Dez bombons encarnados para o Nacional em vésperas de São Valentim

O Benfica goleou hoje (10) o Nacional por 10-0, na Luz.

Com o São Valentim à porta, o normal é esperar-se pelo dia 14 para festejar e dar as prendas aos namorados(as). No entanto, o Benfica não aguentou tanto tempo à espera e após receber o Nacional, em casa, decidiu oferecer uma caixinha com dez bombons. Os insulares não esperavam receber a prenda do Dia dos Namorados tão antecipada e não trouxeram nada para dar de volta.

Começou cedo. Logo aos 35 segundos, Grimaldo ofereceu o primeiro bombom para o Nacional guardar na caixinha. Gabriel fez um passe a rasgar todo o campo e Seferovic com o calcanhar isolou Grimaldo que desviou para o golo. Foi o primeiro sinal de uma noite que viria a ser mágica para os encarnados.

Antes de aparecer o segundo golo das águias, Filipe Ferreira lesionou-se e obrigou Costinha a trazer Witi a jogo.

Minutos depois (21), Seferovic dilatou a vantagem, com uma assistência de classe de João Félix. O amor era tanto que os encarnados não se quiseram ficar por apenas dois bombons. Decidiram oferecer mais um. Foi o terceiro e surgiu aos 27 minutos, com um cruzamento de André Almeida para Seferovic que apareceu ao segundo poste.

O jogo seguiu para intervalo com um 3-0 no marcador. Uma primeira parte cheia de transições rápidas, passes bem apontados, toques de classe e jogadas de perigo sem fim. Um futebol mágico e uma noite mágica para preparar o São Valentim dos Encarnados (claro). O Nacional pouco fez. A defesa dos insulares deixou muito espaço para a turma de Lage jogar e Witi conseguiu falhar estrondosamente, com a baliza quase deserta, no fecho da primeira metade.

Mas, o inimaginável aconteceu na segunda parte. Sete golos em cerca de 45 minutos.

João Félix, Pizzi, Ferro, Rúben Dias, Rafa e Jonas (dois golos). Foram os que ofereceram os sete bombons que faltavam para completar a caixinha. Muito mérito do Benfica. Mas, perante um Nacional muito fraquinho e pouco confiante. No final do jogo, houve jogadores do Nacional que saíram do relvado em lágrimas.

O massacre encarnado, na segunda parte, foi tão grande que achamos que não merecia mais do que um parágrafo. Os jogadores do Nacional já saíram de lá com os olhos em lágrimas… Não valia a pena “continuar a bater no ceguinho”. Melhores jogos virão, de certo.

Nota: Sim, estavam a jogar 11 contra 11 (apesar de não parecer).

Há 55 anos que ninguém vencia por 10-0 na Primeira Liga do Futebol Português. Os encarnados somam mais uma vitória e já só estão a um ponto do líder (FC Porto).

 

 

João Dias

Natural de Coimbra, frequenta a licenciatura de Ciências da Comunicação na NOVA FCSH. É movido pelo amor à escrita e sonha concretizar essa paixão nas áreas ligadas ao desporto, cultura e atualidade. É praticante de Badminton e fã de Game of Thrones, nas horas vagas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.