Um telefonema que mudou a vida de um jovem determinado com chuteiras repletas de ambição

                                                            Bilhete de Identidade:

Nome: Ivanildo Silva Nhaga

Data de nascimento: 1996-09-30

Dupla Nacionalidade: Guiné-Bissau / Portugal

Peso: 78 kg

Altura: 1,83 cm

Posição: Avançado / Extremo (Esquerdo/Direito)

 

AMBIDESTRO: Como surgiu o futebol na vida do então jovem Ivanildo ? Começaste em alguma escola de formação?

Ivanildo: Antes de mais obrigado pela oportunidade. Eu sempre joguei futebol desde pequeno, comecei a dar os primeiros toques na bola federado aos 9 anos, jogava futsal no A.C.S.D.A, um clube perto da minha casa na arroja, em Odivelas. Esse  foi o meu primeiro clube de formação onde estive ate aos meus 14 anos. Nunca tive a sorte de ir para uma escola de formação, fui sempre aprendendo nos clubes por onde passei e a jogar a bola na rua com os meus amigos. 

AMBIDESTRO: Gostas de estar no processo de criação mas sempre que tens hipótese de finalizar, não perdoas a oportunidade. Quando iniciaste o percurso no futebol sempre jogaste no sector ofensivo ?

Ivanildo: Sim sempre me vi como um jogador da frente nunca fui muito fã de jogar atrás, em miúdo no futsal, jogava a ala e quando passei para o futebol 11 sempre joguei a extremo dir/esq. Quando cheguei ao Futebol Benfica comecei também a jogar a ponta de lança e passei a fazer também bem essa posição. 

AMBIDESTRO: Como surgiu a oportunidade de ingressares no Futebol Benfica ? Porquê a opção neste emblema histórico de Lisboa ? 

Ivanildo: Ainda me lembro bem de como foi… Desde novo sempre quis e quero chegar a profissional na I Liga e todos os anos coloquei uma meta de subir uma divisão como se fossem patamares. Na altura estava no Vila Franca do Rosário a jogar na segunda divisão distrital de juvenis, no ano seguinte ja era júnior e então eu estava decidido em jogar um campeonato de outra divisão um clube da liga de honra pelo menos. Estava em casa quando um grande amigo meu me telefona a perguntar o que estava a fazer e ele disse-me que estava ao pé da minha casa e estava a ir para um treino de captação no Futebol Benfica, porque os treinos começavam naquele dia. Eu perguntei-lhe qual era a divisão ele disse, honra…. Arrumei a mala e fui com ele. Enfim foi assim que fui treinar ao “Fófó” e acabei por ficar, o mister gostou de mim e passei lá três bons anos.

Três anos de “fófó” ao peito

 

AMBIDESTRO: Na época seguinte, a tua caminhada no futebol ganha mais visibilidade no Canaviais do Distrital de Évora onde foste quase totalista em toda a temporada de 2016/17. Como foi esta mudança e que diferenças encontraste neste processo de transição do “fófó”?

Ivanildo: A mudança foi boa para mim, comecei a tirar a minha licenciatura em Évora e tive a oportunidade de jogar nos canaviais. Um campeonato diferente daquele que jogava em Lisboa, embora notasse a nível técnico alguma diferença, era muito mais fisico e intenso e para mim, foi subir mais um patamar.  

AMBIDESTRO: Na época passada mantêns-te na mesma divisão mas rumas para um dos emblemas de maior dimensão do Distrito (Juventude Évora). No entanto, nessa época assistimos a um Ivanildo menos competitivo, o que esteve por detrás dessa situação ? 

Ivanildo: Comecei a época a cumprir um castigo injusto que tivera apanhado no ano anterior, de 6 jogos…. So comecei a jogar em Novembro, mas tirando isso a passagem no Juventude de Évora, penso que fiz uma época boa, aprendi muito e melhorei bastante digamos que, num balanço final em 19 jogos fiz 13 golos e 7 assistências. Penso que podia ter corrido melhor se tivesse feito a época toda como nos canaviais. 

 

Fez 19 jogos com as cores do Juventude de Évora e alcançou a marca de 13 golos e 7 assistências

AMBIDESTRO: E porque o talento não conhece barreiras, o reconhecimento de tal, é o facto de esta época teres sido escolhido para integrar a estrutura do Sporting Clube de Farense que milita na segunda Liga. No entanto, és emprestado ao União da Madeira que está um escalão abaixo. Vamos assistir a um Ivanildo que vai “rodar” no competitivo e aguerrido campeonato de Portugal para poder amadurecer e ser opção para o plantel algarvio ? 

