Portimonense 4-2 Sporting: Faltou alma e… coração

Em dia de clássico na Luz, entre Porto e Benfica, o Sporting encerra a sétima jornada da liga portuguesa com a segunda derrota consecutiva fora de portas. O Portimonense já não conseguia uma vitória contra os leões (a contar para o campeonato) há 29 anos. O Sporting perdeu assim a oportunidade de subir ao segundo lugar, e caiu para quinto na tabela classificativa.

Por seu lado, o Portimonense deu um salto na tabela classificativa passando da zona de despromoção para o meio da tabela, ocupando agora a 12ª posição.

Sporting entrou bem, mas…

Apesar de uma entrada fulgurante, em que assumiu desde logo a iniciativa do jogo, o Sporting perdeu rapidamente o fulgor dos primeiros dez minutos. O Sporting teve depois bastante dificuldade em assumir o controlo do jogo, fazendo uma primeira parte marcada por erros ofensivos e defensivos, saltando à vista a falta de soluções.

O Portimonense teve muito mérito na primeira parte, apresentando um bloco bastante subido, procurando a profundidade e imprimindo velocidade no ataque. Esteve também com um bloco bastante compacto a defender, o que dificultou ainda mais a vida ao Sporting.

Na primeira parte, o Sporting teve grandes dificuldades em evitar as incursões de Tabata e Nakajima pelas laterais. Depois de ameaçar por Jackson e por Tabata o Portimonense, “à terceira foi de vez”. Num contra-ataque venenoso de Wilson Manafá destruiu a defensiva leonina, jogada que resultou de uma sequência de bolas perdidas por parte de Jovane Cabral. Manafá com a ajuda de Nakajima penetrou na defensiva do Sporting e encaixou a bola no fundo das redes.

Nesta primeira parte o Sporting raramente criou situações de perigo sem ser de bola parada. Coates teve na Cabeça o golo mas cabeceou ao lado e com pouca força.

Do lado da equipa de Portimão, Paulinho e Lucas Fernandes assumiram o domínio das operações e ainda antes do intervalo o Portimonense conseguiu somar mais um tento. Nakajima rematou e Salin, mesmo chocando com o poste da baliza, não teve hipóteses de defender. O guarda-redes saiu por lesão ainda antes do intervalo. Um lance marcado sobretudo pela classe de Nakajima, que foi ajudado por Manafá, Paulinho e Ristovsky, que ficou mal na fotografia.

Mexeu mas não deu

Ao intervalo as equipas recolheram ao balneário, à exceção de Renan, que ficou a aquecer juntamente com Nani. José Peseiro optou por deixar o capitão dos leões no banco durante a primeira parte. Logo no iniciar do segundo tempo o internacional português entrou para o lugar de Raphinha e rapidamente agitou o encontro. O 17 dos leões deu corda aos sapatos e o Sporting começou a jogar um melhor futebol.

Pouco depois o Sporting veio reverter a situação atípica do primeiro tempo reduziu através de Montero, com uma assistência de Nani. Antes disso já Bruno Fernandes e Jovane tinham andado a ameaçar.

A partir do golo o Sporting cresceu no encontro, cheirando o empate através de Gudelj mas Leo, guarda-redes do Portimonense fechou o caminho ao Sérvio. Mas as esperanças dos leões foram novamente dilaceradas por Nakajima que no contra-ataque apontou o terceiro na sequência de um alívio deficiente da defensiva dos leões.

Pouco depois o Sporting reduziu por Coates, assistido novamente por Nani, deixando novamente o empate em aberto. O vislumbre do empate foi novamente desfeito pelo Japonês, Nakajima, numa noite fulgurosa deu o golo a João Carlos consomando o resultado final de 4×2.

Tiago Domingos

Lourinhanense de gema, estuda gestão no ISCTE-IUL. Tem como hobbie a escrita e como paixão o futebol!

One thought on “Portimonense 4-2 Sporting: Faltou alma e… coração

  • Outubro 9, 2018 at 10:17 am
    Permalink

    Muito bom !!
    Viva sporting

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.