Bomba de Bruno mantém Leão a respirar

3 dias depois do confronto em Alvalade, os dois maiores clubes da capital voltaram-se a encontrar, desta vez no outro lado da 2ºcircular. A tendência foi a mesma, com o Benfica a vencer novamente, mas o Sporting mostrou muito mais do que tinha mostrado há uns dias e mantém a eliminatória viva.

O duelo de hoje colocava frente a frente duas equipas num momento de forma completamente distinto. O novo Benfica de Bruno Lage que vinha de 6 vitórias nos últimos 7 jogos (incluindo uma vitória dominante no terreno do adversário de hoje) defrontava um Sporting que tem tido muitas dificuldades nos últimos tempos e que no domingo passado saiu de campo com lenços brancos.

Talvez devido à paupérrima exibição que a equipa realizou no jogo anterior, Keizer realizou diversas alterações no onze inicial dos Leões. Os destaques foram para as estreias de Borja e Ilori, para Acuña no papel de extremo e para a saída de Bas Dost da equipa. Por parte do Benfica, a única surpresa foi Salvio no lugar de Rafa.

Os momentos iniciais do jogo mostraram-nos um Sporting com muita bola. Os leões procuravam iniciar o processo ofensivo com paciência e com muitos passes curtos, mas não conseguiam desmontar a organização defensiva do Benfica. Os encarnados, por outro lado, estavam a ser muito mais objetivos. Quando tinham bola apostavam na verticalidade e na velocidade da sua frente de ataque, algo que acabou por dar frutos. Na primeira oportunidade de que dispuseram, o Benfica chegou à vantagem através de Gabriel, aos 16’.

Após o golo sofrido o Sporting manteve a sua ideia de jogo e do mesmo surgia sempre a mesma coisa: nada. As dificuldades na construção mantinham-se, principalmente à incapacidade de Gudelj. O Benfica estava sempre atento aos erros dos leões e o 2-0 parecia estar mais perto do que o 1-1. Contudo, o intervalo chegou e o 1-0 mantinha-se.

Tivemos direito a um Sporting diferente na vinda dos balneários. Os pupilos de Keizer aplicavam uma maior pressão ao meio campo benfiquista e procuravam ser mais objetivos com a posse de bola. No entanto, na sua melhor fase do jogo, a infelicidade bateu à porta dos leões. Um cruzamento de João Félix desviou em Ilori e o Benfica aumento, assim, a sua vantagem à passagem dos 60 minutos.

O golo sofrido naquela altura do jogo provocou danos no Sporting. A equipa voltou ao registo da primeira parte e os erros consecutivos na saída de bola faziam prever que o Benfica aumentasse ainda mais a sua vantagem. Porém, apareceu (finalmente) Bruno Fernandes. A pouco menos de 10 minutos do fim da partida, uma bomba de livre direto a quase 30 metros da baliza reduziu a desvantagem. O jogo chegou ao fim com um 2-1 no marcador.

Tudo em aberto para a segunda mão. A vantagem que o Benfica leva consigo é muito curta e facilmente reversível. No entanto, muita coisa vai ter de mudar para tal acontecer. É verdade que a exibição de hoje foi melhor do que a de Domingo, mas também é verdade que o Sporting não vence há 5 jogos. A segunda mão é só em Abril e muita coisa acontecerá até lá. Veremos na altura quem chega em melhor forma.

Daniel Sousa

Nascido e criado na Ilha da Madeira e neste momento a estudar Ciências da Comunicação na FCSH. Com um gosto enorme pelo futebol e pela escrita, está sempre aberto a novos desafios.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.