United de Mourinho perde (até) com o West Ham

O Manchester United perdeu 3-1 em casa do West Ham, perfazendo o terceiro jogo consecutivo sem vencer dos “red devils”.

A equipa de José Mourinho foi incapaz de inverter o cenário negativo que assola recentemente o clube. O West Ham de Pellegrini tinha, antes deste jogo, quatro pontos em seis jogos, e o United dez pontos.

A deslocação a Londres correu mal logo de início. O brasileiro Felipe Anderson aproveitou da melhor forma um cruzamento de Zabaleta, e fez o golo ainda dentro dos cinco minutos iniciais. Contudo, um fora-de-jogo no início da jogada passou impune à equipa de arbitragem.

Lukaku teve oportunidade de empatar a partida, e não fê-lo por pouco. Respondeu a um cruzamento de Young com um golpe de cabeça que atingiu o poste.

Ainda antes do intervalo, o West Ham marcou fortuitamente, na sequência de um canto. Yarmolenko atirou a bola para o meio da confusão e Lindelof desviou fatalmente para a sua baliza. Auto-golo, e fim de primeira parte.

Mourinho mexeu ao intervalo, tirando o autor do auto-golo, para fazer entrar Marcus Rashford. O que é certo é que até à marca da hora de jogo, o West Ham não ameaçou, e só não sofreu por causa do seu guarda-redes (Fabianski).

O golo dos visitantes chegou a partir do substituto Rashford, com uma boa finalização aos 71 minutos. Por esta altura, Martial e Pogba (que está em rota de colisão com Mourinho) já não estavam em campo.

A esperança morreu cedo. Apenas três minutos depois do ansiado golo, o United permitiu que o West Ham marcasse o terceiro. Tempo e espaço de sobra para Noble, que assistiu, e Arnautovic, que marcou.

O West Ham consegue assim três jornadas consecutivas sem perder. Já o United mostra sinais de crise de resultados, e de balneário. Depois de uma eliminação da Taça Carabao, aos pés do Derby County, é de um empate com o Wolves, esta é uma semana para Mourinho esquecer.

David Silva

Lourinhanense de gema, é estudante de Ciências da Comunicação na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas. Tem como hobby a escrita, e como paixão o futebol.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.