Ineficácia provoca escorregadela do Dragão

O campeonato está outra vez ao rubro. Depois da vitória do Benfica em Alvalade, o Porto visitava Guimarães com o intuito de manter as distâncias para o rival. No entanto, apesar da exibição bem conseguida, os dragões não conseguiram fazer golos e perderam 2 pontos importantes na corrida pelo título.

Vivia-se um grande ambiente nas bancadas do D.Afonso Henriques. Os portistas procuravam vingar a derrota sofrida na primeira volta, enquanto os vitorianos ambicionavam repetir a “gracinha”.

Os campeões nacionais entraram fortes no jogo. A pressão alta e o elevado ritmo de jogo que impunham nas suas ações provocavam diversas dificuldades à equipa de Guimarães. Aos 6 minutos, Brahimi deu o primeiro sinal de perigo com um remate que passou muito perto do poste da baliza de Douglas. Esta situação foi apenas a primeira de uma noite de ineficácia extrema por parte do Porto.

Por volta do minuto 16, bomba de Soares à barra. Aos 30’, tentativa de chapéu falhada por Marega. A insistência continuava mas a bola teimava em não entrar. Douglas, que fez uma exibição fantástica, assumiu-se como uma muralha. Chegámos ao intervalo com um 0-0 no marcador, mas com um jogo intenso que prometia uma segunda parte de qualidade.

No segundo tempo, o domínio do Porto continuou. A equipa de Sérgio Conceição recusava-se a baixar o ritmo e continuava a “bombear” a baliza vitoriana. O Vitória batia-se como podia. Luís Castro optou por baixar o bloco e apostar nas transições rápidas, com o intuito de apanhar o Porto em contrapé. A equipa conseguiu criar algumas oportunidades, mas eram poucas as que realmente incomodavam Iker Casillas.

A partir dos 80 minutos, o Vitória começou a focar-se cada vez mais na conquista do “pontinho” e em fechar os caminhos do Porto para o golo. Apesar disso, as oportunidades dos portistas continuavam a surgir. Contudo, na única vez que a bola entrou na baliza de Douglas, foi assinalado fora de jogo a Pepe. O jogo chegou ao fim com um empate sem golos.

O Porto pagou caro pela sua ineficácia. Apesar da boa exibição, as diversas oportunidades falhadas custaram 2 pontos aos Dragões, que veem o Benfica cada vez mais perto.  Segue-se uma deslocação difícil a Moreira de Cónegos, onde a vitória é a única opção. Depois de vários meses de domínio, a equipa de Sérgio Conceição está a começar a quebrar e a luta pelo título está em aberto novamente.

Daniel Sousa

Nascido e criado na Ilha da Madeira e neste momento a estudar Ciências da Comunicação na FCSH. Com um gosto enorme pelo futebol e pela escrita, está sempre aberto a novos desafios.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.