Lembra-se de… Edgar Davids, o homem dos óculos escuros

Ficha do jogador:

Nome completo: Edgar Steven Davids

Nascimento: 13 de março de 1973

Local: Paramaribo, Suriname

Nacionalidade: Holandesa

Altura: 1.69m

Posição: Médio Centro / Médio Defensivo

Clubes: Ajax, Milan, Juventus, Barcelona, Internazionale, Tottenham Hotspur, Ajax, Crystal Palace e Barnet (como treinador-jogador)

 

Fonte: https://www.pinterest.pt/pin/643240759254625605/

Começo no AFC Ajax (até 1996)

Edgar Davids nasceu em Paramaribo, no Suriname, descendente de uma família afro-surinamesa e parcialmente judia. Mudou-se com a família para a Holanda era ainda um bebé. Bebé esse que já transportava o gosto pelo futebol.

Quando se instalou no país Edgar Davids foi prestar provas ao Ajax, seu clube do coração, tendo sido rejeitado por duas vezes. À terceira tentativa foi aceite em Amesterdão, tinha então 12 anos. Passou por todos os escalões de formação, e fez a sua estreia nos seniores a 6 de setembro de 1991, contra o RKC Waalwijk, jogo que a sua equipa ganhou por 5-1. Ajudou o clube de Amesterdão a ganhar três campeonatos, uma Taça UEFA e uma Liga dos Campeões. Em 1996 foi à final da Liga dos Campeões, mas perdeu. Ganhou a alcunha de “Pitbull”, devido à raça que demonstrava no meio-campo. No Ajax fez 106 jogos e marcou 20 golos.

AC Milan e Juventus (1996 a 2004)

Edgar Davids , AC Milan (Photo by Neal Simpson/EMPICS via Getty Images)

Mudou-se para o AC Milan, em 1996, a custo zero, mas não se impôs na equipa de Milão fazendo apenas 19 jogos. Em 1997 mudou-se para a Juventus a troco de 8 milhões de euros. No clube de Turim, estabeleceu-se como um dos melhores jogadores do mundo, ao lado de Zinedine Zidane, formando um dos melhores meios-campos da época. Na Vecchia Signora venceu 3 campeonatos italianos, 2 supertaças italianas e uma Taça Intertoto. O treinador Marcello Lippi descreveu como a sua “sala de motores de apenas um homem”. Fez 159 jogos e marcou 8 golos, entre 1997 e 2004, quando deixou Turim.

FC Barcelona (2004)

Fonte: https://www.pinterest.pt/pin/449445237787824238/

Em 2004 foi emprestado ao Barcelona no mercado de inverno, a troco de 2 milhões de euros. A equipa, na altura comandada por Frank Rijkaard, estava sob alguma pressão devido a resultados menos positivos e a chegada de Davids, resolveu-os. Com o holandês na equipa, os catalães melhoraram as suas performances, e é a ele que lhe são dados os créditos pelo domínio catalão nas épocas que se seguiram, pois catalisou a equipa para um nível de jogo mais elevado, e foi ele que criou as bases do estilo de jogo que seria a imagem de marca do Barcelona do final da década. Na Catalunha fez 18 jogos e marcou 1 golo.

 

Internazionale e Tottenham (2004 a 2007)

Fonte: http://www.brasilspurs.com/idolos-cult-do-tottenham-edgar-davids/

No verão de 2004, e após as suas boas performances na Catalunha, mudou-se para Milão para representar o Internazionale. A partir desta mudança, a carreira de Edgar Davids começa a encarrilar-se para o seu fim. Com 31 anos, e apesar de ter assinado um contrato de 3 anos, cumpriu apenas um, e após 14 jogos, deixou Milão definitivamente, e mudou-se para Inglaterra onde esperava ter mais sorte. No Tottenham tornou-se num dos jogadores favoritos dos adeptos. Esteve dois anos com símbolo dos spurs ao peito, e em ambos os anos o clube acabou em quinto, conquistando o respeito dos fãs e dos membros da direção.

De novo AFC Ajax (2007/08)

Em 2008, Edgar Davids volta a Amesterdão, ao seu clube do coração. Davids mostrou-se valioso para equipa, agarrando um lugar no onze inicial, e vencendo a Taça Holandesa nessa época. Na final marcou o penalty decisivo, contra o AZ, que daria o título à equipa.

Fonte: https://www.pinterest.pt/pin/555913147731134900/

Durante a sua estadia no clube, Davids partiu a perna. Esta lesão tirou-o da competição durante 3 meses, e o jogador, à época com 35 anos, anunciou que deixaria o clube quando o contrato terminasse

Apesar de ter reconsiderado voltar logo em 2009, os contactos que mantinha com o Leicester City não chegaram a bom porto. Assim, Edgar Davids voltaria à competição, em 2010, com 37 anos, para jogar noutro clube inglês.

 

 

Crystal Palace (2010)

Em 2010 esteve ao serviço do Crystal Palace, num contrato em que recebia tanto quanto jogasse. Jogou maior parte dos jogos na posição de lateral esquerdo. Embora tenha durado apenas uma época, Davids afirmou que foi “uma das maiores experiências” da sua vida.

Barnet (2012 a 2014)

Após nova paragem na sua carreira, Edgar Davids voltou a jogar em 2012, ao serviço do Barnet, de Inglaterra. Só que desta vez, não seria apenas jogador, mas também treinador. Apesar de muitos altos e baixos na primeira época, conseguiu com que a sua equipa se escapasse da despromoção. Continuou na seguinte, e nos primeiros 8 jogos que fez, foi sempre amarelado e foi expulso 3 vezes, retirando-se do futebol com 41 anos. Não continuou a carreira de treinador, sendo que a experiência no clube inglês foi a sua primeira e única (a nível profissional).

Holanda (1994-2005)

Pela seleção holandesa, Edgar Davids fez 74 jogos e marcou 6 golos. Estreou-se em 1994, contra a Irlanda, jogo que perdeu por uma bola a zero. Na altura representava o Ajax.

No Euro 1996, foi expulso da concentração da seleção por dizer na rádio que o seu treinador (Guus Hiddink) devia “parar de meter a cabeça nos r***s de alguns jogadores”.

Apesar disso, Hiddink não guardou remorsos, e voltou a convoca-lo para o Mundial de 1998. Fez o jogo mais memorável pela Oranje durante este torneio. Contra a Jugoslávia, marcou o golo da vitória, no último minuto, fazendo com a Holanda passa-se mais uma ronda. Acabariam em quarto lugar, e foram considerados a equipa sensação do torneio.

Em 1999, Edgar Davids começa a usar os óculos que formam a sua imagem de marca. Após uma cirurgia ao olho direito, que resultou num glaucoma. A sua estreia com os óculos foi com a seleção, num amigável frente à Bélgica. Edgar Davids, foi também apanhado nas malhas do doping. Em 2001, foi suspenso pela FIFA devido ao uso de esteroides anabólicos e nandrolona.

Participou também no Euro 2000 e no Euro 2004, pela laranja mecânica. Em 2000, foi nomeado pela UEFA para a equipa do torneio, apesar da equipa ter sido eliminada nas meias-finais pela Itália.

Em 2004, foi nomeado capitão de equipa, mas devido à pouca utilização no Inter, perdeu o lugar na equipa. Fez o seu último jogo em 2005, falhando o Mundial de 2006.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.