Lembra-se de… John Arne Riise, o Roberto Carlos Norueguês

Nome completo: John Arne Semundseth Riise

https://www.independent.co.uk/sport/football/premier-league/john-arne-riise-hits-out-at-liverpool-stars-daniel-sturridge-and-roberto-firmino-in-twitter-qa-a6701386.html

Nascimento: 24 de setembro de 1980

Local: Molde, Noruega

Nacionalidade: Norueguesa

Altura: 1.85m

Posição: Lateral Esquerdo

Clubes: Aaelesund, Monaco, Liverpool, Roma, Fulham, APOEL, Dehli Dynamos, Aalesund, Chennaiyin

 

Início de carreira (Aalesunds FK)

John Arne Riise nasceu a 24 de setembro de 1980, em Molde, na Noruega. Apesar do clube da sua terra-natal ser um grande clube no país (Molde FK), Riise começou a sua carreira a 81 quilómetros do local onde nasceu. O Aalesunds acolheu o esquerdino que fez toda a sua formação jovem no clube. Em 2005, foi erigida uma estátua com parecenças inegáveis com o jogador, à entrada do novo estádio do clube norueguês. A estátua não foi feita em sua honra, mas, em 2007, Riise exigiu que a estátua tivesse o seu nome, pois a parecenças eram demasiadas e todos diziam que a estátua era sua. A partir desse ano, o jogador passou a ter o seu nome nessa mesma estátua, em Aalesund.

No clube norueguês, John Arne Riise completou 25 jogos e fez 5 golos, fez duas épocas a nível sénior, e saiu em 1998 para o Mónaco.

AS Monaco’s John Arne Riise celebrates after setting up the opening goal (Photo by David Rawcliffe/EMPICS via Getty Images)

 

AS Monaco FC e Liverpool FC

No clube do principado Riise cumpriu 3 épocas. Ganhou a Ligue 1 em 1999, mas, após admitir o seu desejo de sair, começou a ficar de fora das escolhas do treinador de então, Claude Puel. Durante um ano foi “assediado” por alguns clubes da Premier League (Leeds e Fulham), mas a transferência não se concretizou. Mudou-se em 2001, para o Liverpool por 6.1 milhões de euros, após 44 jogos e 4 golos no clube do principado.

https://www.hitc.com/en-gb/2016/06/13/ib-john-arne-riise-retires-from-football-his-liverpool-career-in/

Em Inglaterra tornou-se no grande lateral-esquerdo que ficou na história de futebol. Mas vamos por partes. John Arne Riise começou em Liverpool da melhor forma possível. No primeiro jogo oficial, contra o Bayern Munique, tendo a Supertaça Europeia em disputa, marcou um golo que ajudou o Liverpool a levantar o troféu, ganhando o jogo por 3-2. Na primeira época ao serviço dos reds marcou 10 golos, um número bastante elevado para um lateral-esquerdo (embora por vezes Riise jogasse como médio-ala esquerdo, um pouco mais adiantado no terreno).

Após duas épocas razoáveis ao serviço do Liverpool, Riise ganha nova vida no clube com a chegada de Rafa Benítez. Em 2004/05, o Liverpool ganha a Liga dos Campeões, na mítica final de Instambul, frente ao Milan. Riise faz a assistência para o primeiro golo. A reviravolta dos reds ficará para sempre na história do futebol bem como a equipa que a conseguiu. Jogadores como Steven Gerrard, Jerzy Dudek, Jamie Carragher (e outros tantos de igual qualidade) formavam uma equipa com muita garra e muito combativa, que levou de vencida uma equipa do Milan, com jogadores como Kaká, Shevchenko, Crespo, Pirlo, entre outros.

Em 2007, John Arne Riise e Craig Bellamy envolvem-se num episódio caricato, em Portugal. Para preparar o jogo da Liga dos Campeões frente ao Barcelona, Rafa Benítez decide dirigir-se a Portugal de modo a proporcionar momentos tranquilos à equipa. Escolheram Vale do Lobo, no Algarve, para passar estes momentos. Uma certa noite, o staff técnico deu permissão aos jogadores para consumir bebidas alcoólicas, e Carig Bellamy descontrolou-se obrigando Riise a subir ao palco para cantar karaoke. Riise recusou e ameaçou o colega que já estava embriagado, dizendo-lhe que se ele voltasse a ter aquela brincadeira iria agredi-lo. Os ânimos acalmaram-se e passado algum tempo, Riise, que já estava no quarto vê a sua porta abrir-se, não estranhando, pensando que seria o seu colega de quarto. Na verdade, era Craig Bellamy que carregava consigo um taco de golfe, para partir as pernas ao colega! Felizmente, não lhe acertou, e passado pouco tempo, devido à intervenção dos colegas tudo ficou bem, mas Bellamy e Riise ganharam uma inimizade para a vida.

John Arne Riise ficou em Liverpool até 2008, ganhou uma Liga dos Campeões, uma Taça de Inglaterra, uma Taça da Liga de Inglaterra, duas Supertaças Europeias e três Supertaças Inglesas. Fez 234 jogos e 21 golos, e saiu (já com 28 anos) com a certeza que ficaria na história do clube.

 

AS Roma

No verão de 2008, John Arne Riise chega a Roma por 5 milhões de euros. Quando chega depressa se torna num dos jogadores mais acarinhados pelos fãs. Marcou vários golos importantes, ao Inter de Milão, ao Milan e à Juventus, mas infelizmente não ganhou nenhum título pelo clube da capital italiana. Fez 99 jogos e 7 golos pela equipa italiana.

 

Fulham FC

John Arne Riise, Fulham (Photo by Peter Byrne/PA Images via Getty Images)

Em 2011, John Arne Riise volta a Inglaterra. Desta vez a Londres, para jogar pelo Fulham FC. Juntou-se ao seu irmão Bjorn Helge Riise na equipa londrina e lá passou 3 anos da sua carreira. Cumpriu 87 jogos e não marcou qualquer golo.

 

Final de Carreira (APOEL; Dehli Dynamos; Aalesunds e Chennaiyin)

Em 2014, já com 34 anos vai jogar para o Chipre, ao serviço do APOEL Nicósia. Lá vence uma taça e um campeonato. Após uma época, voltou a mudar-se, desta vez para a Índia. Assinou pelos Dehli Dynamos, cumprindo também apenas uma época. Muda-se novamente, em março de 2016, para o seu clube o Aalesund. Pouco tempo depois, fez uma paragem do futebol, dizendo que não tinha motivação. Volta em agosto de 2016, para jogar novamente na Índia, desta feita pelo Chennaiyin apenas durante dois meses.

Em 2016, acaba oficialmente a sua carreira, com 36 anos, com pouco a acrescentar ao mundo do futebol, mas com muitos títulos e muito sucesso consigo.

 

Seleção Nacional

John Arne Riise, Norway (Photo by John Walton – EMPICS/PA Images via Getty Images)

John Arne Riise estreou-se em 2000, pela seleção “A” Norueguesa. Tinha 20 anos, e representava o Monaco. Foi o lateral-esquerdo de eleição da seleção, e é o jogador mais internacional pela seleção nórdica. Cumpriu 110 jogos e marcou 16 golos, infelizmente para o jogador, com pouco sucesso em termos coletivos. Durante o tempo em que andou com a bandeira norueguesa ao peito, apenas foi a uma fase final (Euro 2000), ficando pela fase de grupos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.