O renascer do Borussia que promete e faz sonhar

Quando começou a nova época da Bundesliga, a opinião geral deveria ser que seria mais um título na certa para o Bayern, hexacampeão em título. Com 11 jornadas decorridas, até ao momento, o cenário não é o imaginado: o gigante alemão ocupa o quinto lugar a 7 pontos do seu grande rival e líder: o Borussia Dortmund.

Na 11ª jornada, ambas equipas enfrentaram-se no famoso Der Klassiker e a vitória sorriu à formação de Lucien Favre. Além da dimensão da vitória, sobretudo após o filme do intenso jogo, um registo fantástico para o Borussia: 11 jogos, 8 vitórias e 3 empates. A juntar a isto, possuem o melhor ataque com 33 tentos e contam com somente 12 golos sofridos.

Se na Bundesliga, o cenário parece ser animador, na Liga dos Campeões também o tem sido: 3 vitórias e uma só derrota em 4 partidas da fase de grupos. A derrota com o Atlético que é o único percalço num percurso que tem entusiasmado (e feito sonhar) não só os adeptos do Borussia mas também o mundo do futebol.

Após uma derrota pesada na Alemanha (4-0), seria o Atlético a dar o primeiro dissabor da temporada ao Dortmund

O técnico Lucien Favre abandonou o comando técnico do Nice e, fruto também da sua experiência na Bundesliga, conseguiu melhorar o futebol do Dortmund ao fazer contratações acertadas e potenciar jogadores que já se encontravam no plantel.

Após ter realizado bons trabalhos no Hertha e no Monchengladbach, Favre só tem tido motivos para sorrir no seu regresso à Bundesliga

Só para dar uma melhor ideia da juventude Dortmundiana, a média de idades é de 24,8 anos. Os mais experientes acabam por ser o guarda-redes Bürki, o defesa-direito Piszczek, os médios (e reforços da presente temporada) Delaney  e Axel Witsel e o capitão (e dos grandes talentos) da equipa Marco Reus, todos eles com idades compreendidas entre os 27 e os 33 anos. Reus que tem voltado à sua melhor forma após um período atormentado por sucessivas lesões.

O onze inicial do Dortmund costuma ser pautado pela juventude

 

O renascer de Reus

Com 29 anos, e já há muito tempo que é tido em conta como sendo um dos melhores talentos do futebol, Marco Reus, tem vivido uma carreira pautada por lesões, lesões que lhe afastaram do Mundial-2014 (que a Alemanha viria a conquistar) e do Euro-2016, e que têm condicionado o progresso do seu percurso como jogador.

Desde 2012 no Dortmund, e ao ser capitão e das principais figuras do emblema, parece ter afastado os fantasmas de lesões que o atormentaram no passado, e tem estado verdadeiramente imparável. 11 jogos, 8 golos e 5 assistências. São os números, até agora, apresentados e o seu contributo tem sido fundamental para uma equipa do Dortmund recheada de juventude.

Na última época que o Dortmund sagrou-se campeão, em 32 jogos, logrou 18 golos e 12 assistências. Com muitos jogos ainda por disputar, a ver vamos onde pára o capitão e estrela do clube.

Reus, capitão e estrela do Dortmund, tem vivido um início de época de sonho

 

Empréstimos Acertados

Como é que Real Madrid e Barcelona encontram-se relacionados com o Borussia? Cada um emprestou um jogador que é peça-chave na presente temporada para a formação alemã. Afram Hakimi do Real e Alcácer do Barcelona chegaram a Dortmund com a tarefa de mostrarem o seu real-valor e até agora têm-no conseguido.

Hakimi conquistou a lateral-esquerda da defesa e contribuiu, num total de 9 jogos, com 6 assistências (3 na Bundesliga e 3 na Liga dos Campeões) e um golo para o campeonato alemão. Com apenas 20 anos, o jogador internacional marroquino, tem provado ser um dos bons jovens talentos neste plantel.

Por seu lado, Alcácer, não agarrou o lugar no onze de estaca mas o seu faro para o golo catapultou-o para ser um dos destaques da equipa. 8 golos, um dos melhores marcadores do campeonato a par de Reus, em 6 jogos, 236 minutos e um rácio de 29,5 minutos por golo, faltam palavras para descrever a forma do espanhol.

Com o seu empréstimo ao Dortmund, Alcácer não só tem provado o seu valor aos Blaugrana, como o avançado de 25 anos conquistou um lugar na Seleção Espanhola.

Alcácer e Hakimi, dois jogadores emprestados, duas peças-chave neste Dortmund de Favre

 

A explosão de Jadon Sancho

Com Pulisic a figurar como a maior promessa americana, Bruun Larsen a demonstrar ser capaz de ser uma peça a ter em conta nas escolhas de Favre e até mesmo Zagadou (contratado a custo zero ao PSG em 2017) que tem tido oportunidades para se mostrar no centro da defesa, todos eles com idade entre os 19-20 anos, mereciam uma menção honrosa, mas o maior destaque tem sido evidente: Jadon Sancho.

O mais novo deste lote, com os seus tenros 18 anos, a jovem estrela inglesa não começou a época como titular mas a sua influência foi demasiado notória para passar despercebida. Mesmo começando jogos a partir do banco, conseguiu alcançar o top de assistências da Bundesliga contabilizando 6, até ao momento.

Sancho não só tem contribuído com assistências mas também tem ajudado a equipa com golos: 4 em 136 minutos jogados na presente Bundesliga.

O seu fulgurante início de época valeu-lhe uma chamada a Seleção Inglesa. Visto como um grande talento, o extremo que chegou no Verão de 2017 por 8 milhões proveniente do Manchester City à procura de mais oportunidades e minutos de jogo que não tinha nos Citizens.

O acima mencionado são só alguns dos motivos pelo qual o Dortmund tem tido um desempenho com o demonstrado e o fazem ser um dos emblemas a ter em conta tanto em competições domésticas como europeias.

As múltiplas soluções que apresentam para praticamente todas as posições do terreno, que até lhes permite rodar jogadores entre competições, as aquisições de Witsel e Delaney, que contribuiu para equilibrar o meio campo bem como controlar o meio campo à frente de uma defesa inexperiente. e a formação da dupla central com Akanji a estar de pedra em cal (pelo menos até ao momento), são outros dos motivos para o clube se estar a sair bem.

A verdade é que este Borussia merece ser seguido com atenção, pela sua juventude, pelo seu talento, pelo seu futebol capaz de cativar qualquer adepto de futebol. Já se viram aflitos em diversos jogos na presente temporada mas têm conseguido reagir na maioria das vezes, o maior exemplo sendo provavelmente contra o Leverkusen (2-3 após terem estado a perder 2-0).

São líderes da Bundesliga, a 7 pontos do seu grande rival, é o melhor Borussia desde o Jürgen Klopp, sem praticamente sofrerem nenhuma derrota em 15 jogos, esta equipa promete e faz sonhar. Faz acreditar que é capaz de quebrar a hegemonia do Bayern e, na Champions, quem sabe? Ainda em 2013, apesar de campeões alemães em título, eram outsiders e chegaram à final. A ver o que faz Lucien Favre e esta formação do Dortmund.

Mais a título de curiosidade, fica aqui um vídeo a explicar melhor as táticas do Dortmund com Lucien Favre no comando.

 

André Fernandes

Licenciado em Ciências da Comunicação pela FCSH/NOVA. Madeirense, adepto de futebol e da escrita, marcar golos na vida e chegar o mais longe possível é um dos meus objetivos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.