Ivanildo: Sim devido a algumas situações com direitos de formação e exigências que foram feitas, não me foi permitido a permanência esta época no Farense. O empréstimo ao União foi uma muito boa noticia para mim, é mais um patamar e um bom desafio, em que eu continuarei a trabalhar forte para poder crescer e melhorar o meu futebol que é esse o meu grande objetivo e nada melhor que um campeonato como este. Depois da boa prestação ao serviço dos canaviais foi me dado a hipotese de ir para o Farense à experiência, fui e gostaram de mim, voltei para Évora ao serviço do Juventude para terminar o meu curso e com ele já quase concluído, esta época fui chamado a integrar o plantel. Depois da minha situação no Farense, tive algumas opções também do Campeonato de Portugal, mas recebi uma chamada do meu agente a dizer que o União estava interessado e queriam que fosse para lá e então foi assim, acertamos e dicidi continuar a minha evolução no União da Madeira

AMBIDESTRO: Ainda estamos no inicio da época mas sabendo que o União da Madeira tem um excelente plantel e com boas opções no sector mais ofensivo, essa concorrência salutar vai mostrar a garra de um Ivanildo seguro do seu potencial certamente. Que podemos esperar de ti ao serviço dos insulares ? 

Ivanildo: Continuarei o mesmo Ivanildo de sempre, muito competitivo, posso garantir que darei tudo para ajudar a equipa e espero que a época nos corra bem.

AMBIDESTRO: Apesar de todo o mérito do Mister João Guerra ao serviço do Juventude de Évora na época transacta, a estrutura dos madeirenses tem um cariz profissional, estando habituados a escalões superiores. Que diferenças notas na metodologia usada no clube actual?

Ivanildo: O União é um clube com excelentes condições de trabalho, tem tudo aquilo que um jogador precisa para trabalhar bem como era de esperar dum clube como este. Treinamos bem é uma metodologia diferente, de muito trabalho e muito tático, e que nos ajudará certamente, a estarmos bem preparados para o campeonato. 

AMBIDESTRO: Conta-nos como é o teu dia a dia na semana de treinos 

Ivanildo: Acordo e levanto me as 7H30. Preparo-me e às 8 horas vou para o ponto de encontro para partir para o centro de treinos. Às 9 horas tomo o pequeno almoço em conjunto com toda a equipa e pelas 10 horas vamos treinar. Almoço às 13 e à tarde durmo uma sesta pra descansar e ao fim da tarde, oiço musica e vou beber um café com os colegas. Pelas 20 horas estamos prontos para jantar e depois ficamos a conversar ou a ver TV. Antes de dormir faço alguns exercícios que preciso.

AMBIDESTRO: Sabendo que o teu potencial, trará novas ofertas de clubes de ligas superiores, faz parte da tua ambição saíres para outras ligas ? 

Ivanildo: Como já tinha referido, tenho um objetivo claro e que normalmente passa por ambicionar outras ligas futuramente, e espero conseguir chegar lá

AMBIDESTRO: Até onde gostavas de ir no Futebol ?

Ivanildo: Eu ambiciono ser profissional e fazer uma boa carreira como jogador e representar grandes clubes mas é algo que não penso muito nesta altura. Penso em desfrutar agora e continuar a trabalhar.

AMBIDESTRO: Ivanildo estamos quase a terminar. Vou fazer-te agora uma série de perguntas que gostava que respondesses como se tivesses a marcar uma grande penalidade.

Prato favorito – Bacalhau com natas

Música preferida – 2pac all eyes on me 

Filme favorito– Black Panther 

Tempos livres – Ouvir musica e ver filmes

Jogador que mais admiras – Cristiano 

Treinador que mais te marcou – Mister Helder Clara do Futebol Benfica

Melhor jogador de sempre –Ronaldo fenômeno sem dúvida

Foi um gosto enorme, em meu nome e em nome da equipa do Ambidestro, muito obrigado e votos das maiores felicidades pessoais e obviamente, desportivas. 

Guilherme Freire Coelho

Alfacinha apaixonado pela vida e dela, faz parte o futebol. Defendo-o como desporto, respeito-o pela vertente social e admiro-o como espectáculo. A bola, é mero instrumento para os artistas brilharem. Não escrevo sobre bola mas sim, sobre Futebol, sempre de forma transparente, com fair-play e....sem respeito pelo acordo ortográfico.....

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.