Chico Geraldes, Miguel Luís e Jovane Cabral como titulares no plantel sub-23

Os sub-23 do Sporting alcançaram esta manhã, o primeiro triunfo na segunda fase da competição (apuramento de campeão), ao derrotarem os minhotos, por 3-2 na Academia leonina, em jogo a contar para a terceira jornada.

O mister Alexandre Santos recorreu a Francisco Geraldes, Miguel Luís e Jovane Cabral, que vulgarmente são opção de Marcel Keizer para dar mais solidez ao plantel. No entanto, convém salientar que Jovane Cabral e Miguel Luís já haviam estado no jogo anterior dos sub-23, diante o CD Aves, em que os leões perderam por um golo sem resposta.

Assistimos a um Sporting mais esclarecido no primeiro tempo mas o plantel de José Araújo foi mais possante na etapa complementar e merecia ter trazido de Alcochete, um empate.

Os pupilos de Alexandre Santos inauguraram o marcador à passagem do minuto sete, por intermédio de Pedro Mendes que beneficiou de um ressalto e oportunamente dentro da área, colocou a bola com remate rasteiro, junto ao canto do lado direito da baliza, do guardião bracarense. Os leões estavam melhor no jogo e dilataram a vantagem com forte cabeceamento de João Ricciuli, na sequência de um pontapé de canto aos 20′. Antes do apito para o intervalo, aos 38′, os minhotos reduziram com um golo de Namora.

No regresso ao relvado para a etapa complementar, os jovens leões beneficiaram de um auto-golo de Vianna para dilatarem o marcador à passagem do minuto 53. Luís Maximiano ainda defendeu um primeiro pontapé de grande penalidade aos 59′, mas fora impotente para travar a marcação do segundo dos bracarenses, quando o relógio marcava 85’ de jogo, apontado por Midana e que fechou a contagem. Jogaram-se mais dez minutos aproximadamente e a supremacia bracarense merecia ser premiada com a divisão de pontos.

Na bancada estava o olhar atento de Marcel Keizer, acompanhado pelo team manager Beto.

Guilherme Freire Coelho

Alfacinha apaixonado pela vida e dela, faz parte o futebol. Defendo-o como desporto, respeito-o pela vertente social e admiro-o como espectáculo. A bola, é mero instrumento para os artistas brilharem. Não escrevo sobre bola mas sim, sobre Futebol, sempre de forma transparente, com fair-play e....sem respeito pelo acordo ortográfico.....

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.