Vontade de Portugal esbarrou em Pyatov

Portugal iniciou a defesa do titulo de campeão europeu com um empate a zero frente à Ucrânia. Apesar da clara superioridade que a seleção nacional demonstrou ao longo dos 90 minutos, Portugal não foi capaz de desfazer a igualdade. Para além do regresso de Cristiano Ronaldo,  o jogo marcou também a estreia de Dyego Sousa. 

Não começou da melhor forma a caminhada de qualificação de Portugal para o Euro2020. Na primeira jornada de qualificação, a turma portuguesa não foi além de um nulo frente à Ucrânia, que teve no capitão Pyatov, o principal pilar.

À partida para o início deste jogo, muitas eram as expetativas em torno do regresso do capitão à seleção.  Fernando Santos optou por colocar um meio campo mais defensivo formado por William Carvalho, Rúben Neves e João Moutinho, com Cristiano Ronaldo e André Silva a serem os homens mais adiantados.  A jogar em casa, e na condição de campeão europeu, Portugal era favorito, mas em campo não o conseguiu provar. A Ucrânia entrou para defender, praticamente, com 11 jogadores, e depois apostar em contra-ataques rápidos.

Ao longo de toda a partida, Portugal teve mais posse de bola, mais cruzamentos  e poucos remates. De regresso à seleção, Cristiano Ronaldo tentou por várias o golo, mas sem sucesso. Na primeira parte, os principais remates de perigo surgiram precisamente pés do capitão,  primeiro à passagem do minuto 24 , e depois com remate de pé esquerdo, ao qual Pyatov respondeu com uma grande defesa.  Antes já William Carvalho tinha introduzido a bola dentro da baliza ucraniana, mas a jogada foi anulada por fora de jogo.

O Zero a zero ao intervalo, espalhava a falta de criatividade portuguesa e premiava a defesa coesa da Ucrânia.

Já no segundo tempo, Fernando Santos decidiu mexer no ataque e lançar Rafa. Nos primeiros minutos notou-se um impacto positivo no jogo, mas continuava a faltar acerto no momento de finalização. André Silva esteve próximo de inaugurar o marcador com um remate em arco dentro de área à passagem do minuto 50, mas lá estava mais uma vez o “muro” Pyatov.

Com o passar do tempo, Portugal começava a ficar mais impaciente e a Ucrânia mais confortável com o resultado. Havia mais coração que cabeça, e nem a entrada de Dyego Sousa trouxe mais eficácia na hora de rematar a baliza.

No fim de contas, até foi a Ucrânia quem esteve mais perto de marcar, valeu um corte eficaz de Rúben Dias que evitou o golo do recém-entrado, Júnior Moraes. Já em tempo de compensação, o Estádio da Luz ainda pediu um penalti sobre Dyego Sousa, mas o árbitro mandou seguir a jogada.

Na defesa do título de campeão europeu, Portugal não começou com uma entrada à campeão, e inicia a caminha para o Euro 2020 com um empate.

Cristiana Pina

Licenciada em Comunicação Social pela ESEV. Sou uma pinhelense de gema que adora futebol e toda a magia que lhe é inerente. Escrever é uma das minhas grandes paixões.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.