerrido sueco foi a jogo na mesma, marcando o golo da vitória num encontro frente ao Paraguai. Na sua última fase final a representar a seleção, em 2008, Ljungberg era já o capitão de equipa, e encontrava-se novamente lesionado (nas costelas). Nunca teve grandes desempenhos pela seleção nórdica, pois raramente passou da Fase de Grupos.

Vida de Treinador

Fredrik Ljungberg tornou-se, entretanto treinador. Começou como treinador dos sub-15 do Arsenal, em 2016, sendo contratado no ano seguinte como treinador adjunto de Andries Jonker, no Wolfsburg. A aventura na Alemanha não correu da melhor forma, e o sueco voltou a Londres em 2018 para treinar os sub-23. Este ano foi promovido a adjunto da equipa principal.

Fique com alguns dos melhores momentos de Freddie Ljungberg:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.