Valderrama, o símbolo de uma Colômbia em guerra

Ficha do Jogador:       

Nome: Carlos Alberto Valderrama Palacio

Nascimento: 2 Setembro 1961

Local: Santa Marta, Colombia

Altura: 1,77m

Peso: 74kg

Clubes: Union Magdalena, Millonarios, Deportivo Cali, Montepellier, Real Valladolid, Independente Medellín, Atlético Junior, Tampa Bay Mutiny, Miami Fusion e Colorado Rapids

 

Valderrama foi um dos jogadores mais marcantes da década de 80 e 90 do futebol mundial, foi também uma das personalidades mais famosas do futebol. Ficou conhecido no mundo inteiro pela sua qualidade e excentricidade em campo e fora dele.

Carismático, conquistou o apoio e carinho do público, e com a sua “cabeleira” loira representou a Colômbia em 3 mundiais e 3 Copas Américas. Valderrama detém ainda hoje o recorde de 111 jogos pela selecção colombiana.

Com o seu futebol encantou multidões e foi símbolo da selecção nacional, sendo o “El pibe” Colombiano, deslumbrando com os seus passes em profundidade, tabelinhas, belas jogadas, qualidade técnica impar, elegância, visão de jogo e rapidez de toque, um jogar simples, mas não simplista…

Apesar dos poucos títulos que ganhou, e os poucos anos em que se notabilizou na Europa, numa altura em que a Colômbia atravessava um grave conflito armado, Valderrama foi o “ópio” do povo, juntamente com Higuita. Foram durante anos a alegria e a representação do povo colombiano no mundo.

Começou a carreira na Colômbia, no Unión Magdalena, onde cedo mostrou o seu valor e talento para o futebol, após três boas temporadas, segue-se o Millionários durante uma época bem conseguida e onde fez um dos melhores anos da carreira.

Deportivo de Cali

Valderrama foi para o Deportivo de Cali, em 1985, já no pico da sua carreira, no Deportivo de Cali, consolidou-se como um “10” de referência internamente e internacionalmente, sendo já observado por clubes do estrangeiro, num campeonato colombiano conturbado e ainda amador, Valderrama fazia “gato-sapato” dos adversários, demonstrando ter muita mais qualidade, do que um “simples”, campeonato colombiano. Nas 3 épocas no Deportivo de Cali, Valderrama jogou 131 partidas e marcou 22 golos.

Montpellier

Vindo para a Europa e apesar do Montpellier não ser um clube de referência na França, Valderrama chegou finalmente ao continente europeu, com ritmo competitivo muito superior ao sul-americano, pelo Montpellier jogou a Taça das Taças e Taça UEFA, algo que não era de costume para o clube, acabou até por vencer uma Taça de França, e jogou durante 3 épocas, realizando 82 jogos e 4 golos.

Após as três temporadas na França, seguiu-se Valladolid e o Independiente de Medellín, onde fez meia-época em cada.

Júnior Barranquilla

Foi no Junior Barranquilla, que Valderrama conquistou os seus 2 campeonatos da Colombia, em 1993 e 1995.

Em três temporadas, na Colômbia, venceu finalmente o seu titulo predilecto, campeonato, tendo em 1994, chegado às meias-finais da Taça Libertadores.

Major League Soccer

Na MLS, Valderrama jogou já em puro “marketing” da sua icónica imagem, e também para terminar a sua carreira como jogador profissional, jogou em Miami, Tampa Bay e no Colorado.

Na temporada de 1996, venceu a MLS, ao serviço do Tampa Bay Mutiny, tendo sido o melhor jogador da temporada.

Selecção Colombiana

Valderrama representou a Selecção Colombiana, em 111 ocasiões, tendo se destacado na Copa América de 1987, onde foi eleito melhor jogador da competição e também na Copa América 1993, em ambas a Colômbia alcançou as meias-finais da competição.

Valderrama alcançou as meias-finais em 1987, 1993 e 1995, tendo faltado um título de selecção, apesar de Valderrama não jogar sozinho, as meias-finais, foram muito elucidativas da qualidade de “El Pibe”, pois a selecção colombiana tinha de ultrapassar Argentina de Maradona e Batistuta e o Brasil de Romário e Ronaldo.

Mundial 1990

No Mundial 1990 em Itália, Valderrama e Higuita, fizeram uma das duplas mais excêntricas e carismáticas de um mundial de futebol.

A Colômbia enfrentou a Alemanha, Jugoslávia e os Emirados Arabes Unidos, na fase de grupos, acabando por ser eliminada pelos Camarões de Roger Milla (2-1 após prolongamento).

Valderrama jogou os 4 jogos e marcou 1 golo.

Mundial 1994

Valderrama entrou no Mundial 1994, já conhecido pelo público e já como uma estrela internacional.

A Colômbia jogou a fase de grupos contra Roménia de Hagi, Suiça e os Estados Unidos, a equipa da casa, a Colômbia acabou sendo eliminada ainda na fase de grupos.

Mundial 1998

A Colômbia foi novamente eliminada na fase de grupos, jogou contra Inglaterra, Roménia e Tunisia.

No ano da despedida, Valderrama realizou o sonho de um fã, chamva-se “David Beckham”. Ele era uma jovem promessa em 1998, porém apreciava a qualidade e carisma de Valderrama, tendo-lhe uma enorme admiração.

No final do jogo pediu-lhe a camisola “10”.

 

 

Valderrama foi homenageado, com uma estátua na sua terra Natal, na Colombia. Enquanto jogador, representou o melhor que a Colômbia tinha, em tempos conturbados e de má memoria para esse país.

Principais títulos colectivos:

1 Taça Francesa – 1989/90 pelo Montepellier

2 Campeonatos Colombianos– 1993 e 1995 pelo Atlético Júnior

1 MLS – 1996 pelo Tampa bay Mutiny

3º lugar Copa América 1987, 1993 e 1995

 

Títulos individuais:

Melhor jogador Sul-americano do ano: 1987 e 1993

Melhor jogador copa América: 1987

Melhor jogador MLS: 1996 e 1997

FIFA 100

Pémio honorário Golden Foot : 2013

Carlos Valderrama “ El pibe colombiano”

Miguel Matos

Fan de futebol desde míudo, coleccionador de cromos e cadernetas, gosto especial pela história do futebol. Adepto do Benfica, Inter de Milão, Arsenal e River Plate.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.