CD Estrela: Estreia amarga no regresso do histórico da Amadora

O CD Estrela deslocou-se no passado domingo ao reduto do Operário FCL para aquele que foi o primeiro jogo a contar para a 1ª Divisão – Série 2 do Campeonato Distrital de Lisboa. Embora tenha regressado com um resultado negativo de 2-0, nem tudo foi mau na estreia do emblema da Amadora.

Mais de sete anos depois da sua extinção, a 1 de março de 2011, o Estrela da Amadora devolveu a sua Magia Tricolor aos relvados dos escalões seniores do futebol nacional numa partida muito equilibrada, principalmente na primeira metade do jogo.

Este equilíbrio no confronto entre CD Estrela e Operário FCL traduziu-se em poucas oportunidades de golo, sendo que na primeira parte apenas houve destaque para o remate do camisola 17 dos estrelistas, Paulo Varela, a fazer lembrar o golo de Daniel Sturridge (Liverpool FC) no passado sábado frente ao Chelsea FC, ainda que a bola tenha apenas rasado a barra da baliza adversária.

Após uns primeiros 45 minutos com intensidade de jogo, razoável organização defensiva de ambas as partes, mas poucas oportunidades de golo, a segunda parte abriu com um Operário FCL notoriamente empenhado em abrir o marcador. No entanto, momentos antes de o conseguir, um lance duvidoso para penalti na área do CD Estrela deu não só aso a muitos protestos como também a um contra-ataque perigosíssimo, que culminou num remate bem rente ao poste da baliza da equipa da casa.

Contudo, ainda que este lance de contra-ataque tivesse feito acreditar que o primeiro golo estrelista estava prestes a surgir, a entrada em campo do número 18 do Operário FCL veio gorar as expectativas da massa adepta amadorense. Momentos depois da substituição, numa clara falha de comunicação entre o guarda-redes e a defesa do CD Estrela que resultou num choque à entrada da área, sobra a bola para o jovem avançado acabado de entrar, que de baliza aberta não perdoa e encosta para o 1-0 (77′).

Momentos depois e já em cima do apito final, o mesmo jogador recebe a bola dentro da área dos visitantes, na zona mais à direita, e remata cruzado para o 2-0 (90+3′), deitando por terra as expectativas do emblema da Amadora de regressar com pelo menos um ponto.

No final, uma exibição razoável por parte do CD Estrela, mas ainda com muita margem para progredir e melhorar, principalmente no que ao plano ofensivo diz respeito.

 

Derrota dentro das quatro linhas, vitória esmagadora fora delas

Ainda que o resultado dentro de campo tenha desapontado as melhores expectativas do regresso de um histórico do futebol nacional, a verdade é que fora das quatro linhas a vitória pertenceu ao CD Estrela e foi esmagadora.

Por entre cânticos adaptados das principais claques do futebol português e até outros inspirados no êxito «Coração Que Ama Não Tem Idade», do músico Toy, os Ultras da Amadora deram a sensação de que o seu clube estava a jogar em casa ao longo de toda a partida. Desde o apito inicial que só a voz dos estrelistas se fazia ouvir em pleno Parque de Jogos do Operário FCL.

A receita para este jogo? Um regresso histórico e uma claque energizada por um importante primeiro passo em direção ao lugar que todos os adeptos do CD Estrela acreditam pertencer a eles e ao seu clube. O resultado? Não foi o mais desejado por quem da Amadora veio, mas para a festa do futebol dificilmente poderia ter sido melhor.

 

Posto isto, eis os resultados da primeira jornada da 1ª Divisão – Série 2 do Campeonato Distrital de Lisboa e respetiva classificação:

Fonte: https://www.zerozero.pt/edition.php?simp=0&id_edicao=126479

 

Fonte: https://www.zerozero.pt/edition.php?simp=0&id_edicao=126479

Cámi Rodrigues

Licenciado em Ciências da Comunicação pela Universidade Nova de Lisboa e Mestre em International Management pela Nova School of Business and Economics. 23 anos e residente na Amadora. Mais conhecido por Cámi.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.