“Um campo de futebol é um campo de sonhos, porque é lá que se transforma tudo”

Fernando Valente recém chegado ao Varzim, já teve oportunidade de treinar o plantel e está consciente das dificuldades que tem pela frente, mas o seu espirito combativo aliado à sua competência técnica vão certamente, devolver o clube da Póvoa do Varzim aos lugares que anseia.

O mister de 59 anos que esteve nas duas últimas temporadas ao comando dos sub-19 dos chineses do Shandong Luneng, traz na bagagem a missão de acordar a massa associativa e voltar a dar aos “poveiros”, motivos de orgulho no clube: ” É uma honra estar à frente de uma grande nau, poder acordar a massa associativa, este clube tem uma história muito grande no futebol português e quero reavivar essa memória”

Fernando Valente já havia observado o plantel diante o Académico de Viseu e percebeu o trabalho que o esperava: “Tenho um grande conhecimento do Varzim e deste plantel. Acabei um trabalho difícil, na China, que durou um ano, e sei que não está fácil para o Varzim, como para outros clubes. Tenho passado por contextos que não foram fáceis e portanto este também não me assusta”

No que concerne ao “novo” Varzim sob o seu comando técnico, a confiança é a palavra de ordem: “Venho com vontade de vencer e acredito que é preciso fazer algo que marque a diferença. É isso que me dá força. Se resulta ou não, depois se vê. O que sei é que marcar a diferença  por vezes  passa por pormenores, acredito que o potencial que temos está longe do que tem sido apresentado em campo e um campo de futebol é um campo de sonhos, porque é lá que se transforma tudo. O Varzim acordou…”

Acompanham o mister da cidade do Porto, os adjuntos Luís Manuel e Francisco Matos, aos quais se junta Vitoriano Ramos, que já desempenhava as funções de adjunto na anterior equipa técnica de Nuno Capucho.

No seu currículo desportivo, Fernando Valente conta ainda com passagens pelo Paredes, Lousada, Sporting de Espinho, Desportivo das Aves e Santa Clara, o último clube que treinou em Portugal, na época 2015/16.

 

Fotografia: Fábio Poço/Global Imagens

Guilherme Freire Coelho

Alfacinha apaixonado pela vida e dela, faz parte o futebol. Defendo-o como desporto, respeito-o pela vertente social e admiro-o como espectáculo. A bola, é mero instrumento para os artistas brilharem. Não escrevo sobre bola mas sim, sobre Futebol, sempre de forma transparente, com fair-play e....sem respeito pelo acordo ortográfico.....

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.