ÚLTIMA HORA: Empresários detidos por tráfico de seres humanos e auxílio à imigração ilegal

​O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) comunicou hoje que deteve, na cidade de Leiria, dois agentes desportivos e responsáveis pela entrada e permanência ilegal de um número substancial de jovens futebolistas, em situação irregular. Os agentes são de nacionalidade brasileira.

Segundo adianta o SEF, os arguidos estão indiciados pela prática dos crimes de tráfico de seres humanos, auxílio à imigração ilegal e falsificação de documentos.

A acção foi coordenada pelo Ministério Público sendo que, o SEF esclarece na sua página que: ” englobou buscas domiciliárias às residências dos suspeitos, a viaturas e a um clube desportivo da Nazaré, entidade que veio a ser constituída arguida, tal como o presidente da direção. Em resultado das buscas ontem realizadas foi apreendida documentação relacionada com o esquema de angariação de futebolistas, assim como material informático e de comunicações”

Esta investigação fora iniciada pelo SEF em finais de 2018. No final do ano passado, uma outra ação do SEF levou à identificação de cerca de duas dezenas de cidadãos estrangeiros em situação irregular, jovens futebolistas, que se encontravam alojados em áreas afetas à associação desportiva, agora constituída arguida, em condições indignas, vivendo com extremas dificuldades económicas. Nesse sentido, comprovou-se que teriam vindo para o território nacional, agenciados através de um esquema que envolvia vários intervenientes, e no qual, os cidadãos agora detidos que desempenhavam um papel crucial.

Aos atletas são todos sul-americanos e era-lhes prometida a legalização em território nacional e a celebração de contratos profissionais como futebolistas, a troco de elevadas quantias monetárias, sendo que, em muitos casos, a vinda implicou o endividamento das respetivas famílias. O “modus operandi” prosseguia com o ingresso dos atletas para o clube em questão, mas sem que qualquer das promessas fosse cumprida. Eram alojados pelos empresários em apartamentos e acabavam progressivamente, a serem abandonados por estes, tendo terminado alojados, sem quaisquer condições, nas instalações onde foram identificados pelo SEF, e segundo esta entidade, muitas vezes sem alimentação adequada e desprovidos de contrapartidas financeiras pela atividade desportiva desenvolvida.

Informa o SEF que: “Alguns dos atletas acabaram, entretanto, por abandonar o país e outros, inclusive com o apoio do SEF e dentro do quadro legal vigente de proteção a vítimas de tráfico de seres humanos e de ações de auxílio à imigração ilegal, aguardam a regularização em território nacional”

Foram movidos para a operação “Fair Play”, 17 operacionais do SEF.

Guilherme Freire Coelho

Alfacinha apaixonado pela vida e dela, faz parte o futebol. Defendo-o como desporto, respeito-o pela vertente social e admiro-o como espectáculo. A bola, é mero instrumento para os artistas brilharem. Não escrevo sobre bola mas sim, sobre Futebol, sempre de forma transparente, com fair-play e....sem respeito pelo acordo ortográfico.....

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.