E no fim ganhou a Alemanha. Kroos mantém viva a esperança com um golaço ao cair do pano

Numa autêntica final para os alemães, os golos de Marco Reus (48′) e Toni Kroos (90+5′) foram suficientes para garantir uma vitória importantíssima contra a Suécia. Se perdessem esta partida, estes jogariam o terceiro e último jogo da fase de grupos já fora do Campeonato do Mundo. Umas horas mais cedo, a seleção mexicana tinha garantido a passagem para a próxima fase e a Suécia, com três pontos, procurava fazer história e ir pelo mesmo caminho.

Os primeiros minutos jogados em Sochi, que também acolheu o confronto entre portugueses e espanhóis, desvendaram aquele que era o único objetivo de cada uma das equipas: ganhar. A super Alemanha entrou no jogo exatamente assim, como uma super Alemanha. Uma boa oportunidade aos três minutos poderia ter dado logo vantagem à atual campeão do Mundo. A Suécia não se deixou ficar e dez minutos a seguir teve nos pés de Berg uma excelente ocasião de golo. O avançado sueco acabou por não conseguir bater Neuer, num lance em que Boateng acaba por fazer grande penalidade. O árbitro assim não entendeu e o VAR nem usado foi.

O jogo continuou a ser muito bem disputado e a Alemanha começou a perceber que para ganhar este jogo iria ser preciso muito mais. Tudo se complicou à passagem do minuto 32′. Perda de bola de Kroos, contra-ataque da Suécia e Ola Toivonen fez um excelente chapéu a Manuel Neuer. Os alemães entravam para os balneários com a noção de que se o jogo acabasse assim, estes voltariam mais cedo para casa.

Foi exatamente com essa ideia em mente que a Alemanha entrou para o segundo tempo. E não podia ter corrido melhor. Bom lance pela lateral, cruzamento para o centro da área e Marco Reus a bater o guardião sueco. Uma seleção alemã tremida saiu dos balneários para provar o porquê de ser a atual campeã do Mundo.

Contra uma Suécia dura e competente, as grandes oportunidades foram, de facto, todas da equipa liderada por Joachim Löw. Mas o empate reinava e este não era um resultado nada favorável aos alemães.

Entrávamos nos últimos dez minutos e esperava-se uns loucos e emocionantes últimos dez minutos. E assim foi. Logo aos 82′, a Alemanha fica com menos um depois da acumulação de amarelos de Boateng. O cenário complicava-se, mas isto não ficaria por aqui. Logo depois, os suecos desesperaram com uma bola que poderia perfeitamente ter entrado na baliza alemã, mas Neuer recusou. Os últimos cinco minutos foram totalmente pintados de preto, vermelho e amarelo. Aos 88′, Mario Gomez teve na sua cabeça a vitória, mas Olsen fez uma excelente defesa. Uns minutos a seguir e já em tempo de compensação, Brandt com uma autêntica bomba atirou ao poste. Nada parecia a entrar. Nada nem ninguém parecia querer a Alemanha em território russo. Mas eis que o mesmo homem que teve grandes culpas no golo da Suécia, foi o mesmo homem que mostrou que a campeã do Mundo não irá embora assim tão facilmente. Livre à esquina da área e que golaço. Um golaço que mantém os alemães a respirar. Um golaço que partiu o coração a todos os suecos.

Vitória para os alemães que vão para o último jogo com uma única obrigação: vencer a Coreia do Sul. Jogo a não perder no dia 27, pelas 15 horas.

O Mundial na Rússia continua ao rubro. Não podíamos pedir melhor.

Ricardo Oliveira

Oriundo da mesma terra do melhor jogador do mundo, a paixão pelo futebol não podia ser maior. Atualmente a tirar a licenciatura em Ciências da Comunicação na FCSH, gosta de escrever e está sempre de braços abertos a novos projetos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.