Fabrizio Miccoli, o “pequeno avançado” italiano

Nome: Fabrizio Miccoli

Nascimento: 1979-06-27

Nacionalidade: Italiana

Altura: 168cm

Peso: 73kg

Clubes: Milan, Casarano, Ternana, Perugia, Juventus, Fiorentina, Benfica, Palermo, Lecce e Birkirkara

Na rubrica “Lembra-se de” desta semana, O AMBIDESTRO relembra Fabrizio Miccoli, o avançado italiano que chegou a Portugal para representar o Benfica e que teve uma carreira repleta de golos.

Miccoli nasceu em Itália em 1979, na cidade de Nardò. Marcou 103 golos em 209 jogos na Serie A, representado diversos clubes: Perugia, Juventus, Fiorentina e depois o Palermo. Em 2005/2006 chegou a Lisboa para representar o SL Benfica, por empréstimo da Juventus. Durante duas épocas, disputou 56 partidas pelos encarnados e marcou 19 golos. Considerou o seu tempo em Lisboa “a mais bonita experiência” da sua carreira e tornou-se uma lenda entre os adeptos. O internacional voltaria novamente a Itália para representar o Palermo e, mais tarde, o Lecce. O avançado italiano terminou a carreira no final da época 2015/2016, depois de representar durante uma época os malteses do Birkirkara.

“The early years”

O avançado representou a Juve em 2003/2004 onde apontou 10 golos em 39 partidas

Ainda muito jovem, Miccoli começou a jogar nos escalões de formação do Milan. Mas foi mais tarde, no Casarano, que viria a fazer a sua estreia enquanto profissional, com 17 anos. Seguiu-se o Ternana, onde as boas exibições lhe valeram a alcunha de “o novo Del Piero”. Rapidamente, o jovem avançado entrou no radar da Juventus, que o comprou em 2002. Seguiu-se um empréstimo ao Perugia, onde assinou 16 golos em 42 partidas na Serie A. Miccoli era então chamado à seleção italiana e resgatado pela Juventus.

Juventus e Fiorentina

Os tempos na Juventus não foram fáceis, com um desentendimento entre o jogador italiano e o seu treinador, Fabio Capello. Ainda assim, o avançado completou 39 partidas pela equipa de Turin. Festejou dez tiros certeiros e participou em seis jogos da Liga dos Campeões. Mas, rapidamente, a estadia em Turin chegou ao fim. A solução encontrada para a época 2004/2005 foi (de novo) um empréstimo à Fiorentina, que acabava de subir à Serie A. Na equipa Viola, Miccoli ficou de novo apenas uma época, marcando 11 golos em 39 partidas. 

Sport Lisboa e Benfica 

Miccoli chegou aos encarnados no verão de 2005, por empréstimo da Juventus. E foi em Lisboa que o italiano viveu, talvez, o auge da sua carreira. O próprio chegou a declarar que o Benfica foi a “mais bonita experiência” da sua carreira. Na primeira época de Águia ao peito, Miccoli disputou 23 partidas e fez os benfiquistas gritar “golo” em seis ocasiões. Na Liga dos Campeões, o jogador apontou dois importantes tentos. Um deles, o famoso golo ao Liverpool, que permitiu aos encarnados passar aos quartos-de-final da prova. Pelo Benfica, o avançado conquistou uma Supertaça Cândido de Oliveira numa final frente ao Vitória, onde os encarnados venceram por 1-0.

O “famoso” golo de bicicleta ao Liverpool, que permitiu aos encarnados passar aos quartos-de-final da Champions

Seguiu-se mais uma época pelos encarnados. Em 2006/2007, Miccoli completou 33 partidas e assinou 13 golos. A passagem pelo Benfica, ainda que curta, marcou para sempre Miccoli e os adeptos que, afetuosamente, relembram os golos e as exibições do avançado.

“Estou feliz e orgulhoso por tudo o que alcancei. E isso é demonstrado pelas pessoas dos clubes em que joguei e que ainda gostam de mim. As pessoas do Benfica ainda me demonstram isso. O Benfica, para mim, significa muito. Fui muito feliz e aprendi muitas coisas lá, foi uma fase muito importante da minha carreira”, declarou recentemente o jogador italiano.

Este slideshow necessita de JavaScript.

O regresso a Itália 

No Palermo, Miccoli viria a passar seis temporadas. Tornou-se capitão de equipa e, na época 2009/2010, ajudou o Palermo a terminar em quinto lugar da tabela classificativa, o melhor resultado de sempre do clube. Em 2012, tornou-se o melhor marcador de sempre do Palermo e, pouco depois, marcou o seu centésimo golo na Serie A. Ao todo, no Palermo, disputou 179 partidas e marcou 81 golos. O futuro aguardava-o no Lecce, clube  pelo qual o jogador tinha um grande carinho.

No Lecce, Miccoli, então com 35 anos, foi imediatamente nomeado capitão e completou um total de 50 partidas e 19 tentos.

No Palermo, Miccoli passou 6 temporadas. Com o número 10 nas costas, ajudou a equipa a fazer uma das melhores épocas de sempre da História do clube

O fim da carreira em Malta

Em 2015/2016, o avançado italiano terminou a carreira, após uma época a jogar no Birkirkara. Aí completou 16 partidas e assinou nove golos. Em dezembro de 2015, Miccoli anunciava a “reforma”.

Pela seleção italiana, Miccoli realizou 10 partidas e festejou dois golos

Seleção 

Na Squadra Azzurra, Miccoli completou dez internacionalizões entre 2003 e 2004, onde marcou dois golos. A estreia pelo seu país ocorreu, curiosamente, numa partida frente a Portugal, a 12 de fevereiro de 2003. O avançado participou na qualificação para o Euro 2004 e, mais tarde, foi chamado para um amigável frente à Finlândia. Nesse jogo, Miccoli marcou o único golo da partida.

Nos anos que se seguiram, Frabizio Miccoli não mais voltou a ser chamado para representar o seu país. Apenas em 2010, aquando o Mundial, houve especulação sobre o regresso do avançado à Squadra Azzurra. Mas tal não se chegou a verificar. A carreira internacional do jogador ficou longe, assim, do enorme sucesso que teve pelos vários clubes que representou.

Rui Casanova

Sou natural de Portalegre e resido em Lisboa, onde estudo Ciências da Comunicação na NOVA-FCSH. O Futebol está no sangue da minha família desde sempre e materializo a paixão pelo desporto rei através da escrita.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.