Benfica goleia o Portimonense em maré de medo

O SL Benfica recebeu e venceu o Portimonense, este sábado, por 5-1, num jogo em que os benfiquistas viveram mais o medo do que a euforia.

Começava o jogo no Estádio da Luz com a ausência de Rúben Dias, do lado da águias, e de Jackson Martinez, do lado do Portimonense. Por outras palavras, começava o sufoco para os benfiquistas, que viviam um primeiro quarto de hora de muita pressão por parte do Portimonense. A turma de Folha conseguia criar dificuldades aos encarnados tanto na sua fase de construção como no último terço defensivo. Ferro entrava um pouco aquém das expetativas, com três perdas de bolas face a uma boa pressão feita pelos algarvios em zonas mais adiantadas.

Já Seferovic conseguia explorar melhor a profundidade e ainda teve direito a uma oportunidade flagrante de golo. Mas, depois de aparecer isolado com um passe fantástico de João Félix, tentou um chapéu que acabou nas mãos do guarda-redes dos algarvios. Um falhanço enorme que rapidamente perdeu importância com a falta de pontaria dos algarvios. Ou melhor, de Dener. Não tinham passado pouco mais de dois minutos, quando Tabata arranjou espaço na área encarnada e rematou para a defesa de Vlachodimos. Na recarga, Dener só precisava de acertar com a baliza. Mas, atirou por cima quando estava sem oposição. O primeiro falhanço estrondoso do Portimonense.

Ainda assim, só se via o Portimonense a jogar. Mais posse de bola e mais remates. Faziam o que queriam longe da sua baliza e no meio campo encarnado. Florentino Luís (Benfica) perdia a bola em zonas proibidas e não conseguia trazer segurança ao meio campo encarnado. Já o Portimonense aproveitava para explorar estes erros. Aliás, foi com mais uma perda de bola em zona proibida por parte do Benfica que o Portimonense conseguiu aproveitar e quase inaugurar o marcador. A sorte dos encarnados foi que a bola foi parar aos pés de Dener que conseguiu falhar estrondosamente quando apareceu novamente isolado na área.

A pouco e pouco, o Benfica parecia melhorar no jogo. De ressalvar que embora estivessem melhores, se encontravam muito aquém das expetativas que se esperam para uma equipa que quer ser campeã e que está a jogar em casa. Os encarnados subiram as linhas de pressão e mostraram mais agressividade na disputa das bolas. Pizzi conseguiu rematar por duas vezes, com algum perigo. Mas, faltou-lhe potência e direção nos seus remates. Apesar do crescimento encarnado, foi o Portimonense que voltou a beneficiar de mais uma oportunidade de golo flagrante. Desta vez foi Tabata que nas costas de Ferro rematou para a defesa de Vlachodimos, já no fecho da primeira metade.

Por várias vezes, a circulação de bola dos algarvios parecia estar longe das redes encarnadas. No entanto, assim que chegava aos pés de Paulinho, apareciam imediatamente linhas de passe e desmarcações. Paulinho ia sendo uma autêntica referência na construção do jogo do Portimonense.

O primeiro golo da noite apareceu só na segunda parte. Inevitavelmente tinha de ser a turma de Folha a inaugurar o marcador. Sentia-se o nervosismo das águias na Luz. Principalmente de Ferro e Florentino, que estavam longe de estar bem na partida. Aliás, foi pela sua zona que acabou por surgir o golo dos algarvios. Aos 53 minutos, Henrique combinou com Tabata para o 1-0.

A partir daí, o Benfica acordou do sono profundo. Primeiro Rafa roubou a bola a Lucas e picou a bola para empatar o jogo aos 62 minutos. Depois ao minuto 66, a turma de Lage já estava na frente do marcador, com Rafa a bisar. Numa questão de minutos viu-se uma maré de futebol benfiquista.

Os algarvios ainda tentaram reagir com Tabata, Lucas Fernandes e Paulinho a fazerem aproximações com perigo às redes encarnadas. Aliás, chegou a haver uma outra bola perdida em zona proibida que só não resultou em golo porque Jardel fez um corte fulcral. A defesa das águias continuava instável e só acalmou quando o ataque encarnado deu uma ajuda. Primeiro Seferovic bisou em menos de cinco minutos (84 e 88 minutos) e depois Jonas (que já tinha entrado ao minuto 61 por Samaris) fechou as contas da goleada, já nos descontos: 5-1, um resultado que em nada refletiu o que se passou em campo e premiou a última meia hora encarnada.

O Benfica continua assim isolado no primeiro lugar com 81 pontos enquanto o Portimonense se fica pelo 12º lugar, com um total de 36 pontos.

 

João Dias

Natural de Coimbra, frequenta a licenciatura de Ciências da Comunicação na NOVA FCSH. É movido pelo amor à escrita e sonha concretizar essa paixão nas áreas ligadas ao desporto, cultura e atualidade. É praticante de Badminton e fã de Game of Thrones, nas horas vagas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.