Sporting 14-0 Leça: Um jogo histórico (por duas razões)

Foi há 76 anos, a 22 de Fevereiro de 1942, que o Sporting derrotou o Leça por 14-0. O Sporting que nessa tarde alinhou com Azevedo, Rui Araújo, Álvaro Cardoso, Paciência, Daniel, Manecas; Mourão, Soeiro, Peyroteo, Canário e João Cruz viria a consomar a maior vitória da história em campeonatos nacionais.

Dois recordes num só jogo

Naquela tarde disputava-se no Estádio de Lisboa, a 6ª jornada do campeonato nacional de futebol, onde o Sporting recebia o Leça. Afigurava-se um jogo normal. No entanto essa tarde ficou marcado pela obtenção de dois recordes.

Nesse jogo apenas 5 jogadores marcaram. O marcador foi inaugurado logo no segundo minuto de jogo com Soeiro a apontar o primeiro golo dos leões. Peyroteo não esperou nem um minuto (literalmente), no minuto seguinte apontou o seu primeiro golo no jogo e antes da meia hora de jogo já tinha feito o hat-trick.

À passagem da meia hora Soeiro bisou no encontro e para encerrar a primeira parte. Peyroteo marcou mais um, fechando a primeira parte com uns já avassaladores 6-0.

Fernando Peyroteo marcou nove golos nesse jogo, um recorde ainda por bater.

Na segunda parte, Peyroteo não dava sinal de querer tirar o dedo do gatilho e apontou logo à entrada mais 3 golos. Em apenas 60 minutos de jogo, Peyroteo marca assim uns impressionantes 7 golos. Mas não ficava por aqui…

Daniel e Canário marcaram, interrompendo a série de golos de Peyroteo, mas o avançado marcou mais um ao virar do minuto 80. Nesses dez minutos houve ainda tempo para Álvaro Campos marcar e para Peyroteo encerrar o jogo com mais um golo ao minuto 88.

Contas feitas nessa tarde o Sporting marcou 14 golos, 9 dos quais apontados por Peyroteo, recordes que muito provavelmente nunca serão superados.

Peyroteo, o violino goleador

Fernado Peyroteo ou “Stradivarius” como era a sua alcunha consolidou naquela tarde aquele que se mantém até hoje como o recorde de maior número de golos marcados num jogo por um único jogador em campeonatos nacionais. Era um predestinado para o desporto, e é até hoje o maior goleador de sempre em provas nacionais com 541 golos em 332 jogos, uma média de 1,6 golos por jogo. É impossível dizer que Peyroteo passou à história, pois as lendas nunca morrem.

Peyroteo foi um dos “Cinco Violinos” que espalharam melodia nos relvados portugueses. Jesus Correia, Vasques, Albano e Travassos eram os outro quatro integrantes do quinteto. Mas o goleador fica para a história como um jogador que amou a camisola do Sporting, um jogador para quem os valores desportivos importavam mais que as vitórias, os recordes e o dinheiro. Apesar das muitas propostas recusou-se sempre a sair do seu clube do coração, dizendo sempre a mesma frase: “O meu clube é o Sporting Clube de Portugal”.

Certamente, Fernando Peyroteo é e sempre será para todos os sportinguistas, o melhor ponta-de-lança de todos os tempos a jogar no clube. Para os restantes adeptos do futebol português, será com certeza um nome incontornável da história do desporto luso.

David Silva

Lourinhanense de gema, é estudante de Ciências da Comunicação na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas. Tem como hobby a escrita, e como paixão o futebol.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.